26 de novembro de 2015

CDUL, CÂMARA E REITORIA ASSINAM PROTOCOLO DE RECONVERSÃO

O velhinho campo 2 do Estádio Universitário de Lisboa, palco de tantos momentos significativos do rugby português, onde treinaram muitas gerações de jogadores dos mais diversos clubes - CDUL, Direito, Técnico, Medicina, Económicas, Arquitectura, Aranhas, Cangurus, São Miguel, eu sei lá quem mais! - e que foi palco de grandes eventos, desde o Europeu de Juniores nos anos 70 aos Lisboa Sevens dos anos 80/90, e que os mais antigos (nos quais me incluo) recordam com saudade e alguma emoção, vai ser remodelado, numa iniciativa do CDUL, com a Câmara Municipal de Lisboa e a Reitoria da Universidade.


Um relvado de elevadíssima qualidade - digam-me onde há outro que aguente a carga que ele aguentou durante 60 anos! - chega ao fim do seu ciclo prolongado de vida, e vai dar lugar a um sintético de última geração, com bancadas e equipamentos de apoio adequados.

Ainda não são conhecidos os detalhes do projecto - que apenas será desenvolvido após a assinatura
EUL, campo 2, Barbarians Portugueses no Lisboa Sevens
do contrato que terá lugar no sábado, 28 de Novembro, às 10 horas, no próprio campo - mas sabe-se já que esta infra-estrutura terá o CDUL como usufrutuário durante 15 anos, a tempo parcial, e com isso o futuro do clube e das suas equipas de rugby fica desde já assegurado.

Para comemorar a assinatura do protocolo será disputado um convívio de rugby das camadas jovens do CDUL com três equipas convidadas: Escolinha de Rugby da Alta de Lisboa, Sporting Rugby e Colégio Pedro Arrupe.

Uma excelente oportunidade para os que usufruíram deste campo durante seis décadas se reunirem e relembrarem o que ali passaram!

Foto de capa (Agronomia-Belenenses, final Taça de Portugal 1978, EUL, campo 2): António Simões dos Santos/ Vintage Rugby Portugal

3 comentários:

Duarte disse...

É uma pena que a relva seja substituída por material sintético. A não ser que seja um sintético de boa qualidade, o que duvido porque são caríssimos.

Os sintéticos já existentes no Universitário são de qualidade muito má.

Antonio Freitas disse...

É verdade ainda por provar que os sintéticos são a melhor opção , a ver pelo Cascais também numa manutenção continuada que tem que existir e a substituição do tapete após alguns anos não sei se em termos económicos é o melhor , mas seguramente em termos médicos tenho a maior da dúvidas com o número de lesões associadas a sintéticos se é a via a ser considerada principalmente para uma modalidade de contacto como o rugby .

Placador disse...

se os sinteticos forem astroturf definitivamente sao desaconselhaveis para a modalidade. Se no entanto forem os chamados sinteticos 4G como os Saracens e Newcastle Falcons possuem aí o caso muda de figura. Mas tambem os preços mudam de figuras para "figurões"!