31 de outubro de 2012

TIAGO GIRÃO E DUARTE MARQUES ENTRAM NO TOP-5 DA TABELA RUGBIBERIA.COM

Tiago Girão foi a revelação da semana ao marcar os 15 pontos da vitória do CDUL dobre o Direito, e o mais curioso é que o (também) líder dos marcadores de ensaios, marcou aqueles pontos todos na conversão de penalidades.

Outra surpresa da semana, na Tabela Rugbiberia.com para os marcadores de pontos, foi a chegada ao destaque de Duarte Marques do Técnico, que marcou 14 dos pontos dos engenheiros na vitória frente ao CDUP, e as saídas da lista de Duarte Cardoso Pinto e Pedro Cabral, que não pontuaram no fim de semana.

A tabela continua comandada por Francisco Serra, que marcou seis pontos, três dos quais na execução de um drop - imitando Luis Salema do Direito que conseguiu o outro pontapé de ressalto da prova, logo na primeira jornada.

Gonçalo Malheiro defendeu bem a sua posição, com nove pontos marcados ao CDUL, enquanto Rodrigo Figueiredo subiu ao quarto posto, em igualdade com Tiago Girão, em consequência dos 11 pontos que marcou na derrota da sua equipa nas Olaias.

A Tabela Rugbiberia.com dos marcadores de ensaios não sofreu alterações já que nenhum dos seis melhores registou qualquer toque no área sagrada dos adversários - são seis porque o cdulista tonguense Seti Filo, tem tantos ensaios marcados quanto Serra ou Molina.


No que respeita aos pontos marcados pelas equipas nada de novo na liderança, onde o Direito apenas perdeu um ponto para o mais próximo perseguidor, o CDUL, mantendo-se a Académica na terceira posição e o CDUP no quarto lugar.

O Benfica mantém a lanterna vermelha com o menor numero de pontos (e ensaios) marcados, e é também a defesa mais batida, tanto no geral como nos ensaios.

A Tabela Rugbiberia.com dos ensaio marcados pelas equipas pouco se alterou, numa jornada em que apenas o Técnico, o CDUP (com três cada um) e o Cascais (com sete), se destacaram.
Recorde-se que a 6ª jornada é disputada já amanhã, aproveitando o feriado.


Hoje, como prometido, apresentamos a listagem completa dos marcadores dos pontos da Divisão de Honra, numa oferta da Rugbiberia.com http://www.rugbiberia.com/.
Ela aqui fica:

TAÇA DE PORTUGAL ARRANCA COM EQUIPAS DA SEGUNDONA

Regressada ao formato original, depois de (mais) uma original experiência falhada, a Taça de Portugal arranca com uma primeira eliminatória entre as equipas da 2ª Divisão, divididas em dois grupos, um referente ao Sul/Lisboa e outro ao Norte/Centro.

FCT - ELVAS
No Estádio Universitário, sábado às 13 horas, a Tecnologia recebe o Elvas, e o maior interesse do jogo reside em saber como se encontra a equipa dos estudantes, que esta época só disputou um jogo, deixando os outros dois, para ocasiões futuras.
Em condições normais o Elvas, muito em função da sua juventude, não conseguirá oferecer resistência à FCT, e esta deverá sair vencedora do encontro.

BEIRA MAR - KELLERMANN
No Campo do Gaio, às 16 horas de sábado, o Beira Mar recebe o Kellermann, que tem sido até agora a equipa mais fraca da 2ª Divisão (Sul/Lisboa), enquanto a equipa da Moita do Ribatejo tem tido um excelente comportamento na prova, tendo perdido apenas para o Sporting por dois pequenos pontos, e o resultado não deve ser outro que a vitória dos ribatejanos.

SÃO MIGUEL - OEIRAS
Um encontro entre dois grandes candidatos à passagem à fase seguinte do campeonato, no sábado às 16 horas no Estádio Universitário, que traz consigo todos os ingredientes de um bom jogo de rugby.
Duas equipas estruturadas e bem orientadas, com argumentos que podem levar o resultado para qualquer dos lados.
Pelo que as equipas tem feito neste início de época, os buldogues parecem levar alguma vantagem sobre a equipa da linha, mas o Oeiras vai querer desforrar-se da derrota que sofreu na 2ª jornada do campeonato.

BELAS - SPORTING
Mais um duelo de grande interesse que vai com certeza encher o António Pinto Basto, no sábado às 18 horas, e que é mais uma prova de fogo para a equipa de Alvalade, que tem, até agora um registo irrepreensível de vitórias no seu regresso às competições.
O Belas perdeu os seus dois primeiros jogos, mas sempre com bónus defensivo, na semana que passou parece ter espevitado, e uma vitória frente ao emblema do leão seria um forte incentivo para os homens do esquilo.
Apesar de pequena, esta é a primeira deslocação do Sporting, e esse é outro aspeto interessante da partida: como se comportará a equipa nas deslocações.
Pelos resultados desta época, a vantagem parece do Sporting, mas em casa e subindo de rendimento, o Belas pode vencer.

AVEIRO - GUIMARÃES *
Em Aveiro, os moliceiros recebem os bravos de Guimarães e tentarão contrariar o aparente favoritismo dos visitantes com o fator casa.
Os  Aveirenses não jogaram no passado fim de semana e não deverão ter grandes problemas a nível de lesões o que significa que poderão enfrentar os vimaranenses na sua máxima força e contrariar a recente história entre ambos - derrota do Aveiro por 31-19 em Guimarães na passada temporada.
O GRUFC está a fazer um esforço de desenvolvimento e de crescimento que só as vitórias poderão sustentar e este jogo tem um interesse especial pois o vencedor deste jogo enfrentará o vencedor do jogo Braga - Lousada, formações ao alcance dos vimaranenses, o que os poderia levar até uma 3ª fase e a um sempre aliciante jogo com uma equipa da 1ª Divisão, mas para isso acontecer os bravos não se poderão iludir e não serem "ovos molesem campo tentando desde o primeiro minuto procurar a área de ensaio adversária.


