25 de maio de 2012

TEMPO DE LIMPAR ARMAS PARA A GRANDE BATALHA FINAL


COMPLETA-SE AMANHÃ A SEXTA E DERRADEIRA JORNADA da ‘final four’ da Divisão de Honra, que pouco já tem para definir. 

Conhecem-se os adversários para a final do próximo sábado, CDUL e Agronomia, e as restantes posições entre o 3.º e o 6.º lugares também já têm dono. 

Só falta mesmo saber, ente Benfica e Técnico, qual dos dois desce de divisão por troca com o Dramático de Cascais. Mas caso os “engenheiros” se salvassem seria caso para passarmos a acreditar em milagres. Que estão pela hora da morte…  
           
Com a final do Jamor já a preencher todos os pensamentos de universitários e agrónomos, as duas partidas de amanhã relativas ao grupo do título servirão como compasso de espera, repouso ativo e igualmente de afinação dos quinzes finalistas que irão decidir entre si o 54.º título nacional. 

Será um tempo de limpar armas, ajustar capacetes, verificar munições e descansar tropas. 

Ou seja, numa abordagem compreensível, inteligente e pragmática de onde estamos e do que há para ganhar, os responsáveis técnicos apostam em recuperar jogadores tocados possibilitando-lhes mais tempo para cuidar mazelas, e em dar possibilidade a atletas menos utilizados ao longo da época de mostrarem serviço, provando que merecem participar na grande festa que constituirá o jogo do próximo sábado, no Campo de Honra do Estádio Nacional, pelas 16.00.   

Em Monsanto despede-se o tricampeão Direito frente ao CDUL num jogo onde os adeptos advogados vão igualmente dizer adeus a um dos seus mais carismáticos jogadores: o 2.ª linha internacional (e esta época capitão dos Lobos) Gonçalo Uva, que fará a sua última partida antes de abalar para o Narbonne, clube da PRO D2 que irá representar nos próximos dois anos.

O CDUL, que já ali perdeu na fase inicial (31-22), irá alinhar sem diversos titulares – terão folga toda a 3.ª linha, David dos Reis, Júnior, Frederico Oliveira e Carl Murray –, dando a vários atletas a última possibilidade de provarem o seu valor. 

E que melhor teste poderiam ter do que alinhar, sem demasiada pressão, frente a um quinze recheado de internacionais?   

Agronomia recebe a Académica na Tapada, fazendo também gestão do plantel – Cardoso Pinto, Le Roux, Hoffman e José Lima, entre outros, assistirão da bancada – frente a uma equipa que lhe deu algum trabalho bater na fase inicial e que igualmente derrotou na final da Taça de Portugal.  

Mas essa era “outra” Académica: pujante, atlética e recheada de esperança, bem distante do quinze bisonho que tão mal se portou nesta fase decisiva e que só na passada jornada deu um ar da sua graça ao vir a Lisboa vergar Direito.

E quando referíamos “quinze” a expressão não é inocente, pois é mesmo esse o número exato de jogadores com que os “pretos” se deslocam à Ajuda – e só três homens da 1.ª linha, pelo que se aceitam apostas ao fim de quantos minutos as mêlées vão deixar de ser disputadas…. – num fim de época que tem que fazer acordar consciências na Lusa Atenas.

No grupo da permanência, o Benfica recebe o CDUP e sabe que até pode perder, desde que o Técnico não bata nas Olaias o invencível Belenenses. 

Ora os anteriores encontros entre as duas equipas nesta temporada registaram somente triunfos azuis por 55-8, 45-0 (nas Olaias) e 98-17, num total de 31-4 em ensaios. 
Ou seja, mesmo para um “engenheiro râguebista desde pequenino e muito, mas mesmo muito, devoto”, a tarefa roça o inimaginável.

Mas se alguém ainda acredita em milagres, então passe pelas Olaias a partir das 15. 00 horas, quando se irão iniciar simultaneamente todos os jogos desta derradeira jornada. 

E exceto para CDUL e Agronomia, resta-me desejar boas férias para todos!

