6 de novembro de 2013

FINALMENTE CHEGOU O OUTONO E A SUA JANELA! *

*Ricardo Mouro
Aí está a janela de Outono e que melhor jogo para abrir hostilidades do que um Inglaterra – Austrália.
A histórica Cook Cup é disputada entre estas duas nações que celebram assim os feitos do lendário capitão pelo Pacífico.

Duas equipas debaixo de escrutínio absoluto: A Inglaterra prepara-se para organizar o mundial de 2015 e este é um país que adora colocar os seus atletas (não só de rugby) sob pressão ainda que faltem quase dois anos para o evento.





ANTES DO JOGO
A preparação para esta janela gerou muita discussão começando pela escolha do capitão. 
Tom Wood fez um excelente trabalho no Verão quando liderou a equipa a duas vitórias incontestadas na Argentina e colocou-se a possibilidade de substituir Robshaw na função. 

Stuart Lancaster não encontrou razões para substituir o capitão coragem e entre os dois flankers ficou-se pelo atleta dos London Harlequins. 

Discussão do capitão posta de lado, as lesões de Tuilagi e Barritt animaram conversas sobre quem seria a dupla de centros ideal para os substituir. 
A questão não é tão fácil como quando Corbisiero se lesionou e cedo se gritou Vunipola (Mako) obviamente! 
Twelvetrees e Trinder do Gloucester, Burrell de Northampton todos foram postos em equação. 

Quando esta questão ficou resolvida, veio o numero 15 à baila.
Alex Goode tinha sido o preferido, Brown em boa forma pelos Quins andou pela ponta no Grand Slam perdido para Gales, Foden parece recuperar a sua antiga forma depois de lesão no tornozelo e, para os leitores mais atentos, já terão reparado que a esta hora um teenager do Bath foi junto ao barulho por Lancaster, Antony Watson que foi campeão do mundo sub-20. 
Lancaster foi para Brown (e em boa hora).

A Austrália encontra-se sob olhar atento da imprensa, após a derrota nas series para os Lions, onde dependeu muito de um jovem jogador até então sem internacionalizações, um novo seleccionador trouxe de novo Quade-Cooper para o leme da equipa correndo com O’Connor, nomeou um novo capitão e trouxe também sangue novo para refrescar a mentalidade da equipa. 

O Rugby Championship não ajudou e a Austrália terminou apenas acima da Argentina num torneio em que esteve muuuito distante da Nova Zelândia e muito longe da África do Sul. 

Em cima disto, e eu correndo risco de causar polémica, a Austrália parece ser das equipas do topo do ranking da IRB que sofre mais com a formação ordenada. 
Os habituais pilares Benn Robinson e Ben Alexander parecem ser melhores no jogo aberto do que nas fazes estáticas embora haja claras melhoras em tempos recentes. 
Sem Pocock e Ioane nesta tour e o histórico Mortlock e Giteau fora do Super Rugby a Austrália precisa de se reinventar antes do mundial.

O JOGO!
Como é hábito Twickenham encheu e vestiu-se de gala. 
A Austrália pareceu gelar ainda mais a temperatura que se vai sentido por aqui quando uma das novas caras de 2013, o centro Toomua atropelou Twelvetrees para o ensaio à meia hora, a conversão de Quade-Cooper significava que os wallabies passavam para a frente com 6-10 anulando duas penalidades de Farrell. 
Toomua formou parceria no meio campo com outro jovem, Kuridrani, e juntos partilharam o quarto jogo a titular. 
Quade-Cooper não demorou muito a meter mais três pontos no marcador e o jogo ia para o intervalo com ingleses com muito que pensar. 

Após o reatamento com os Wallabies encostados à linha de ensaio Genia tentou
pontapear detrás de um ruck mas a bola é contrariada a meias por Wood e Vunipola e o capitão Robshaw foi mais rápido que toda a gente a reagir e a cair na bola já na área de validação, Farrell confirmou mais dois pontos para o empate. 
E foi o abertura inglês que inteligentemente detectou alguma apatia na linha defensiva australiana e atacou o espaço entre dois defesas já nos 22 para um ensaio em que nem precisou sprintar para tocar com a bola perto dos postes. 
O TMO ainda procurou por uma alegada obstrução de Hartley a um defesa australiano mas apatia não é desculpa e Farrell converteu para o resultado final 20-13, sendo a Austrália incapaz de reagir o que gerou criticas ferozes na imprensa do outro lado do planeta. 
Brown aposta (finalmente) para a camisola 15 esteve soberbo tacticamente e seguro nas bolas altas e não pôs um pé mal em campo sendo nomeado homem do jogo
Apesar da vitória Twelvetrees levantou dúvidas quanto à sua prestação defensiva no ensaio australiano e Ashton teve muitas dificuldades perante os pontas adversários, enquanto isto Burrell era o seu explosivo habitual pelos Saints e Wade marcava ensaios pelos Wasps quase por diversão. 
Os dois, antes ignorados por Lancaster, põem o selecionador a fazer contas, ele que já veio a público defender o centro do Gloucester.

RESULTADOS DO FIM DE SEMANA
Inglaterra 20-13 Austrália
Japão 6-54 Nova Zelândia
Bélgica 26-10 Tunísia
Canadá 15-40 NZ Maori

O QUE SE SEGUE NESTE FIM DE SEMANA
Segue-se a Argentina para os ingleses da qual têm boas memórias em tempos recentes e os Australianos esperam respirar de alívio por ares italianos.

