11 de abril de 2012

SUB-18 NO RESCALDO DO EUROPEU

TERMINOU COM MAIS UMA DERROTA A PARTICIPAÇÃO lusitana no Europeu de Sub-18, e vistas as coisas à luz crua dos números, Portugal ficou na última posição da tabela.

Mas será que esse fato prenuncia o falhanço do trabalho que tem sido feito ao longo do anos, nas camadas jovens do rugby do nosso país?

Nem pensar! As coisas devem ser analisadas com cuidado, para não se cair em simplismos exagerados e na precipitada conclusão sobre o que parece que é.

Na verdade a primeira questão a ter em conta é o naipe dos adversários que se defrontaram - três equipas que pertencem à elite do rugby mundial, e que fazem parte do restrito grupo das Seis Nações - Irlanda, Escócia e Itália.

Aliás, as outras três integrantes das Seis Nações (Inglaterra, França e País de Gales) também lá estiveram, sendo esta a única competição de XV, em qualquer escalão, em que as menores - no caso Portugal e a Geórgia - defrontam as maiores, a contar para uma mesma tabela classificativa direta.

Convém ainda referir, que se os nossos Sub-18, os Lobitos, estão na oitava posição do ranking europeu, os nossos seniores, os Lobos, não conseguiram melhor que a décima primeira posição nesta época, ou a décima no acumulado das épocas 2010-11/2011-12 - não se esqueçam que os Lobos não defrontam nenhuma das equipas do Seis Nações, e na sua Divisão do Europeu, esta época não passaram da quinta posição.

Agora, depois da derrota frente a Itália no último jogo por 41-14, é fácil apontar os desaires, e esquecer as alegrias que o escalão nos tem proporcionado nos últimos anos, nomeadamente vencendo a Divisão A no ano passado e conseguindo garantir a presença no Grupo Elite num torneio de competência realizado no princípio da época, e que se repetirá no início da próxima.

Aí sim, será possível aferir se o valor do nosso escalão se mantém, conseguindo garantir nova presença no grupo principal, ou se fomos ultrapassados por algum dos candidatos que vem do grupo inferior - Alemanha e Bélgica - e como estamos perante os nossos companheiros de grupo georgianos.

Reparem no quadro que apresentamos abaixo (*), onde se pode claramente ver que Portugal tem andado, pelo menos desde 2005, entre o oitavo e décimo lugar da geral, com exceção de 2008.

Ou seja, Portugal é bom demais para a segunda divisão, mas ainda não é suficientemente bom para a primeira...

Um último comentário para referir o trabalho da equipa técnica nacional, composta por Henrique Rocha, Alexandre Lima e João Moura, sem poder deixar de registar também os nomes de João Luis e Nuno Aguiar - afastados por questões de natureza disciplinar mas que marcaram fortemente este grupo de trabalho, nomeadamente porque o seu envolvimento com a seleção nacional do escalão, ou dos sub-19, vem já desde o ano de 2006.
Esperemos que seja possível resolver estas questões disciplinares por forma a não desperdiçar o conhecimento e experiência que os dois treinadores adquiriram, e que permitiu chegar onde estamos agora, claro que, sem abdicar do exercício da necessária disciplina.

Fique ainda com o Boletim oficial do jogo derradeiro da nossa participação no Europeu de 2012


Foto: FIRA


(*) Em 2011 e 2012, o nome dos grupos mudou - Aquele que chamamos de Gr. A passou a ser a Divisão de Elite, apenas com quatro equipas, e passando a oito equipas este ano. Aquele a que chamamos Grupo B, passou a ser Divisão A, e o Grupo C passou a Divisão B.
Mas a ideia do quadro é dar a conhecer a posição no ranking, e essa está absolutamente correta.

17 comentários:

Pedro Pinto Fernandes disse...

Esta seleção dos Lobitos não é a melhor que Portugal pode oferecer. De facto existem critérios para a escolha dos atletas que enfermam de verdadeira parvoíce e de inexplicável critério. É o caso do peso minimo e da altura minima, critérios que afastam por exemplo um dos melhores jogadores nacionais deste escalão (senão o melhor) como o Pedro Afra Rosa, e outros belissimos atletas que por não cumprirem os incriveis minimos definidos por alguns iluminados não tiveram acesso a ser sequer seleccionados. Esta é uma situação que tem que ser já alterada. Quanto a todos os que jogaram e seus técnicos só se pode dar os parabéns pois segundo nos chegou venderam cara cada derrota e deram uma belissima imagem do Rugby nacional.

Anónimo disse...

o Pedro Rosa é jogador sub 17 com inegável qualidade embora duvidosa para as exigências internacionais. Parabéns todos os que participaram neste campeonato.