Fique com as fichas dos jogos


 Texto: António Henriques
Foto: Miguel Rodrigues

64 comentários:

Anónimo disse...

Penoso e confrangedor o fim de época da AAC.

Anónimo disse...

Mais importante do que a despedida do Gonçalo Uva é a despedida do Grande e Único Eduardo Acosta. O grande guerreiro do clube da selecção e o eterno titã que ficará para sempre nos nossos corações.

Abraço e um grande obrigado Edu pelo teu serviço prestado

Anónimo disse...

esta situaçao da academica é inacreditavel. Uma equipa que volta a chegar a fase final em muitos anos e que se quer afirmar como um "grande" não pode ter este tipo de atitude! é uma falta de respeito para com o adversario, o publico e os XV que vão jogar. Isto só descredibiliza o clube. Na segunda divisão compreendo, na primeira excepcionalmente, agora na divisao de honra não sabia que acontecia!

Anónimo disse...

Muitos alertas ao longo da época li eu no Meloal dos Pretos, chamando a atenção para os desmandos organizativos dos Pretos.Os comentários, alguns de alguns dirigentes pareceu-me, foram sempre no sentido de tapar o sol com a peneira. Afinal o gajo do Meloal, ou gaja sei lá, tava coberto de razão.

Anónimo disse...

força tecnico força pessanha agora sim o tecnico tem um presi.
abraço do eixo de lx

Anónimo disse...

O pessoal devia era dar os parabéns aos "espertos" da Académica. Nãonfosse a nova tática deles e teriam levado mais 50 do Direito. Assim não há meles, o pessoal nãonse cansa muito, o adversário vai fazendo umas faltas e eles afinfam-lhe com uns quantos pontapés e vencem o jogo. Por outro lado os adversários pensam que estão a jogar a feijões e cagam naquela trampa toda. Parabéns directores e treinadores de Coimbra. Agora só falta pintarem a cara de preto.

Anónimo disse...

Os regulamentos deviam ser mudados. Na DH quem não apresentar pelo menos 5 jogadores de 1ª linha deve levar falta de comparência.

Anónimo disse...

Que frustração deve ter o MdM. Depois de apresentar um plano bem estruturado para as competições nacionais em que tratava as equipas da D H com o nivel que ele pensava que o rugby português já tinha, eis senão que a Académica se comporta como um clube menos "profissional" que qualquer dos que disputaram a segundona. É uma tristeza. Depois venham-se queixar e insultar aqueles que por todo o país sem qualquer apoio oficial e muito menos federativo lutam para cumprir com alguma dignidade os jogos que disputam. A porta foi aberta para os principais jogos da D H serem disputados como os convívios entre miúdos. Nada de força nas meles e no final vamos beber uns copos. Quando o MdM cai na esparrela

Anónimo disse...

A lesão dum primeira linha da Académica dá-se aos quantos minutos? Aceitam-se apostas. Eu dou o primeiro palpite: 12 minutos.

Anónimo disse...

Hoje será o meu ultimo jogo da carreira de um grande jogador. Ganhou títulos, fez grandes exibições no Direito e na selecção nacional, mas acima de tudo ganhou o respeito do mundo oval. Adeptos, adversarios, colegas, todos lhe reconhecem humildade, entrega, alma, coração e uma qualidade imensa.
Será um dos melhores jogadores que por cá passaram, hoje é a despedida de EDUARDO ACOSTA.

Manuel Cabral disse...