Jogos marcados para Sábado, dia 9 de Novembro:
Itália v Austrália, Stadio Olimpico di Torino, Torino - 14:00 GMT
Inglaterra v Argentina, Twickenham Stadium, London - 14:30 GMT
Escócia v Japão, Murrayfield Stadium, Edinburgh - 14:30 GMT
País de Gales v África do Sul, Millennium Stadium, Cardiff - 17:30 GMT
Irlanda v Samoa, Aviva Stadium, Dublin - 17:45 GMT
França v Nova Zelândia, Stade de France, Saint Denis - 20:00 GMT

Geórgia v Canadá, Dinamo Arena, Tbilisi - 14:00 GMT
Chile v Espanha,  Centro de Alto Rendmento, La Reina, Santiago do Chile
Portugal v Fiji, Universitário Lisboa, Lisboa - 15:00 GMT
Roménia v Tonga, Stadionul Arcul de Triumf, Bucharest - 17:30 GMT
USA v Maori All Blacks, PPL Park, Chester, Pennsylvania - 24:00 GMT
10 Nov, Oxford University v Rússia - Oxford University Sports Centre, Oxford - 15:00 GMT
12 Nov, Gloucester v Japão - Kingsholm Stadium, Gloucester (non-test) - 19:45 GMT

Fotos: www.rugby.com.auwww.rugbyrama.fr

12 comentários:

Anónimo disse...

Desculpem a ignorância, mas o que são os Maori All Blacks?

Great_Duke disse...

Olá Ricardo,

Por acaso tenho muitas dúvidas no ensaio em que o Dylan Hartley parece mesmo fazer obstrução e não permitir a placagem ao Farrel por parte do Stephen Moore.

Mas, de resto, vitória justa do XV da Rosa.

Um abraço do Luxemburgo.

Great_Duke disse...

Os Maori All Blacks são a 2ª equipa da NZ, como os Jaguares da Argentina ou a França A...

Anónimo disse...

...ou os England Saxons e Irlanda A.

Olá Great Duke,
De facto é duvidoso e concordo, tem havido várias situações esta época em que o TMO não consegue evitar que continuem a haver dúvidas. O facto aqui é que os Wallabies arriscam-se a vir pelo ranking abaixo este Novembro, bem-vinda Itália!

Um abraço de Inglaterra!

Mouro

Anónimo disse...

Por acaso também concordo, acho que a obstrução chega mesmo a ter influência no ensaio já que se repararem o dylan quando ve o seu companheiro com a bola se pára e se deixa ficar sobre o moore. a dupla de centros inglesa pareceu fraca mas mesmo assim parece que deu para ganhar.

Anónimo disse...

Para quem não viu, reparem nos dois ensaios de Wade contra o Gloucester:

http://www.youtube.com/watch?v=pZy4H1kgOcQ#t=90

Mouro

Great_Duke disse...

E eu que era para ter ido a Bristol para os 40 anos de um amigo e já tinha bilhete para o Gloucester - Wasps e acabei por não poder ir porque um dos miúdos foi operado...lá se foi um data de massa ao ar...
:-(

Great_Duke disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Peço desculpa, eu sou mais um ignorante e gostava de saber se é possível haver 2 seleções do mesmo país a jogar no mesmo mundial..

Anónimo disse...

Nao,
Estas seleccoes servem apenas para manter ritmo competitivo de jogadores que nao estao selecionados para as principais. Normalmente participam em eventos IRB para Tier 2 como os Jaguares que ja jogaram contra Portugal em Bucareste, ou a Irlanda A que esteve nos EUA este verao. Servem realmente como rampa de lancamento para "jovens" ou jogadores ainda sem experiencia internacional ou meia duzia de caps. Estes jogos nao atribuem "caps" aos participantes dessas selecoes.

Anónimo disse...

Obrigado pela informação! :)

Manuel Cabral disse...

Para ajudar à conversa, aqui seguem as chamadas "Next representative teams" dos principais países, que, mesmo não conferindo caps, vinculam os jogadores ao país.
Quer isto dizer que um jogador que jogue pelos England Saxons, embora não seja considerado um Full International, não poderá representar nenhum outro país senão a Inglaterra...
Eis a mais recente lista publicada pela IRB (e referida a 2012), acrescentando eu que a Next Representative Team de Portugal, é a equipa de Sub-20.
ARGENTINA - JAGUARES (PAMPAS XV durante a Vodacom Cup)
AUSTRALIA - AUSTRALIAN BARBARIANS
CANADÁ - CANADÁ A
INGLATERRA - ENGLAND SAXONS
FIJI - FIJI WARRIORS
FRANÇA - FRANCE U20
IRLANDA - IRISH WOLFHOUNDS
ITÁLIA - ITÁLIA EMERGENTI
JAPÃO - JAPÃO A]
NOVA ZELÂNDA - JUNIOR ALL BLACKS
ROMÉNIA - ROMÉNIA A
SAMOA - SAMOA A
ESCÓCIA - ESCÓCIA A
ÁFRICA DO SUL - ÁFRICA DO SUL U20
TONGA - TONGA A
E.U.A. - USA SELECT
PAÍS DE GALES - PAÍS DE GALES U20