26 de setembro de 2013

MAIS EMPREGO PARA JOGADORES DE RUGBY

Continuando na busca de profissionais para cobrir as suas necessidades, a Groundlink, patrocinadora principal do Caldas Rugby Clube, apresenta agora mais algumas vagas, de momento em tempo parcial, mas com possibilidade de passagem a tempo inteiro a parir da próxima Primavera.

Como habitualmente, o Mão de Mestre divulga esta oferta da Groundlink, como tem feito desde que delas tomou conhecimento e como fará com outras ofertas que possam beneficiar os jogadores portugueses de rugby.


Aqui fica a oferta,

OFERTA DE EMPREGO
A Groundlink está a recrutar novos colaboradores de forma a cumprir as suas necessidades de expansão. 
Dá preferência a profissionais que joguem Rugby na posição de 3/4´s para integrarem o projecto Groundlink Caldas Rugby.

Função: Assistência de operações em placa no aeroporto de Lisboa
Entrada: 15 Novembro 2013
Horários: Part-time parte da manhã com perspectiva de full time a partir de Março
Ordenado: 400 euros líquidos
Requisitos: 
+ Conhecimento médio de Inglês
+ Carta condução
+ Ser Jogador de Rugby

Os interessados devem enviar o seu CV para: sports@groundlink.pt

9 comentários:

Anónimo disse...

sem comentários

Anónimo disse...

o Groundlink Caldas já tem o Melim (ganda maluco), o D'Eça, o Bernardo Gonçalves, o Taful, aquele da Division 1 inglesa, o Luis Silva, o Jardim, o Fernando Santos, o Davide Mateus, todos na empresa e agora querem mais quatro da DH?!!!!

Essa história de não quererem subir deve ser para a malta rir.

Anónimo disse...

tou a achar muita fruta, estes empregos para jogadores de rugby...será mesmo emprego ou é uma maneira de contratarem jogadores de rugby?

Anónimo disse...

acho isto vergonhoso... enfim

Pedro disse...

Segundos centros, toca a concorrer...

Anónimo disse...

Vergonhoso ou não, em minha opinião não é vergonhoso porque as condições estão á vista e só aceita quem quer, a verdade é que parece que o Caldas já garantiu através deste anuncio mais três jogadores da DH, disseram-me que pelo menos um é internacional por Portugal.

O Caldas descobriu a fórmula de dar estabilidade aos jogadores e ao mesmo tempo de elevar o nível da equipa. Todos os intervenientes ganham.

Anónimo disse...

Quase nunca se consegue agradar a todos, apenas se pode fazer aquilo que acha melhor.
A Groundlink poderia ter ido buscar jogadores a romenia, a espanha ou a irlanda, decidiu recruta-los entre os jogadores portugueses que estavam no desemprego, muitos acham isso mau, teria a Grouundlink agido melhor e de forma mais util para ajudar os jovens portuguses se acaso tivesse recrutado no estranjeiro?

Carlos Leonardo disse...

O Fernando santos foi trabalhar para a empresa mas não vai jogar!!!

Anónimo disse...

Mais preocupante ainda é a quantiade de internacionais do rugby portugues no desemprego quando é claro que ser jogador de rugby não aufere grandes rendimentos em portugal.

Como é que esses jogadores têm subsistido ?