Tratar de assuntos sérios com ironia não ajuda a compreender as situações nem a resolver os problemas e pode ter resultados perversos...
Mas reconheço que tenho que te agradecer a afirmação que aquilo que aqui tem sido dito é um plano bem estruturado para as competições nacionais.
O que eu não entendo é em que medida o que se está a passar com a Académica contraria esse tal plano, como tu insinuas, como eu caí na esparrela...
Será que insinuas que a ideia de alargamento das divisões é contrariado pela situação dos pretos?
Se assim for explica-me então para quantas equipas pretendes ver a DH reduzida - coisa aliás que desconfio ser a posição definitiva da própria FPR?
Para seis? Mas então não vais resolver o problema Académica, já que ela continua a estar entre os seis...
Ah, já sei, reduzes para quatro!
Mas...espera lá, continuas a não resolver o problema Académica, já que ela continua entre os quatro melhores...
Pronto, está bem, reduzimos para três e fica o assunto resolvido!
Estou de acordo e apoio - fora com a Académica que só incomoda! - e jogamos a DH entre Monsanto, a Tapada e o Universitário de Lisboa, e os palcos europeus da Amlin Challenge Cup, quiça da Heineken Cup!
Viva a Europa - nós estamos contigo!

Anónimo disse...

Parece que vai haver um terramoto de grau 10, como o Manuel Cabral previu a semana passada, em relação ao jogo Agronomia x Académica.

Manuel Cabral disse...

Não me lembro de ter feito qualquer previsão meteorológica...

Anónimo disse...

Está a falar dos Pretos, da grande Académica de Coimbra. Que mesmo só com XV, vai jogar contra a equipa da Tapada. Deviam respeitar mais esses XV que fazem de muito pela equipa do que mandar palpites de lesões. Mas no final do jogo, vimos quem tem razão.

Anónimo disse...

Peço desculpa. Foi o António Henriques.

Anónimo disse...

ainda a proposito da cronica lamechas e miserabilista que o Manel Cabral escreveu sobre as relacoes desportivas com o Brasil, fica aqui mais uma informacao para mostrar o desproposito do tom "pobrezinho" do cronista: Argentina 110 - Brasil 0
still some way to go, no?

Anónimo disse...

Quem falou em reduzir a D H pela espertice dos pretos. Nada disso. O que à que fazer é penalizar quem numa DH utiliza esquemas desses que em nada dignificam a modalidade

Manuel Cabral disse...

Chama-se ANALFABETO FUNCIONAL àquele que lê, mas não consegue entender o que leu...

Anónimo disse...

Acabei de saber que a Académica venceu em Monsanto uma Agronomia sem alguns titulares. Li os comentários referentes ao facto da equipa de Coimbra jogar apenas com 15 jogadores mas julgo que isso não tira qualquer valor às 2 vitórias alcançadas em Lisboa nos 2´últimos jogos frente a Direito e Agronomia. Sei que a equipa apresenta graves probelemas momentâneos a nível da sua 1ª linha e também sei que hoje apenas 2 dos jogadores que alinharam na frente da melêe estavam em condições físicas para o fazer. O David Martins jogou 70 minutos lesionado e ainda assim só saiu nos últimos 10. Dos possíveis jogadores que poderiam alinhar nestas posições o Luís Carvalho está castigado, o João Cardoso, Rui Cordeiro e João Costa encontram-se lesionados. Por tudo isto não vale a pena procurarem desculpas, ao jogar sem força na FO a Académioca passou a jogar apenas com 14 jogadores, basta referir ainda o facto dos seus adversários terem tido a possibilidade de fazer entrar em campo 7 jogadores fresquinhos e os pretos não terem tido a possibilidade de fazer qualquer substituição.

Anónimo disse...

resultados de hoje

Anónimo disse...

Parece que houve um terramoto de grau 10 na Tapada.

Anónimo disse...

PARABENS PRETOS!! SAO OS MAIORES! PARA O ANO O CAMPEONATO É NOSSO

Anónimo disse...

Terramoto. Jogaram contra os BB da Agronomia e sem força nas melés. Chama-se a isto abandalhar o rugby. No próximo ano vai ser bonita a brincadeira. E ainda querem que os clubes tenham equipas Sub-21 quando nem esses, que já são seniores põem a jogar.

Anónimo disse...

Ahahahah terramoto, estao a brincar certo?? A Academica que tenha vergonha na cara, e os seus adeptos antes de falarem pensem antes no que acontecem dentro daquele campo, isto vai ser capa do correio da manha " ACADEMICA GANHA Á "EQUIPA B" DA AGRO, NINGUEM ESPERAVA , TERRAMORO DE GRAU 10" pompem-me e tenhao vergonha na cara AAC

Anónimo disse...