TOMAR - FAMALICÃO *
A equipa de Tomar recebe um dos principais favoritos à subida na Segundona e terá certamente um jogo muito difícil, ainda que jogue no seu terreno e para uma competição que não será, certamente, a prioridade dos Famalicenses, que poderão aproveitar este jogo para rodar os seus jogadores menos utilizados e poupando os seus jogadores decisivos para jornadas mais difíceis no grupo Norte. 
É certo que no ano passado este tipo de decisões custou ao Famalicão derrotas inesperadas como a sofrida às mãos do Lousada, pelo que isso deve ser tido em conta na hora de escalar a equipa por parte do treinador Pedro Campos Costa.
A treinadora de Tomar certamente quererá tentar pôr os seus homens de volta às vitórias depois da derrota às mãos dos leitões no passado sábado, mas sabe também que o seu principal fito serão os jogos contra Aveiro que determinarão quem acompanha a quase apurada Bairrada.

UTAD - BAIRRADA *
Os bairradinos deslocam-se a um campo muito difícil para esta primeira eliminatória da taça, tendo de jogar com os homens de Vila Real no seu reduto. 
O Bairrada encontra-se numa posição em que pode pensar neste jogo com maior empenho, uma vez que no campeonato se encontra praticamente apurado para a segunda fase, que apenas terá inicio no final de Janeiro.
A UTAD recebe os leitões de quem não têm boas memórias da época passada pois acabaram derrotados por eles para a segunda fase do campeonato por 0-24, ainda que nessa segunda fase os transmontanos tenham passado por uma crise interna que explica a diferença exibicional e de resultados para a primeira fase do campeonato.
A UTAD parece este ano ter um grupo de trabalho maior, com muitos antigos jogadores a retornarem ao ativo e com uma equipa técnica diferente apostada em fazer melhores resultados que no ano anterior.
Será um jogo onde muito provavelmente as avançadas serão o centro da contenda e por onde passará grande parte do jogo ofensivo de ambas as equipas.

BRAGA - LOUSADA *
O Braga recebe o Lousada pela segunda semana seguida e espera inverter o resultado registado para o campeonato e a possibilidade de seguir em frente na Taça de Portugal.
O Braga tem aqui a possibilidade de ter a sua primeira vitória oficial da época e começar uma reviravolta nos seus resultados. 
Para isso os gladiadores precisam de ser menos perdulários nos momentos ofensivos e sobretudo serem menos permeáveis defensivamente, especialmente nos últimos minutos de jogo onde já ofereceram um ponto bónus ao Guimarães (resultado de 05 - 12 até 10 minutos do fim, sofrendo ) e perderam um ponto bónus defensivo contra Lousada (ensaio sofrido na bola de jogo).
O Lousada depois de um arranque menos conseguido contra os garranos, obteve a primeira vitória frente aos bracarenses e certamente quererá continuar nessa senda vitoriosa. 
Os jovens de Lousada apenas terão de contrariar a sua conhecida irregularidade exibicional e acrescentar mais uma vitória ao seu pecúlio.

* Textos de Morpheus

NAS CALDAS DECIDE-SE A LANTERNA

Após três jornadas duas equipas ocupam o último lugar, em absoluta igualdade tanto de pontos de classificação como de diferença entre pontos marcados e sofridos.
Caldas e Loulé só conseguiram até agora um ponto de bónus defensivo cada um, e com 48 pontos negativos de saldo de marcados/sofridos, a situação poderia ser um bico de obra para a Federação resolver, já que sem punições registadas nos Boletins da FPR, segundo o Regulamento Geral de Competições, as equipas não podem ser postas uma à frente da outra...
Mas no sábado às 15 horas, no Campo de Rugby das Caldas da Rainha, os dois grupos terão oportunidade de mostrar quem mais capacidade tem para sair da incómoda posição, e uma vitória pode significar mais que largar a lanterna vermelha - e a subida pode ir até ao 5º lugar!

Pois é, está assim a Primeirona - uma equipa distrai-se e...pumba, logo vem uma ou duas a cobiçar o lugar...

Outras duas equipas que se apresentam ao serviço no sábado às 15 horas, mas desta vez no Vale da Rosa, em Setúbal, e que podem trocar de posição são o Vitória local e a Agrária de Coimbra.
Os setubalenses conseguiram uma importante vitória no Algarve, frente ao Loulé, e com  isso consolidaram a sua quarta posição na tabela, enquanto os charruas, com a derrota frente à Lousã, marcaram passo classificativo.
A tendência é uma vitória do Setúbal, que assim ficaria muito bem posicionado na metade superior do registo, mas a Agrária, se quer deixar uma boa impressão neste regresso à Primeirona, tem que trazer das margens do Sado mais que a memória de uma tarde bem passada...

Na Frigideira, ainda no sábado, e à mesma hora, o Montemor recebe o Santarém, mas a equipa escalabitana não tem demonstrado esta época o mesmo fulgor que lhe permitiu fazer frente aos mouflons na época passada, e trazer desses confrontos dois pontos bónus defensivos, sendo que numa dessas derrotas ainda trouxe um bónus de ataque!
Por outro lado o Montemor segue com três vitórias e três pontos extra de ataque, pelo que seria ousadia prever outro resultado que não a vitória dos alentejanos.

O último jogo da jornada disputa-se - adivinhem... - no sábado às 15 horas, no Estádio José Redondo, e a Lousã vai receber o seu velho inimigo do Alentejo, o Évora.
As duas equipas tem tido percursos muito semelhantes nos últimos 10 anos, mas na última época os serranos levaram vantagem sobre os chaparros, incluindo uma falta de comparência destes na Lousã.
Este anos, os lousanenses começaram mal e foram perder na primeira jornada a Montemor, mas parecem ter recuperado desse desagrado e vão apresentar-se em força e moralizados  pela vitória bonificada frente aos charruas, que lhes pode ter permitido constituir a plataforma para embates mais elevados.
Só que o Évora parece ter crescido com o regresso aos jogos em casa - agora no Inferno dos Canaviais - e com três vezes cinco pontos, não vai à Lousã para desperdiçar... pontos.
Mais um jogo de tripla, em que a razão aconselha o voto nos visitantes, mas sem muita convicção...

Aproveitamos aqui para renovar o pedido que fizemos a todos os clubes da 1ª Divisão, para nos enviarem a lista de todos os marcadores dos seus pontos, nos três primeiros jogos na competição deste ano, e depois, o envio semanal da mesma informação.
A razão deste pedido prende-se com o Grande Prémio dos marcadores de pontos da Primeirona, que vamos promover, e para o qual já conseguimos atrair um prémio que nenhum jogador poderá botar defeito...
Agradecemos a maior brevidade no envio dos elementos em atraso, para podermos avançar em definitivo com a iniciativa.

