6 de novembro de 2015

AGRÁRIA COMANDA ZONA, QUE LEVA JÁ TRÊS JOGOS ADIADOS... *

* José Silva

Jogou-se no passado fim de semana a terceira jornada do Campeonato Nacional da 2ª divisão, Zona Norte/Centro, com a disputa de apenas dois jogos dos quatro agendados.
Ao fim de apenas três jornadas já foram adiados….três Jogos.

O Campeonato pára por uma semana de modo a ser jogada a 2ª eliminatória da Taça de Portugal com dois jogos grandes envolvendo equipas do Grupo Norte/Centro.

No sábado, na moita o RC Bairrada recebe a Agrária de Coimbra pelas 16h00 e no Domingo, em Famalicão pelas 14h00 o CR Famalicão recebe o Guimarães RUFC. Aproveite para ir verificar as equipas que podem dar cartas na Segundona Norte /Centro.

Vamos analisar da terceira jornada o jogo que opôs a equipa do Porto aos estudantes de Coimbra, e também o jogo que colocou frente a frente, em Aveiro, a equipa da Universidade local e do Famalicão:

PRAZER DE JOGAR 15 – 21 AGRÁRIA DE COIMBRA (2-2 ensaios)
As palavras dos charruas;
"Agrários somam terceira vitória"

A 3ª jornada do CN 2ª divisão sénior zona centro/norte foi disputada em Leça da Palmeira colocando a equipa satélite do CDUP, Prazer de Jogar diante da Agrária de Coimbra num jogo dirigido pelo Portista José Luís Vareta que dirigiu o encontro sem qualquer problema.
A Agrária esteve bem nas fases de conquista onde demonstrou todo o seu poderio, fazendo com que a equipa jogasse durante 38 minutos no meio campo adversário. A equipa anfitriã não conseguia transpor a barreira defensiva montada pelos charruas o que fazia prever um resultado folgado para os visitantes. No entanto os Charruas perdiam posses de bola com erros básicos de manuseamento de bola tornando assim a primeira parte do jogo bastante monótona, uma vez que não conseguiam concretizar a superioridade na conquista da posse de bola. Foi num desses erros que a equipa do Porto conseguiu marcar os três primeiros pontos do jogo, decorria o minuto 38. Logo de seguida os charruas igualavam o marcador também com uma penalidade convertida pelo chutador de serviço, Gonçalo Amaral. Chegava-se ao intervalo com um empate a escassos três pontos.
Os charruas só podiam-se queixar de si mesmo e da ansiedade com que entraram em campo e que fez com que o acumular de erros não permite-se a concretização da superioridade em pontos.
Na 2ª parte mais calmos e pela primeira vez a jogar em equipa conseguiram marcar o 1º ensaio por Tiago Palma. Gonçalo Amaral converte colocando o marcador em 03-10. De novo a comandar as fazes estáticas, os charruas diminuem o número de erros e conseguem fazer correr a bola, criando dificuldades ao adversário e obrigando-os a parar os charruas em falta. O chutador da Agrária, Gonçalo Amaral aproveita nova penalidade e volta a converter somando mais 3 pontos, 03-13.
Quando tudo indicava que os charruas se tinham libertado da ansiedade e iam começar a jogar um rugby mais alegre e com mais movimento, na recepção do ponta pé de saída erro infantil e oferecem a bola ao adversário para que ele marque um ensaio transformado, estava feito o 10-13. Os Conimbricenses levantaram rapidamente a cabeça e passado 5 minutos, João Cláudio Santos, marca o primeiro ensaio da Agrária respondendo da melhor maneira ao deslize da sua equipa, 10-18, ficando assim com oito ponto de vantagem e o final da partida a estar mais próximo. Os charruas continuavam a comandar o jogo mas sem conseguir circular bem a bola e sem conseguir integrar os avançados no ataque das linhas atrasadas, mas havia mais ritmo de jogo o que dificultava a vida ao adversário. Com domínio total do jogo novo erro infantil e novo ensaio oferecido aos portistas, com o adversário a apenas ter correr 50 metros e marcar um ensaio transformado, estava feito o 15-18 a cinco minutos do final. Os anfitriões não conseguiam passar a linha do seu meio campo por sua iniciativa, pois a defesa organizada dos charruas não o permitia. No minuto final, o Agrário Gonçalo Amaral , aproveitava mais uma penalidade e dilatava o marcador para 15-21, fechando assim o marcador e consomando a terceira vitória em tantos jogos e que dá a liderança à sua equipa na prova.
Os charruas conseguiram demonstrar uma grande superioridade nas fases de conquista e na defesa, contudo ainda falta dar continuidade à conquista de bola das fases estáticas para traduzir em pontos e assim conseguir vitórias mais condizentes com a posse de bola.
O campeonato tem agora um interregno para disputa da 2ª eliminatória da Taça de Portugal com a Agrária a visitar o reduto da Bairrada no próximo sábado pelas 16 horas. 


AAU AVEIRO 7 -  22 CR FAMALICÃO (1-3 ensaios)

Em Aveiro os locais receberam o Famalicão e não conseguiram qualquer ponto para a classificação. 

 A informação enviada pelo CR Famalicão aos órgãos de comunicação social;

O Clube Rugby Famalicão vem por este meio informar que este sábado venceu fora frente ao Rugby
Universidade de Aveiro (RUA) por 7-22, num jogo a contar para a segunda jornada do Campeonato Nacional da II Divisão.
O encontro jogou-se quase unicamente na metade do RUA, e a equipa da casa poucas vezes entrou dentro do meio-campo famalicense na primeira parte. Ao intervalo, o Famalicão vencia 0-14, com dois ensaios convertidos (Ensaios de Quentin Teddy François e Alexis Gldo, convertidos por Luís Costa e Hélio Carvalho, respectivamente). Na segunda parte, o RUA ainda conseguiu criar algumas dificuldades defensivas, chegando mesmo a marcar um ensaio, fruto de uma única desconcentração defensiva. No entanto, o Famalicão decidiu o jogo nos últimos dois minutos, com um ensaio de João Sousa, fixando o resultado em 7-22 (dois ensaios convertidos, um ensaio não convertido e uma penalidade marcada por Luís Costa).
O próximo jogo do CRF será no próximo domingo em casa, às 14h, frente ao Guimarães RUFC, numa partida a contar para a 2ª eliminatória da Taça de Portugal.”


1 comentário:

Kings disse...

Vou abster-me de comentar o Prazer de Jogar- Agrária, pois depois de ler o comunicado da Agrária, são tantas as diferenças de análise, que nem vale a pena as esmioçar...parece que vimos dois jogos diferentes...em que o Prazer de Jogar Rugby desperdiçou, a título de exemplo, 5 pontos em chutos quase frontais e quase marcou um ensaio na bola de jogo, o que se teria traduzido numa diferença do resultado...

Posto isto, queria somente rectificar o seguinte (que serve também para a análise do jogo da NR Lousã, pois foi cometido o mesmo erro)

As pessoas naturais do Porto são Portuenses e não Portistas!! Temos muitos Portuenses que não são Portistas, pois os portistas são os adeptos do F.C. do Porto!

Um abraço oval.