Pelos vistos algo não está bem contado. Ou os Pretos estão cheios de chico-espertisse como alguns iluminados aqui exscreveram já ou então quem anda a jogar a feijões são os nossos adversários de Lisboa. Cuidem-se. Não atirem pedras ao vizinho quando os vossos telhados são de vidro. Os condicionalismos a que está sujeita a Académica são próprios duma equipa em fase de mudança, de jogadores cansados e de opções técnicas erradas. Nada que não aconteça entre todos os clubes do nosso panorama nacional. Mas os 44-22 resultado final do Jogo de hoje, revela que algo não está bem contado. Foi a técnica usada pelos pretos que funcionou ou a falta de técnica do adversário que se revelou. Mordam a lingua antes de dizer bacoradas acerca dos Pretos.

Meloal dos Pretos disse...

E os bravos, apesar das bocas foleiras dos adeptos dos clubes da capital, apesar das dificuldades fisicas de alguns jogadores em campo, caso do David Martins, ganharam ao Agronomia por margem expressiva, num jogo que não desmereceu, face a todas estas circunstâncias anómalas.


E nem o comentário desprestigiante dos adeptos da Tapada, de que os Pretos terão jogado com a equipa B do Agronomia, serve de atenuante para uma equipa que, podendo substituir 7 elementos da equipa, fresquinhos, jogando contra 15 esforçados e desgastados Pretos, retira mérito a esta vitótria.


Ou a estratégia dos Pretos resultou e fez mossas, apesar de eu não acreditar que tenha sido o caso, ou a prepotência e arrogância dos nossos adversários destes dois últimos jogos revelou a sua real incapacidade para jogar a sério e com armas capazes de levar de vencida a Académica.


Quero crer que foi a garra e o espírito de sacríficio dos Pretos que levou a melhor. E como diz o povo, vozes de burro não chegam ao céu... pelo que os adeptos do Direito e do Agronomia podem continuar a gritar que não lhes reconhecemos razão e credibilidade... não nos julguem para não serdes julgados...


Pretos sempre.

Anónimo disse...

3 + 4 = 7. Se é assim, alguém devia ter explicado aos dirigentes da AAC que quem só tem 7 jogadores a poderem jogar na 1ª linha não deve inscrever 2 equipas (principal e Sub21). Se a isso somarmos que esse clube comprou 6 ou 7 estrangeiros temos uma situação completamente ridícula. Haver quem ainda a defenda e elogie o "projecto" dos dirigentes só serve para mostrar que o rugby português entrou num beco sem saída.

Anónimo disse...

Com duas vitórias contra os meninos do Direito e do Agronomia... São os Pretos que são bons ou vocês que não prestam?

Anónimo disse...

Isto faz lembrar o União de Leiria no futebol. E a brincadeira é paga com o dinheiro dos nossos impostos.

Anónimo disse...

BBs dde Agronomia? Pela equipa acima publicada faltariam 4? Estou errado? Esclarece me sff.

Anónimo disse...

Vergonha para a Académica?Ou para Agronomia que contra 15 que parece acabaram 14 levou cabazada.

Anónimo disse...

Desculpas de mau perdedor...

Anónimo disse...

Esta totalmente errado/a, foram as melles que ganharam , pelo menos tiveram um tempinho para descansar nao foi??

Anónimo disse...

Uma equipa que ganhou a taça nos Sub-21 (que são jogadores seniores) e não os põe a jogar o que é se não o abandalhamento total do rugby. Para o próximo ano todas as equipas que não tenham o plantel completo só têm que se apresentar com 15 e depois não disputarem as meles que é onde SE GANHAM JOGOS. Golpistas. Os agrônomos deviam pura e simplesmente abandonar o terreno para não colaborarem com fantochadas.

Anónimo disse...

Mas o União de Leiria ao menos apresentou os juniores.

Anónimo disse...