Fotos: Rugby Clube da Lousã

30 de outubro de 2012

JORNADA (QUASE) TRANQUILA PARA OS DA FRENTE

Numa jornada antecipada para o feriado do 1ª de Novembro a tendência é que os primeiros fiquem mais primeiros, mas Técnico e CRAv vão tentar brincar com o destino.

Na quarta feira às 21 horas, na Tapada, Agronomia recebe o Benfica num jogo que se adivinha sem história e que terminará com mais uma derrota da equipa (que devia ser) da Luz.
O Benfica atravessa uma crise muito profunda que carece de um solução muito mais que cosmética para repôr uma das mais antigas equipas de rugby portugueses, nos trilhos de que não deveria ter saído, e a falta de instalações e de forte apoio institucional da direção encarnada não é alheia ao que se passa.

NO NORTE TRÊS COM NOVE NA TABELA *

Como já fizemos referência o apuramento do Grupo Centro ficou praticamente decidido, o que em contraste com o que se passa na Zona Sul/Lisboa, demonstra bem o erro que foi a divisão em duas zonas no Norte e Centro

CENTRO

TOMAR – BAIRRADA 5-35*
Campo de Rugby, Moita da Anadia
O Tomar e a Bairrada inverteram a jornada efetuando o jogo em casa dos Leitões que conseguiram ficar praticamente apurados para a segunda fase, graças a uma vitória bonificada.
A equipa da casa conseguiu ir para intervalo a um ensaio do ponto bónus, uma vez que já tinham três ensaios marcados não convertidos e duas penalidades e apenas um ensaio sofrido, o que significava que desde que não sofressem mais ensaios apenas precisaram de marcar mais um.
A verdade é que os Bairradinos não conseguiram um ensaio, mas sim dois, não sofrendo mais nenhum ponto, conseguindo o ponto bónus que os deixa a um ponto de conseguirem a ida à segunda fase.

NORTE

CRAV B – UTAD 15-3
Campo da Coutada, Arcos de Valdevez
Os Garranos receberam a UTAD , numa inversão de calendário, e levaram de vencida os transmontanos num jogo muito físico com ambas as avançadas a fazerem grande parte da despesa de jogo. 
Os minhotos começaram de forma muito forte e nos primeiros 10 minutos já tinham marcado dois ensaios, ambos através de mauls dinâmicos, o que mostra bem o ADN das equipas de Arcos de Valdevez. 
A equipa de Vila Real respondeu sempre muito bem ao poderio da avançada minhota, não se limitando somente a trabalhos defensivos, conseguindo preparar com eficácia os contra-ataques desferidos pelos três quartos da UTAD, que apesar de tudo nunca resultaram em ensaios, limitando-se a um pontapé de ressalto de muita qualidade marcado pelo médio de abertura da UTAD.
Na segunda parte o jogo tornou-se mais quezilento e menos produtivo, sendo que o marcador apenas mexeu uma vez, com mais um ensaio conseguido através de mais um maul do homens da casa.
A UTAD, cujo problema crónico desde há anos tem sido o número de jogadores por jogo, conseguiu deslocar-se a Arcos de Valdevez com 22 jogadores e bateu-se de forma muito aberta e corajosa contra um CRAV B com alguns reforços da equipa A que não jogou neste fim-de-semana.

GUIMARÃES – FAMALICÃO 10-23
Pista Gémeos Castro, Guimarães
Os dois candidatos à segunda fase encontraram-se este Sábado em Guimarães, sendo que a liderança poderia mudar de mãos, como veio a acontecer, com os Bravos a entregarem este posto aos Famalicenses.
Os famalicenses conseguiram ir para o intervalo a vencer por 13-0, obrigando os da casa a correr atrás do resultado na segunda parte. 
Na segunda parte o Guimarães conseguiu marcar dois ensaios não convertidos, mas os forasteiros fizeram também 10 pontos fazendo o resultado final ficar em 10-23, dando quatro pontos à equipa visitante e fazendo ambas as equipas se igualarem com nove pontos no campeonato, sendo que Famalicão tem vantagem direta, o que na época passada foi decisivo para a passagem à segunda fase.

BRAGA – LOUSADA 17-27
Campo Augusto Macedo, Lomar, Braga
Em Braga assistiu-se a uma semi-surpresa com a vitória de Lousada sobre o Braga Rugby, o que espelha o difícil arranque dos minhotos neste campeonato, uma vez que esta era uma equipa frente à qual nunca haviam perdido. 
Ainda que o Braga possa argumentar a falta de campo de treinos e consequente instabilidade no seu grupo e na forma física apresentada, ou na saída de jogadores importantes e lesões, a verdade é que esta equipa já não tem o fator surpresa do ano de estreia e não tem conseguido crescer.
O Lousada conseguiu a sua primeira vitória, ainda por cima fora de portas e contra um adversário que enfrentará já na próxima semana para a Taça de Portugal.
Os durienses conseguiram sobretudo superiorizar-se através dos seus jovens três quartos que mexeram muito bem a bola, ainda que no final da primeira parte o resultado fosse muito próximo.
Na segunda parte, a juventude e melhor preparação dos Lousadenses veio ao de cima e nos ultimos dez minutos de jogo os visitantes marcaram dois ensaios levando o Braga a perder o jogo e a hipótese de um primeiro ponto bónus defensivo.

* Texto: Morpheus

SPORTING NA SENDA DAS VITÓRIAS NO SUL

A vitória do Sporting sobre o Beira Mar por 14-12 é o resultado mais importante da jornada da Segundona na Zona Sul/Lisboa, não apenas porque mantém a equipa de Alvalade com 100 % de aproveitamento, mas também porque demonstrou bem que os homens do Gaio ainda vão ter uma palavra a dizer no andamento da competição.

Outro resultado interessante, em especial pelo seu volume, foi a derrota, em casa, do Elvas frente ao Belas, por 13-50, que marca a primeira vitória dos esquilos no campeonato, e levanta a possibilidade de se ter que contar com eles nos próximos capítulos da aventura.