Anónimo disse...

Se o Ronaldo pudesse jogar à mão chamaria-se PA Rosa...concordo! Mas temos de concordar igualmente que os padrões físicos são cada vez mais elevados a nível europeu e que optar por mais uns cm em detrimento de alguma técnica se calhar a este nível compensa evitando lesões mais graves pela diferença de gabaritos. Mas acima de critérios físicos e técnicos há o factor Cultura do Rugby par o qual temos muito ainda que trabalhar.

Manuel Cabral disse...

Atenção Manuel Freitas
Agradeço que me contate através do e-mail mestrerugby@gmail.com
Obrigado

Anónimo disse...

Pedro Pinto Fernandes acho que é preciso falar-se do que se sabe. Da mesma forma que o jovem rosa nao foi enquadrado na equipa dos sub 18 na ida ao grupo de elite deve-se a várias razões das quais nao tem a ver com o peso ou altura. Começa por ser um jogador formidável no campeonato português mas que a nível internacional o memso pode-se nao verificar. O jovem teve a sua oportunidade e treinou com os sub 18 mas nao foi mais convocado pois outros tomaram o seu lugar, outros mais velhos, com mais experiência e que á capacidade dos treinadores foram preferidos. Tamanha discriminação é desnecessária pois para o ano terá a sua oportunidade. Da mesma forma que eçe nao foi escolhido para os sub 18 outros como manel moura já a treinar na academia de elite com os seniores nao são chamados á selecção senior por diverssos motivos. è necessário ter calma e trabalhar, e se esse jovem tanto quisesse ser convocado nao há razões para faltar a treinos da academia regional da qual fora convocado e conta bastante para observação tanto física (ginásio) como técnico-táctica por ótimos treinadores de selecções como nuno aguiar, alexandre lima, entre outros

Anónimo disse...

tanto anonimo a responder ao Pedro Pinto Fernandes ou será o mesmo com culpas no cartório sobre o tal jogador...Se ele faltou aos jantarzinhos da selecçao nao sei... agora no campeonato provou que tinha a capacidade fisica e tecnica suficientes para os adversários... e visto os jogadores que foram na sua maioria seleccionados de equipas que não as duas primeiras classificadas, recordo que Direito e CDUP so tiveram 4 convocados e equipas com cerca de metade dos pontos no campeonato tiveram outros 4 convocados... torno a dizer contra factos... Assim inferir que o atleta poderia nao estar à altura... se alguns dos convocados de 2ª linha comportaram-se tão bem, porque este que provou ser de primeira água iria baquiar?... Já agora a sua chamada de atençao para pedro p fernandes enferma de enganos, pois o atleta moura nao esta a treinar em lado algum pois, infelizmente lesionou-se no inicio do ano num jogo entre o Direito e Belenenses. Agora que foi uma selecçao de 2ª escolha e de amigos... foi! aliás como tem vindo a acontecer noutras selecçoes de outros escaloes.
Mas que os resultados conseguidos por esta selecçao (2ªescolha) mostram como este escalão esta forte, bem como no de sub 16, que teremos oportunidade de aferir em breve. Que mostra bem o bom trabalho que tem vindo a ser feito e porventura estaremos a colher alguns dos proveitos do mundial de 2007 e da melhor formaçao dos treinadores.
Joao rosario

Manuel Cabral disse...

Atenção João Rosário,
Agradeço que me contates diretamente através do e-mail mestrerugby@gmail.com

Nuno Aguiar disse...

Manuel Cabral,

É com muita pena minha que a seleção de Sub 18, não atingiu os objectivos. Ficamos aquem do potencial da equipa. Num campeonato da europa tão exigente, temos de ser capazes de gerir o esforço dos atletas ao longo da semana, porque o ultimo jogo é sempre o mais importante. De um ano para o outro passamos de 14-3 para 41-14 contra a Italia. Supostamente o nosso adversario directo seria a Georgia, esta conseguiu ganhar a Italia e distanciou-se bastante de Portugal. Será que estamos a andar para trás? Parece bem que sim. Conseguiram afastar os treinadores que melhores garantias, conhecimentos e experiencia tinham e que estavam a fazer um bom trabalho, Joaquim Ferreira, João Luis e eu. Com esse afastamento a FPR ficou sem a academia do Porto, de Coimbra, e em Lisboa separaram os melhores para o grupo de elite que baixou o nivel da academia regional, deixou de haver referencias no grupo. Anteriormente foi a nossa força e os resultados estavam a vista. Será que foi boa a opção da FPR apostar tudo nos seniores? Não tinham dinheiro para os tecnicos dos sub 18 e sub 19 e apostaram numa equipa tecnica senior nada barata, inclusive um preparador fisico que ganha mais do que os 3 treinadores dispensados, para os resultados que conseguiram nesta epoca. A resposta é obvia, assim não vão longe, ou voltam atrás e começam outra vez a apostar nas academias a serio, ou cada vez vamos ficar mais para trás. Modificar tambem com urgencia o campeonato de sub 18 para ser mais competitivo, este ano foi muito extenso, com poucos jogos com nivel. É necessario tambem um director tecnico nacional para as academias, que as articule verdadeiramente e que não acumule outras funções... Essa sim deveria ser a prioridade da FPR!!!