Tiveste 7 substituições frescas para ganhar o jogo... não esiste equipa técnica no teu clube? Não falam uns com os outros? Perderam e perderam bem... como ou sem mêllês, estavam 2 equipas em campo, uma mais descansada que outra. O rugby joga-se tambem com cabeça

Anónimo disse...

Sem ovos não se fazem omeletes... e em sua casa cada um é rei... o teu clube tambem tem apresentado estratégias algo rebuscadas seguramente e não te tens preocupado com isso. Alem do mais, não entendo a fobia de teres jogado contra 15 e depois 14. Tinhas tudo, tal como o Direito, para ganhar o jogo. Vocês deram foi o jogo como ganho antecipadamente e morreram com o vosso próprio veneno. E, convenhamos, e não falo pela equipa técnica ou pelos dirigentes da Académica, não faço parte de um nem de outro, quem faz a gestão das equipas deve saber o que faz. Em campo, os 15 de cada lado deviam saber tambem o que fazer durante 80 minutos. O que pelos vistos não foi o vosso caso e do Direito.

Anónimo disse...

os jogos ganham-se dentro do campo, a jogar com cabeça que foi o que vocelências nao fizeram, mesmo com 22. Como diz o outro.... jogasses

Anónimo disse...

Que febre assanhada contra os pretos agora... estes queques da capital deviam olhar-se ao espelho... andam a época toda a ganhar jogos com ajuda externa e agora que pensavam que estes eram favas contadas soltam a sua frustração e a sua raiva... joguem rugby meninos. Temos cá um clube que sabe do jogo do melão, venham até cá aprender.

Anónimo disse...

É por essas golpeadas que não passam da cepa torta. Próximo ano mais uns quantos sub-21 vos vão mandar à outra parte.

Anónimo disse...

Concordo e sou do Agronomia. Hoje pensamos que tinhamos a vida facilitada e iamos jogar a feijoes. Saimos com o rabo entre as pernas e acho que foi bem merecida a derrota. Talvez sirva para aviso a uns quantos entendidos que pensam que o rugby se joga na secretaria e nas conversas de bastidores.

Anónimo disse...

Não sejas merdoso pá. Sou sub21 e não vou mandar a Académica a outra parte. Por muitos erros que se tenham cometido este ano, de certeza que se vão resolver. Ainda vais engolir essas palavras.

Anónimo disse...

É só dor de cotovelo. Deixem-se de cenas e aceitem que perderam e bem. E só começamos a falhar nas mellés quando vocês já estavam a ser entalados e a perder e bem. Só deixamos de disputar as mellés a cerca de 20 minutos do fim e pouco antes de ficarmos com 14.Não arranjem desculpas.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Anónimo disse...

E do Benfica e Tecnico ninguem diz nada? Ouvi dizer que na semana passado jogou um Sub-18 de primeiro ano, e este fim de semana voltou a jogar pelo Benfica... Será verdade?

Manuel Cabral disse...

ATENÇÃO
Estas caixas de comentários destinam-se em exclusivo à discussão das matérias que são tratadas nas postagens.
É escusado continuarem a insistir em insultos, insinuações, afirmações não confirmadas e lesivas da honra de outros, e limitem-se aos assuntos que nos dizem respeito.
TODOS os comentários que, mesmo parcialmente, se afastem dos assuntos que digam respeito às postagens, continuarão a ser liminarmente eliminados.

Manuel Cabral disse...

Ouviste dizer? e quem te disse? onde te disse? como te disse? e tens provas que o que te disseram é verdade? ou não passas de mais um provocador de meia tigela?
Acabem com esta linha de raciocínio (?), portem-se como homens!

Anónimo disse...

Caro Manuel Cabral,

Os critérios de publicação de comentários são os que o manuel decidir como é evidente, mas qual é o interesse de comentários em que se insultam pessoas por serem duma determinada localidade (quase sempre a mesma, aliás)?

Pedro Saragoça Martins

Anónimo disse...