O Técnico B, que resistiu bem ao Oeiras, acabou por ser derrotado por 21-19, mas o mais interessante do resultado é verificarmos que o Técnico, num dia em que a sua primeira equipa jogou e venceu na Divisão de Honra, apresentou uma equipa B bem estruturada e com 22 jogadores, o que contrasta com situações que aconteceram, esperamos!, no passado.
Quanto à equipa da Linha esperava-se que conseguisse uma vitória mais folgada, mas também entendemos que sendo um jogo que não vai contar no lavar das cestas, a equipa não se tenha empenhado completamente no resultado.


No último jogo do fim de semana o São Miguel recebeu a equipa B do Évora e venceu bem, por 34-0 e marcando seis ensaios, o que demonstra a atitude dos buldogues, que em cada dia que passa mais se vão apresentando como um verdadeiro candidato à passagem à fase final de acesso.

Uma palavra final para o segundo adiamento de jogos da FCT, que apenas disputou uma partida na competição, esperando-se que a situação possa ser regularizada com brevidade.
Não pretendemos fazer qualquer juízo sobre as causas do adiamento - que parecem estar ligadas ao estado do campo - mas a verdade é que é um assunto que tem que ser resolvido, sob risco de criar situações de desiguais para equipas que perseguem os mesmos objetivos.

Vejam o quadro completo dos resultados e as classificações - com e sem equipas B's aqui.

Fotos: Júlio Lobo Pimentel, André Silva e Marta Arnaut Pombeiro

FEMININO SEVENS ARRANCA NO NORTE *


Realizou-se no passado domingo em São Mamede de Este, Braga, o torneio de abertura da Segunda Divisão Feminina, região Norte/Centro com a participação a ser muito modesta, ficando a cargo do clube da terra, Braga Rugby, e das estreantes do Clube de Rugby de Famalicão além das ex-Boavista, agora a representar o Sport Clube do Porto.

 A lamentar ficam as ausências de Viseu, CRAV e Bairrada, que pelas mais diversas razões não compareceram ao torneio, que parece não ter grande importância para existir uma vez que a própria Federação não nomeou nenhum árbitro, o que mostra o empenho da FPR em fazer evoluir o nível do rugby feminino em Portugal.

O torneio foi totalmente dominado pelo SC Porto, que ganhou todos os jogos sem sofrer nenhum ensaio, o que mostra a diferença de nível entre esta equipa que no ano passado se classificou, enquanto Boavista, no lugar mais baixo do pódio do Circuito Nacional de Sevens Feminino, só suplantada por Técnico e Agrária, superando inclusive muitas primodivisionárias, como o Benfica.
Este clube está em alta. uma vez que tem no seu grupo quatro internacionais Portuguesas, com experiência de torneios internacionais

O torneio, dado o baixo número de equipas foi feito no sistema todos contra todos a duas voltas, com a classificação final a ser liderada por SC Porto, seguido de Braga Rugby e com as estreantes do Famalicão a ficarem no último lugar, tendo perdido todos os jogos, mas estreando-se a marcar ensaios.

Os resultados abaixo estão expressos em ensaios, uma vez que não foram feitas conversões por falta de postes.
1 - Braga Rugby - CR Famalicão 6 - 0
2 - CR Famalicao - SC Porto 0 - 9
3 - SC Porto - Braga Rugby 5 - 0
4 - Braga Rugby - CR Famalicao 5 - 1
5 - CR Famalicao - SC Porto 0 - 9
6 - SC Porto - Braga Rugby 8 - 0

* Texto: Morpheus

29 de outubro de 2012

OYONNAX SEGUE ISOLADO NA FRENTE DA PROD2

A sétima vitória em nove jornadas e cinco bónus no total, dão ao Oyonnax o comando isolado da ProD2 com 35 pontos, depois de ter despachado o Aurillac este fim de semana por 36-20.

O Lyon de Jean de Sousa segue na segunda posição após a vitória frente ao Colomiers de Aurelien Beco e Lionel Campargue por 24-6, e a equipa dos portugueses não consegue melhor que a 12ª posição na tabela.

O Pau de Francisco Appleton foi batido pelo Brive por 22-18, e enquanto estes seguem na terceira posição a equipa de Appleton está no sétimo posto, e o Albi de Samuel Marques bateu o o Auch por 13-12, e está no sexto lugar, e o lusitano teve, mais uma vez, um papel decisivo na vitória, ao marcar oito dos pontos da sua equipa.

O La Rochelle conseguiu uma avantajada vitória por 48-11 sobre o Beziers de Francisco Fernandes, que entrou aos 48 minutos e logo aos 59 levou com um cartão amarelo, ao mesmo tempo que o Narbonne de Gonçalo Uva perdeu com o Aix-en-Provence por 22-24, e o ponto de bónus conseguido pela equipa do nosso internacional foi apenas suficiente para a colocar na 11ª posição, mas a seis pontos do décimo colocado.

Finalmente o Massy de Mike Tadjer, que marcou um ensaio, e de Wilfried Rodrigues, continua a sua senda de derrotas - sete em nove partidas - perdendo desta vez para o Tarbes por 28-26, e continua na última posição da tabela, a dois pontos do 13º.

Fique com o quadro dos resultados e a classificação:

Quadro: http://www.itsrugby.co.uk
Fotos: www.rugbyrama.fr

EM INGLATERRA JORNADA DEIXA TUDO EM ABERTO *

Worcester concedeu um ponto bónus defensivo aos Sale Sharks que foi o melhor que conseguiu após mais uma derrota.  
No duelo dos aberturas foi Cipriani o primeiro a brilhar a descobrir Cueto no canto para o ensaio e a colocar Sale na frente logo aos 5 minutos. 
Do outro lado Andy Goode falhou uma penalidade que poderia colocar Worcester na frente mas muito experiente viria a compensar marcando um ensaio já depois do seu colega na ponta David Lemi apontar também um ensaio de belo efeito. 
Lemi vai capitanear Samoa nos internacionais de Outono. 
Com o ensaio de Goode, que ele próprio converteu, aos 64 minutos o resultado viria a ser selado em 23-16.

No Sábado o Bath recebeu os Chiefs de Exeter e Louw, com uma excelente performance, comandou Bath a uma boa vitória num jogo muito físico em que ele próprio viria a sair com mazelas. 
Ben Williams e Kyle Eastmond ensaiaram em 13 minutos para colocar o resultado em 12-0.
Os Chiefs responderam muito bem e disputaram o resultado mas um ensaio de Louw e uma penalidade de Stephen Donald aos 78 minutos condenariam os da Cornualha a uma derrota por 23-15. 
Dan Hipkiss viu um amarelo aos 66 minutos o que permitiu aos Chiefs marcarem 7 pontos e já não voltou ao campo por jogar uma bola que ia para a touche quando se encontrava no sin-bin... 