Nuno Aguiar

Anónimo disse...

lol

Anónimo disse...

O Joaquim Ferreira(Xixa) saiu no fim da época passada! Não saiu agora a meio da época e nada tem a ver com os motivos disciplinares de que fala o artigo!
Convém que o amigo Nuno Aguiar não misture as coisas...

Anónimo disse...

Esta seleção conseguiu uma boa prestação competitiva ao contrário do que diz o Nuno Aguiar. Apesar da equipa técnica ter sido substituida pouco tempo antes do início da competição as prestações, tendo em consideração os adversários, não foram nada más. Isso prende-se, em grande parte, pelo facto de integrarem a equipa 15 jogadores das unicas 3 equipas que praticaram um rugby evoluido (Direito, CDUP e Académica). O campeonato foi disputado apenas por estas 3 equipas, qualquer uma das 3 venceu jogos entre si e acabou por vencer a equipa que teve a "estrelinha" da sorte e que, provavelmente, melhor se organizou na fase final. Acredito que eventualmente um ou outro jogador da Académica estivesse a mais e que eventualmente um ou outro de Direito e Cdup devessem ter ido. Mas haverá outros de outros clubes que provavelmente não mereciam estar presentes. Se tivessem feito uma escolha de apenas os 3 clubes que mostraram que sabiam jogar provavelmente os resultados teriam sido melhores. No entanto será sempre de dar os parabéns ao Henrique Rocha e Alexandre Lima pela prestação da seleção no europeu.

João Pedro Guimarães disse...

Sem prejuizo de concordar que as 3 equipas referidas (Direito, CDUP e Académica) foram, claramente, as melhores do campeonato de Sub 18 não queria deixar de referir que o Cascais ganhou ao CDUP no jogo da primeira volta (sendo a única equipa a ganhar um jogo às "3 da frente" durante o campeonato). Para além disso, tendo ficado em 4º lugar, não perdeu qualquer jogo com as restantes equipas que se classificaram abaixo.
João Pedro Guimarães


João Pedro Guimarães

Anónimo disse...

e ao Professor João Moura que é muito melhor treinador que o Nuno Aguiar.

Anónimo disse...

Senhores... peço um pouco de humildade! Em primeiro lugar para verificar que não foram nada maus os resultados dos Lobitos, sobre tudo em anos de contenção orçamental... E depois, humildade sobre as nossas capacidades também ficava bem: a questão não está em quem foi seleccionado ou quem seleccionou, a questão nem se põe sobre se estamos ou não a evoluir... A justificação da classificação de um Europeu não se encontra em Portugal! É preciso humildade para verificar que muitos dos nossos adversários estão é a evoluir mais depressa! É muito fácil criticar quem não esteve tão bem... é mesmo "uma cena muito tuga", mas não nos esqueçamos, os adversários também trabalham e treinam e jogam... E pelos vistos evoluem mais depressa... é isso que devemos olhar. E não é só nos escalões jovens... Eu sou do tempo em que Geórgia, Roménia, Espanha e Rússia perdiam com Portugal nos séniores... E cheira-me que vou ver os Lobos, um dia destes, a perder com Holanda, Alemanha e etc...

Não façam confusões: lá fora trabalha-se muito, com muita consistência e bem...(e com muito apoio chauvinista da FIRA e da IRB)... os resultados estão á vista.

Tiago Sousa e Silva

Anónimo disse...

é o bom comentário: lá fora é que é! e depois ainda criticam o PR por sugerir emigrar.

Anónimo disse...

tambem temos de ter em conta q pelo menos dois dos jogadores seleccionados do cascais n jogaram um unico jogo pelos s18, tendo jogado tanto nos seniores como nos s21

Anónimo disse...

O Cascais tem vindo realmente a fazer um bom trabalho na formação e por esse motivo não se pode admitir que qualquer equipa sua não compareça a jogos como já aconteceu esta época. De qualquer forma parabém ao cascais, pelo trabalho que tem vindo a fazer na formação, e vamos lá ver se não volta a acontecer.