Competitividade um tema actualmente. Post publicado no MdM em 30 de Marco. Leiam-no e depois do que a Académica fez digam se o,MdM não anda noutro mundo. De que vale falar de tantas e tantas propostas se naquilonque é tãonelementar como apresentar 22 jogadores num jogo da principal divisão portuguesa se falha. 50 atletas inscritos nos seniores. Oh Sr. Manuel Cabral por onde é que tem andado? O que se passou com a Académica na fase final fez voltar o rugby aos anos 80. Acabe-se com o campeonato rapidamente este ano que isto é um verdadeiro pesadelo. 22-44 na penúltima jornada entre dois clubes com tradições devia levara que se investigasse orquestra se passou. Jogos sem meles só nos miúdos ou no Ruanda. Que respeito devemos ter por esta modalidade?

Manuel Cabral disse...

Leste mas não entendeste...Chama-se a isso Analfabetismo Funcional...

Para facilitar a vida dos interessados aqui fica o link para esse post, que mais não foi que uma reprodução de um outro publicado em 2011, e cujo título é Competitividade - Um tema atual:
http://www.maodemestre.com/2012/03/competitividade-um-tema-atual.html#more

E para te ajudar a entender onde tenho andado, o que se diz no artigo é que NÃO EXISTEM CONDIÇÕES EM PORTUGAL PARA PRETENDER MAIS COMPETITIVIDADE, já que ...e listam-se uma série de fatores, tais como:
Como se pode pretender ter uma Divisão verdadeiramente competitiva quando alguns dos seus clubes não são capazes de manter as equipas que se dispõem a apresentar nos diversos escalões, em acção e sem faltarem aos seus compromissos?

Ou seja, o ponto de vista defendido diz que não vale a pena reduzir a DH, para ter competitividade, diz que não há condições para ambicionar disputar a Challenge Cup, diz que há muito trabalho a fazer nos clubes, antes de pensar em voos mais altos...

É como certas pessoas que não são capazes de interpretar o que está escrito, mas depois perguntam por onde os outros têm andado...

Já agora, e a propósito do jogo Agronomia-Académica, não entendo tanto barulho...A Académica cometeu alguma irregularidade? Alguma coisa proíbe uma equipa de só apresentar 15 jogadores?
E segundo os relatos que ouvi, só a meio da segunda parte as formações passaram a ser do tipo não disputado - o que, além do mais, não é proibido e é contemplado na Lei e nos Regulamentos... - mas a Académica esteve a ganhar quase desde o princípio...
Porquê então tanta irritação?

E em relação ao teu anónimo comentário não entendo o que queres dizer com "investigar o que se passou" com um resultado de 22-44 (foram 26-44) na penúltima jornada...Bem achas que é importante ter sido na penúltima jornada? Eu pensava que tinha sido na última jornada, e uma diferença de 18 pontos é assim tão esquisita?
Porque então vamos ter que investigar o que se passou, entre muitos outros, com o resultado do Agronomia-CDUL (19-40) da 2ª jornada, ou o Direito-CDUL (21-41) de ontem mesmo...

Manuel Cabral disse...

Tive conhecimento neste momento, que nos Sub-21, o Cascais deu falta de comparência no jogo Cascais-CDUP, a disputar na Guia...
O que mais razão dá ao que escrevi na postagem referida no comentário anterior...
A grande prioridade do rugby nacional é conseguir que haja um lote alargado de clubes com consistência, e essa consistência começa na organização...
Organização dos clubes, organização da federação...

Anónimo disse...

Na minha opinião, nem uma melhor organização dos clubes e da federação impedirá que o rugby português desça ainda mais baixo, se a campeonite dos dirigentes (já não podemos ganhar, então não vale a pena irmos ao jogo) não for substituída pelo brio. Quem tem brio não dá faltas de comparência a não ser em situações muito excepcionais e que nada têm a haver com ainda se poder ganhar ou não um campeonato.

Anónimo disse...