Num dos jogos grandes do fim de semana, uma casa esgotada viu os Saints perderem a liderança frente aos Saracens
Lawes viria a sair lesionado na primeira parte logo a seguir ao ensaio do sarraceno Alex Goode, criado por Brits, que Farrel convertia, ao intervalo 3-10. 
Os Saints nunca foram capazes de impor o seu jogo perante a agressividade defensiva dos Saracens e tirando boas arrancadas dos irmãos Pisi, não ameaçaram a linha de ensaio dos Saracens. Final 6-16. 

O Sábado fechou com um bom espectáculo de rugby, Gloucester realizaram talvez o melhor jogo da época para bater os Tigers
Freddie Burns, melhor marcador da competição, não foi convocado para equipa de elite inglesa mas não se deixou desmoralizar acabando com 1 ensaio e 5 pontapés (17 pontos). 
O jogo foi muito sofrido para os cherry and whites que viram dois jogadores penalizados com amarelos em dois minutos. 
Nesse período os poder dos avançados dos Tigers conseguiria um ensaio de penalidade na formação ordenada para 27-21.  
Os 13 guerreiros restantes aguentaram o resultado e já com 15 nos últimos 10 minutos não permitiram mais pontos aos Tigers. 
27-21 lança Gloucester para o 3º lugar na liga e coloca os Tigers fora dos lugares de Playoff.

No Domingo Londres foi a capital do rugby, London Irish recebeu os Quins e os campeões foram novamente postos à prova. 
Guy Armitage logo aos 12 minutos perseguiu uma bola para só parar na linha de ensaio mas Danny Care, em grande forma, respondeu para os Quins dois minutos depois. 
Muito faltosos os Quins eram castigados pela bota de Ian Humphreys (23 pontos) e perdiam por 28-25 aos 70 minutos. 
Só na bola de jogo, numa decisão muito polémica e decidida pelo TMO, o centro Tom Casson recebe uma bola de Monye em cima da linha de ensaio que, incrivelmente, lhe escapa das mãos mas ao que parece para trás. 
A bola bate no joelho, vai para a frente e Casson cai em cima da bola, ensaio! 
Final 28-31 e Quins de novo no topo da tabela. 

No último jogo da jornada Wasps receberam o London Welsh e os pontas dos da casa estiveram infernais. 
Wade e Varndell ensaiaram 2 vezes cada um e sempre com belo efeito.
 Varndell e Wade correram mais de meio campo num dos seus ensaios. 
McKenzie e Montanella ainda ensaiaram para os Welsh mas foi insuficente e os Wasps venceram sem espinhas por 29-19.

Tabela:

Championship
A Jornada 7 começou na 6ª feira com os líderes Newcastle a baterem os Rotherham Titans por 33-0, o pilar Jonny Golding comandou a equipa a partir da frente e garantiu o ponto bónus aos 50 minutos. 

No fundo da tabela o Doncaster conseguiu a sua primeira vitória frente a Moseley num jogo equilibrado, final 24-16.

No Sábado, Nottingham foi vencer com 5 ensaios a Plymouth e assegurou a 3ª posição fugindo ao 4º classificado que não venceu, final 22-31 e 5 pontos para Nottingham. 

A equipa das Ilhas de Jersey conseguiu, finalmente, a primeira vitória. Muito suado o encontro com dois amarelos para Jersey e um para o Scottish, o resultado de 20-17 aproxima Jersey do penúltimo classificado Doncaster.

No Domingo a surpreendente derrota de Bedford em Bristol que causam a surpresa da jornada. 
Confinados a apenas 13 pontos os de Bedford nem bónus defensivo conseguiram contra os 23 de Bristol. 

Também no Domingo o Leeds viajou quase toda a Inglaterra para visitar os Pirates e perder por 21-8. 

Os resultados de domingo “abrem” a liga e a classificação estando agora seis equipas separadas por apenas três pontos na esperança de chegar ao 4º lugar.

A Tabela:

Coventry RFC
Jacques Le Roux saiu do banco para participar num jogo muito equilibrado na visita ao Fylde. 
O equilíbrio era tal que ao intervalo somavam-se dois ensaios convertidos e uma penalidade para o empate a 17. 
A segunda parte calhou o azar desta vez ao Coventry a perder na bola de jogo. 
80 minutos e ensaio para o Fylde por Birchall, resultado final 22-20. O Coventry trocou de posição com o Fylde na tabela e desce para a 8ª posição.

* Texto: Ricardo Mouro
Quadros: www.itsrugby.co.uk
Fotos: http://news.bbc.co.uk e www.premiershiprugby.com

PRIMEIRONA DÁ MAIS DO MESMO NA FRENTE

Três vitórias bonificadas para cada uma das equipas, deixa a diferença de pontos marcados/sofridos determinar quem comanda a tabela, e aí o Évora leva a melhor sobre o Montemor, os dois grupos alentejanos que não cedem um centímetro no comando da Primeirona.

Os chaparros deveriam ter ido de viagem até Santarém, mas por acordo entre os clubes o encontro deu-se no Inferno dos Canaviais, onde o Évora se mostrou pleno de força e venceu por números que talvez se não esperassem - na verdade os 53-12 registados no final da partida, e os oito ensaios marcados contra apenas dois sofridos, foram um castigo muito pesado para os escalabitanos, que na sua época de subida à categoria, tinham conseguido dar uma melhor resposta ao seu adversário deste fim de semana.

Em Montemor os mouflons não deixaram os seus créditos por mãos alheias e derrotaram o Caldas por 43-7, assegurando todos os pontos de que necessitavam para se manterem igualados ao líder, adiando por algum tempo a decisão sobre quem se conseguirá isolar no comando e uma coisa ficou muito clara - na Frigideira poucos se vão dar bem...

A Lousã não deixou os seus créditos por mãos alheias na sua deslocação a Coimbra para defrontar a Agrária, excedeu as expectativas mais otimistas ao conseguir uma vitória bonificada por 36-10, incluindo a marcação de seis ensaios contra um sofrido, e subiu ao terceiro posto da tabela classificativa.

