18 de maio de 2015

TÉCNICO VENCE SEGUNDONA COM MEIA EQUIPA DA DIVISÃO DE HONRA *

* José Silva

E chegou  ao fim o Campeonato Nacional da Segunda Divisão com a grande final jogada no magnifico Campo A do Complexo do Jamor, entre o primeiro classificado da Zona Norte/Centro, e o primeiro classificado da Zona Lisboa/Sul, Guimarães e CR Técnico respectivamente.

A utilização de uma equipa constituída em grande parte por jogadores que disputaram a Divisão de Honra por parte do Técnico - que se limitou a fazer aquilo que o regulamento lhe permite - foi a nota dominante do evento, e demonstra mais uma vez a forma irresponsável como os regulamentos são tratados pela Federação Portuguesa de Rugby e o abandono a que a modalidade está votada na sua base.


O rugby das pequenas equipas, do rugby das regiões e das pequenas cidades, vilas ou aldeias, simplesmente não passa de uma chatice para o elenco chefiado por Amado da Silva.

CR TÉCNICO 53-12 GUIMARÃES RUFC

Apenas nos primeiros 15 minutos houve algum equilíbrio. A partir daí nunca esteve em dúvida a vitória do Técnico.
O Técnico com cinco jogadores da sua equipa principal dos quais quatro titulares durante toda a época (Duarte Marques, Lourenço Pirrait, Gonçalo Faustino e Sam Henwood) e um suplente muito utilizado (Luís Madaleno) indicou claramente que queria não deixar dúvidas sobre a sua vitória.

Sequência do marcador
5' PP de Guimarães não concretizado
15' PP do Técnico - 3 pontos   3-0;
18' E e T do Técnico - 7 pontos   10-0;
21' E e T do Técnico - 7 pontos   17-0;
28' E e T do Técnico - 7 pontos   24-0;
31' E do Técnico - 5 pontos   29-0;
35' E do Técnico - 5 pontos   34-0;
40+ 1' E e T de Guimarães - 7 pontos   34-7.
------------------------------------------
10' E de Guimarães - 5 pontos   34-12;
14' E do Técnico - 5 pontos   39-12;
19' E e T do Técnico - 7 pontos   46-12;
30' E e T do Técnico - 7 pontos   53-12
------------------------------------------

Depois do período inicial em que houve algum equilíbrio o Técnico tomou conta do jogo impondo um ritmo que o Guimarães não conseguia acompanhar abrindo sucessivos buracos na defesa que levaram aos diversos ensaios do Técnico.
O Guimarães tentou sempre contrariar o melhor jogo do Técnico tendo no seu melhor período conseguido dois ensaios.

Devido ao muito calor (cerca de 34º C) houve duas interrupções (water breaks) e após a interrupção da 2ª parte o ritmo de jogo decresceu completamente apesar do Guimarães ter lutado até ao fim para minimizar a diferença pontual.

Como resumo podemos dizer que a um ritmo de jogo muito superior por parte do Técnico o Guimarães mostrou ter vários jogadores de boa qualidade mas falta-lhe ainda uma maturidade que lhe possibilite dar uma mais forte estrutura à equipa. 
Mais jogos com adversários deste nível dar-lhe-ia certamente uma maior consistência competitiva.

Em relação ao jogo fica tudo dito pois a inclusão de cinco jogadores da equipa A, apesar de previsto nos regulamentos, altera por completo uma equipa e o resultado espelha isso mesmo. 
Ou seja a final não foi disputada entre duas equipas da 2ª Divisão, mas sim entre uma equipa da 2ª Divisão e outra quase da Divisão de Honra.

6 comentários:

Pedro Freitas disse...

Anda uma equipa a trabalhar arduamente durante anos para ser campeã, para depois uma equipa "B" valer-se de jogadores de DUAS divisões acima e estragar a competitividade e justiça que é característica deste desporto, enfim isto é Portugal meus amigos. Cumprimentos a toda a equipa do Guimarães o vosso crescimento foi impressionante.

Pedro Freitas

Sandra Alves disse...

O que acho estranho é aqueles jogadores que garantiram os jogos e o apuramento do técnico b para chegar à final e serem encostados para a estrelas jogarem... A vontade de vencer era tão grande que preferiam ver da bancada

Henrique Cunha

Fernando Parente disse...

Estas regras vão ao arrepio de qualquer sentido de ética e desportivismo que caracteriza este desporto...

Alexandre Branco disse...

Mesmo o regulamento possa permitir esta situação, não percebo como é que uma equipa com o histórico do técnico, utiliza este regulamento para facilitar a vitória da final tirando toda o respeito que o rugby promove. Como é que um jogador titular da DH aceita jogar por duas divisões abaixo deixando os colegas que levaram o clube até esta final na bancada?

Alexandre Branco

Alexandre Branco disse...

Mesmo que o regulamente permita uma situação destas, não percebo como é o treinador de uma equipa com o histórico do ténico, utilize esta regra para ganhar o jogo tirando todo o respeito pelo adversário. Como é que um jogador titular da DH aceita aceita jogar duas divisões abaixo deixando os colegas de equipa que lutaram para chegar a esta final na bancada? É mesmo o contrário daquilo que o rugby nos ensina a ser...

André Sousa disse...

Tudo uma perfeita palhaçada pelo Técnico, mas agora quero ver quem os vai manter e segurar na sua subida de divisao visto nao ter la sempre as 'estrelas' a segurar a permanencia