Reconheço que interpretei mal o tal artigo e se calhar só o meu erro permitiu que o viesse recolocar na agenda. Só por isso valeu a pena. Não o quiz ofender. Já agora que diz que não foi a penúltima jornada do can
Mpeonato, mas sim a ultima, diga- me portanto quem é o campeão nacional 2011-2012. OPS. Todos temos lapsos.

Anónimo disse...

Um profundo obrigado a Grenho e companhia pelo que fizeram pelo meu clube ao longo de tantos anos! Abraço a todos, MT
http://aovivo.slbenfica.pt/Noticias/DetalhedeNoticia/tabid/790/ArticleId/22913/language/pt-PT/Benfica-vence-CDUP-e-garante-permanencia.aspx
ps: Grande despedida ;) !!!!!!!

Anónimo disse...

Qual foi o resultado Benfica CDUP?

Manuel Cabral disse...

Vê os resultados aqui:
http://www.maodemestre.com/p/proximos-jogos.html

Anónimo disse...

Uma palavra de agradecimento a Filipe Grenho, jogador que durante muitos anos defendeu o seu clube, Benfica, com grande dignidade e qualidade, assim como a selecção nacional de XV e VII. Ontem contra o CDUP realizou o seu ultimo jogo. Uma pena a perda de mais um jogador deste calibre. Merece também uma menção a despedida de Eduardo Acosta, outro grande jogador, qie muito bem representou o GDD durante largos anos, assim como a selecção XV e VII. Uma perda para o rugby nacional.

Anónimo disse...

...(já não podemos ganhar, então não vale a pena irmos ao jogo) ... lá está... porque na Académica temos brios e somos responsáveis, e não deitamos a toalha ao chão à primeira contrariedade, vamos a jogo, em disputa séria, mesmo com um minimo de jogadores, já que não podemos obrigar a entrar em campo quem não pode ou não quer. Mas disputamos o campeonato até ao fim, com brio e com sentido do dever cumprido... apesar das bocas irritadas e de mau tom que a concorrência se tem permitido fazer ouvir.
Talvez seja este brio e sentido de responsabilidade que faz falta a muita gente...

Anónimo disse...

Há muitos, muitos anos (décadas), um grupo de putos entre os 12 e os 15 anos resolveu formar um clube de râguebi. Um clube federado. O treinador e principal dirigente tinha 16 anos.

Aquando do jogo em Coimbra tivémos que nos levantar todos às 4 da manhã. Estávamos lá todos para entrarmos numa camioneta a cair aos bocados e a auto estrada acabava em Vila Franca.

Botas de rugby? Ninguém tinha. O treinador tinha um saco de plástico cheio de botas em décima mão, rotas, completamente estragadas. A mim, que calçava uns 37, calhou-me um "par" em que uma bota seria 38 e a outra 41. Aos outros algo semelhante.

Falta de comparência? Impossível, fora de qustão! Lá fomos. Estávamos todos a dormir quando a camioneta finalmente chegou a Coimbra. E o treinador de 16 anos aos berros: já estamos atrasados, equipem-se e enrem em campo!

Perdemos não sei por quantos. Éramos uns nabos? É provável. Falta de comparência? Impensável. Tínhamos brio. O que é há de errado com um grupo de putos ter brio?

Anónimo disse...

Gostei de ler... já agora, falamos de que clube? Ter brio é importante. É a diferença entre um homem e um bicho. Entre um desportista e um vendido do desporto. Gostei do que li. espero que muito mais gente leia e reflita nessas palavras. A bem do rugby.

JBR
Coimbra

João Quintela disse...

Quando o preço das viagens, e o não querer levar uma "cabazada" são superiores ao gozo do jogo de Rugby, está tudo dito...

João Quintela disse...

Quando o preço das viagens, e o não querer levar uma "cabazada" são superiores ao gozo do jogo de Rugby, está tudo dito...

Jose Silva disse...

Olha outro Preto que acha que quando os outros ganham é com ajuda externa. Agora que não conta para nada e jogam contra equipas secundárias, ganham e acham-se os melhores.

Anónimo disse...

Pensei que o Direito e o Agronomia estavam na DH... foram despromovidos?