Finalmente no Algarve, uma tarde de festa que só não foi completa porque o Setúbal não facilitou a vida do Loulé, e trouxe de lá uma preciosa vitória por 27-26, assegurando aos visitantes a manutenção no grupo da frente, apesar de ter visto a Lousã fugir um ponto para a frente.
Os louletanos demonstraram que não vai ser fácil a vida de quem for jogar a Loulé, mostraram mesmo uma razoável capacidade ofensiva, ao marcarem um ensaio mais que os seus vitoriosos adversários, e ao registarem o bónus defensivo estrearam-se a pontuar na tabela e igualaram o Caldas com um ponto.

É curiosa a situação de empate entre as duas equipas, já que de acordo com o Regulamento Geral de Competições, e dado que as equipas ainda não jogaram entre si, o fator a considerar para ordenar as equipas, será o diferencial de pontos marcados/sofridos no geral, por cada uma delas.
Acontece que tanto Caldas como Loulé, apresentam um saldo negativo de 48 pontos, pelo que o desempate terá que ficar a cargo da menor pontuação punitiva entre as duas equipas.
E talvez fosse bom que a FPR esclarecesse convenientemente o que isto significa e como se aplica, já que, se neste caso não é importante e deve ficar resolvido na próxima jornada, se a situação se repetir no final da prova, vamos ter confusão.
Esperemos que os Boletins de Jogo façam o registo detalhado de todas as ocorrências (cartões vermelhos e amarelos) para que em caso de necessidade seja possível aplicar o que está regulamentado.

Vejam o quadro dos resultados e a classificação atualizada aqui

FOTOGRAFIAS, SITES E FACEBOOK

Sempre que publicamos um artigo aqui no Mão de Mestre, tentamos publicar uma ou mais fotos que correspondam ao que estamos a tratar, e que procuramos em especial no Facebook.
Assim fazemos no que diz respeito aos artigos da Primeirona, ou pelo menos tentamos fazer, já que, por exemplo esta semana, nenhum dos oito clubes envolvidos publicou uma única foto que nós conseguíssemos identificar e reproduzir - o que fazemos sempre com indicação do respetivo autor.
As únicas fotos que encontrámos foram do Agrária-Lousã, mas as fotos não são dos clubes e sim de dois particulares, Rui Costa e Albuquerque Afonso.

Vamos aproveitar para fazer um balanço da importância que os oito clubes da Primeirona dão à informação.

Notamos em primeiro lugar que responderam ao nosso pedido de informação para elaboração das Fichas de Clube as seguintes equipas - Agrária, Caldas, Évora e Loulé.

Seguidamente vamos ver como estão os links para os sites de cada clube:
Agrária - Ativo; Caldas - INATIVO; Évora - INATIVO; Loulé- Ativo mas sem informação alguma; Setúbal - Ativo, mas última notícia é de Dezembro de 2011; Santarém - Ativo mas última notícia dos seniores é de Março de 2012; Lousã - Ativo mas última notícia é de Junho de 2012, e ainda indica como último jogo o Lousã-CRAV de Março de 2012; Montemor - Ativo e atualizado, mas sem descrição de jogos nem fotografias, apenas Agenda e Resultados.

E vamos agora ver como estão as Páginas de cada um dos clubes no Facebook:
Agrária - Ativa com algumas fotos; Caldas - Ativa mas sem informação ou fotos atualizadas dos seniores; Évora - Ativa, recente e praticamente sem informação sobre os seniores A; Loulé - Não tem Página, apenas um Grupo com informações de interesse interno sem fotografias; Setúbal - Ativa com uma ou duas fotos relativamente recentes, mas nenhuma das duas últimas jornadas; Santarém - Ativa com informação atualizada, mas sem fotos; Lousã - Ativa com alguma, pouca, informação e sem fotos; Montemor - Ativa, atualizada mas sem fotos.

É um panorama desolador, que não aproveita os meios gratuitos que são postos à sua disposição para divulgar a sua atividade, nem para dar visibilidade aos seus patrocinadores.

O Montemor é quem melhor aproveita os meios que tem ao seu dispôr, nomeadamente com o acompanhamento ao vivo dos jogos da sua equipa senior. 
Apenas peca pela falta de imagens que possam ser difundidas.

Os clubes tem que começar a pensar que quem não é conhecido, não existe. 

Desafiamos todos a atualizarem as suas Páginas no Facebook, a arranjarem maneira de terem sempre fotos disponíveis dos seus jogos, logo após os mesmos - não é preciso muitas fotos, bastam algumas, mas atuais - e a manterem em dia as Agendas e os quadros de resultados das suas equipas.

Quanto aos sites, aconselhamos a que mantenham sites modestos, com informação institucional, se não puderem ou não tiverem matéria para os manter ativos diariamente - mas devem sim aproveitar o Facebook para manter a comunicação aberta entre os jogadores e sócios, e com o exterior.

Para os mais atrevidos, aconselhamos que mantenham relatos ao vivo dos jogos, via Página do Facebook, como faz o Montemor, ou a Agronomia.

Podem ainda ativar contas no Twitter e conectá-las à Página do Facebook ou ao site, automaticamente

Para quem estiver interessado o Mão de Mestre pode dar uma ajuda, em termos a estabelecer...

Fotos: Albuquerque Afonso e Rui Costa

28 de outubro de 2012

PÉ CERTEIRO DE GIRÃO DISTANCIA CDUL NO TOPO *


O encontro grande da 5.ª jornada da DH que colocava frente-a-frente os dois primeiros da classificação terminou com o triunfo do líder CDUL, que venceu Direito por 15-14 num jogo de um ensaio só e onde o 3.ª linha Tiago Girão vestiu a pele de herói. 
Acidental? 
John Eales não desdenharia alguns dos cinco pontapés que o internacional português conseguiu meter.

LOBITOS SUPERAM RÚSSIA *

Vencendo a Rússia por 14-8 a seleção nacional Sub-19 ultrapassa primeiro obstáculo na caminhada para a qualificação para o Troféu Mundial, estando a um passo apenas da final decisiva que terá lugar no próximo sábado.

A vitória de hoje foi construído com base numa defesa sólida, e no aproveitamento das oportunidades que nos permitiram pontuar, com Nuno Guedes a marcar um ensaio e Pedro Ávila uma penalidade ainda na primeira parte, que terminou com Portugal no comando do marcador com 8-3.

Os russos reagiram no segundo tempo e chegaram à igualdade, que apenas foi quebrada com duas penalidades transformadas por Pedro Ávila e Nuno Guedes, e que levaram a equipa ao triunfo.


Com este resultado Portugal fica na frente do Grupo B, enquanto no Grupo A a Geórgia é líder depois de bater a Espanha por 31-13, com 17-8 ao intervalo.

Apesar da boa resistência dos espanhóis, a Geórgia foi sempre superior e a sua vitória não oferece qualquer contestação.

A partida até começou bem para a Espanha, que aos 15 minutos ganhava por 5-3 e chegou mesmo aos 8-3 com a obtenção de um drop, mas a Geórgia reagiu bem e antes do intervalo marcou dois ensaios transformados.


Na segunda parte manteve-se o cariz do jogo, com os Lelitos a marcarem mais dois ensaios com a respectiva transformação, contra um toque na meta dos cachorros del León.

Mais uma vez não existe qualquer informação disponível quer no site da FPR, quer no site da FIRA-AER sobre este jogo, apenas o seu resultado, pelo que não podemos apresentar o respetivo boletim do jogo, e ficamos apenas com o quadro dos resultados e classificação dos dois grupos, bem como a ordem dos jogos que se seguem. (Boletim de jogo incluído em 2012102814,00 h)





* Texto corrigido (no que diz respeito aos marcadores de pontos) e acrescentado (Boletim de Jogo), após disponibilização das informações pela FIRA-AER. Segundo responsável da organização, o atraso na publicação ficou a  dever-se a um problema surgido com a ligação à internet, no local onde está instalada a sede da mesma organização.

Fotos: Miguel Rodrigues

SELEÇÃO SUB-18 VENCE E DÁ PASSO IMPORTANTE PARA QUALIFICAÇÃO *

Uma vitória sobre a Bélgica por 38-10 deixou os nossos Sub-18 numa excelente posição para conseguir o objetivo principal da sua participação no Torneio de Qualificação, para o que lhe basta agora derrotar a Alemanha na próxima terça-feira.

A vitória de hoje foi um passo de extrema importância e a qualidade com que os nossos jovens se comportaram faz-nos encarar o segundo encontro com otimismo.

Mostrando uma boa capacidade de concretização a seleção nacional marcou cinco ensaios, sofrendo apenas dois, mas os dois cartões amarelos com que fomos castigados levantam algumas preocupações - os jogadores precisam de entender que o trabalho de meses pode ser posto em causa por um ato irrefletido.


Os ensaios nacionais foram marcados por Luis Lobato, João Antunes (2), Pedro Rosa e Rodrigo Carvalho, enquanto as duas transformações  e as três penalidades conseguidas ficaram por conta de João Leitão.

No outro jogo do escalão a Geórgia atropelou a Alemanha por 50-13, e, como Portugal, parece bem encaminhada para chegar invicta ao último dia da prova.

Fique apenas com o quadro dos resultados e a classificação, já que não é possível apresentar o boletim do jogo que não se encontra disponível nem no site da FPR, nem no site da FIRA-AER.



* - Texto corrigido acrescentado (Boletim de Jogo), após disponibilização das informações pela FIRA-AER. Segundo responsável da organização, o atraso na publicação ficou a  dever-se a um problema surgido com a ligação à internet, no local onde está instalada a sede da mesma organização.

Fotos: António Simões dos Santos

TOULON ARRASA E CLERMONT SOFRE MAS NÃO DESCOLA

Com uma devastadora vitória por 59-0 o Toulon deixou o Bayonne um pouco mais no fundo da tabela e continua isolado na liderança agora com mais cinco pontos que o segundo classificado, que é o Clermont de Julien Bardy.

A equipa do internacional português sofreu bastante para conseguir derrotar o Biarritz por 19-12, permitindo o ponto de bónus aos bascos, e perdendo um ponto para o Toulon por ter falhado o bónus de ataque, mas assegurando a passagem isolado ao segundo posto da classificação, ultrapassando o Toulouse, que perdeu o ritmo e não conseguiu mais que um bónus defensivo frente ao Stade Français, saindo derrotado por 28-24.

O Montpellier venceu o Grenoble por 23-6 e manteve a quarta posição, enquanto os vencidos do dia desceram ao sexto posto, o último que dá acesso aos play off finais, enquanto o Castres foi a Agen ganhar por 22-14, conservando o quarto lugar e deixando a equipa da casa na 13ª posição.

O Perpignan conquistou preciosos pontos ao derrotar o Racing por 17-13, e ficou com o mesmo número de pontos que o seu adversário do dia e também do Biarritz, enquanto o Mont de Marsan continua a sua descida ao abismo com mais uma derrota (a nona em nove jornadas...), desta feita perante o Bordeaux por 12-17, mas conseguindo o seu segundo ponto na tabela.

Fique com o quadro dos resultados, a classificação e os jogos do próximo fim de semana:




27 de outubro de 2012

BRASIL DÁ PRIMEIRO PASSO NA CAMINHADA PARA LONDRES

A caminhada Sul Americana para Londres já começou há algum tempo, mas só agora o Brasil foi chamado a participar na mesma, contra um velho inimigo, mas com a vantagem de jogar em casa.

Amanhã, às 13,30 em São Paulo, no Estádio do Nacional Atlético Clube, os Tupis vão defrontar Os Jacarés naquele que é, provavelmente o mais importante jogo da história do Brasil.

Pode parecer exagero, o Brasil já participou em anteriores qualificativos para outros Mundiais, e disputa todos os anos o Sul Americano de rugby.

Mas a verdade é que nunca antes os brasileiros se apresentaram com a força de um plano estratégico por trás, que tem em consideração não apenas o agora, mas, sobretudo, tem os olhos postos no futuro.

Com o fundamental apoio e aconselhamento da Federação de Rugby de Canterbury e dos Crusaders, a CBRu encetou um percurso que só pode dar bons resultados. Independentemente de você achar que este  seja o melhor caminho, porque uma coisa é certa: mais vale um plano menos bom que plano nenhum!

E a verdade é que o plano da CBRu tem dado indicações de ser bem mais que menos bom!

O caminho até Londres é longo, mas se o Brasil ultrapassar este primeiro obstáculo, a verdade é que a via para o futuro fica em aberto.

A primeira parte do apuramento da Zona América do Sul (CONSUR) para o Mundial de 2015 já começou, como dissemos acima, e este é o ponto da situação:

Como pode ver, o apuramento da zona América passou já pelo apuramento de um representante da NACRA (Bermudas) e um outro do torneio da CONSUR B, o Paraguai, que se defrontaram tendo os Jacarés saído vencedores, e por isso, estão agora no Brasil, para defrontar o último classificado no torneio CONSUR A.

Caso a vitória pertença aos Tupis, como se espera, a longa caminhada até Londres vai passar, primeiro, pelo Torneio Sul Americano, em que o vencedor de amanhã defronta o Chile, o Uruguai e a Argentina.

Mas, como a Argentina está previamente apurada para 2015, será o melhor classificado do CONSUR B, sem contar com os Pumas, que avançará para uma nova plataforma.

Como noutras situações, os países de origem britânica são largamente beneficiados no mundo do rugby, a aqui, mais uma vez, isso acontece, quando entre dois litigantes um tem acesso direto ao Mundial, e ao outro é dada uma segunda possibilidade de apuramento, antes de chegar à zona de repescagem, em contraste com o que se passa com as equipas sul americanas.

Repare que basta a um dos representantes norte americanos perder dois jogos para entrar na zona de repescagem, enquanto um representante do sul terá que vencer a CONSUR B, depois derrotar o representante da NACRA e Caraíbas, depois discutir com o último do CONSUR A do último ano, um lugar na CONSUR A deste ano, que terá que ganhar, antes de se encontrar com um perdedor folgado do norte do continente.

Assim, entre Estados Unidos e Canadá, um vai direto para Londres, enquanto o outro vai discutir com uma equipa que já disputou quatro fases de apuramento, se vai direto também, ou se tem que ir à repescagem..

Mas uma coisa podem ter a certeza - isto vai mudar muito em breve, porque os brasileiros, assim que conseguirem atingir o nível (Tier) 2 da IRB, não vão baixar a cabeça e engolir todas as patranhas que os britânicos lhes pretendam enfiar goelas abaixo.

Amanhã às 13,30 horas de São Paulo (18,30 de Lisboa) a primeira cartada será lançada, e o Brasil parte - com toda a certeza - como grande favorito!

26 de outubro de 2012

LOBITOS A CAMINHO DO TROPHY?

Só a vitória tem prémio, no Campeonato da Europa de Sub-19, já que apenas o vencedor se qualifica para disputar o Troféu Mundial que se disputa no Chile, a partir de 28 de Maio de 2013.

Este Troféu Mundial (Junior World Rugby Trophy), é uma competição intermédia entre os campeonatos regionais (Europa, África, Ásia, América do Sul, América do Norte e Oceania) e o Campeonato do Mundo de Juniores.

O Campeonato do Mundo (Junior World Championship) foi disputado pela primeira vez em 2008 por 16 equipas, e reduzido a 12 participantes em 2010, e pela primeira vez em 2012, o vencedor não foi a Nova Zelândia mas sim a África do Sul, que interrompeu a longa série de vitórias dos Junior All Blacks.

Para dar um pouco a noção do valor deste Campeonato, note-se que jogadores de grande reconhecimento internacional como Quade Cooper, David Pocock, Ben Youngs, Leigh Halfpenny, Kurtley Beale, Pat Lambie, Zac Guildford, Sam Warburton, Mathieu Bastareaud, Courtney Lawes e Sione Vaiomounga, entre muitos outros, deram os seus primeiros passos no cenário internacional, precisamente nele.


Entre o Campeonato do Mundo e o Troféu Mundial existe uma forte relação, já que o vencedor do Troféu substitui anualmente o último classificado do Campeonato, como acontece neste ano em que o vencedor da segunda competição, os Estados Unidos, vão substituir o lanterna vermelha da mais importante, a Itália.

Veja como se desenrolou o JWC nos seus cinco anos de vida:

No que diz respeito ao Trophy, já as coisas funcionam de modo diferente, e em cada ano as oito equipas que o disputam são encontradas juntando á equipa do país organizador, aquela que desceu do Campeonato, e os classificados em cada uma das seis regiões que referimos no princípio deste texto.

Assim, em 2013 a prova será disputada pelo Chile (país organizador), a Itália (que desceu do Campeonato), o Japão (vencedor do apuramento da zona Ásia), o Uruguai (apesar de ter perdido a final do apuramento da zona América do Sul para o Chile por 33-22), a Namíbia (vencedora da zona África), os que forem apurados na Oceania, América do Norte e Europa.

Veja o quadro das edições do JWT

Como se pode ver, as duas equipas europeias que estiveram presentes no ano passado foram a Geórgia (4º lugar e 3 participações) e a Rússia (8º lugar e 3 participações). 
Em anos anteriores participaram também a Itália (1º lugar em 2010 e 1 participação) e a Roménia (3 participações com 1 primeiro lugar em 2009).
E é neste enquadramento que se encontra o Campeonato da Europa de Sub-19 (qualificativo da região), já que o seu vencedor estará, no próximo ano, a disputar o Troféu Mundial - note-se que o JWT é disputado no escalão Sub-20, ou seja, todos os que estiverem no apuramento, poderão jogar na Troféu do ano seguinte.

Agora, com base no Jamor, as seis equipas candidatas foram divididas em dois Grupos, tendo Portugal ficado num mesmo grupo que Rússia e Bélgica, e a Geórgia, Espanha e Roménia no outro.
Os dois primeiros dias correspondem aos jogos dentro de cada Grupo, e no último dia - 3 de Novembro - o primeiro de um grupo defronta o primeiro do outro para atribuição do tão desejado título e passaporte para o Chile, o mesmo acontecendo com os segundos (disputam o 3 e 4º lugar) e terceiros (5º e 6º lugares).


Amanhã, às 17 horas, logo a seguir ao jogo dos Sub-18 contra a Bélgica, os Lobitos vão defrontar a Rússia, e você, mesmo que tenha outras cosias para fazer, desmarque seja o que for e vá até ao Estádio Nacional - os putos precisam de si!

Será este o ano de Portugal?
A crer nas palavras do capitão da equipa, Vasco Fragoso Mendes, conhecedor das dificuldades que a concorrência vai levantar, que afirma que todos vão fazer o melhor para conseguirem o título de campeões europeus, a tarefa não vai ser nada fácil, mas a presença e incentivo do público português que, estamos certos, vai acorrer em grande número, será, sem dúvida um apoio extra.