3 de janeiro de 2016

COMEÇOU DE AZUL E PRETO O ANO DO RUGBY PORTUGUÊS

No comando da Divisão de Honra graças à excelente vitória conseguida em Monsanto, frente a Direito por 17-12, o CDUL começa da melhor forma o ano de 2016, a apresenta um importante reforço que pode fazer - e faz! - a diferença.

Falamos de Joe Ayuwa o poderoso ponta que o CDUL foi buscar ao Algarve, onde Joe vive agora depois de uma carreira no rugby profissional em Inglaterra e Gales, onde vestiu as camisolas do Richmond, London Welsh, Llanelli e Llandovery, e ainda de uma das equipas provinciais galesas, o Scarlets.
Poderoso e senhor de uma estatura pouco habitual nas nossas bandas - 1,87 com 112 kg... - Joe entrou na segunda parte e foi dele a iniciativa que deu origem ao segundo ensaio  e a vitória do CDUL.

O jogo decorreu com equilíbrio, dominando os universitários nos avançados, com Direito a ter muita dificuldade nas formações, onde fez muitas faltas, mas a reagir bem através das suas linhas atrasadas e na verdade o resultado podia ter caído para qualquer dos lados.
Podia, se não fosse o factor Ayuwa, que numa poderosa arrancada criou as condições que levaram à vitória do CDUL.

Anima-se assim a luta pela liderança final da fase de apuramento, com os advogados a perderem para os seus dois adversários mais directos, e a tropeçarem em Coimbra, para descerem do topo da classificação, onde subiu o CDUL, com a vantagem de um pequeno ponto. 

O Belenenses foi vencer a Arcos de Valdevez por 9-3, mas o CRAV conseguiu um precioso ponto de bónus que pode ter importância no lavar dos cestos, já que a diferença dos minhotos para os beirões - que seguem na nona posição da tabela - é agora apenas de dois pontos de bónus, se esquecermos os pontos obtidos em dias de folga, que se espera sejam erradicados do nosso sistema de pontuação com urgência.

Finalmente no terceiro e último jogo do fim de semana - Agronomia e Cascais jogaram antes do Natal - a Académica venceu com inesperada facilidade o CDUP por 25-11, com direito a bónus de ataque, e as equipas trocaram de posição na tabela classificativa, com os portuenses a descerem ao oitavo posto, com três pontos de desvantagem em relação aos pretos.


4 comentários:

Luis Canongia Costa disse...

O Joe Ajuwa é um nigeriano que tentou anos a fio marcar presença no râguebi inglês sem grande sucesso, e que vi várias vezes jogar. Forte fisicamente, impressionava à primeira vista (vi-o jogar em três equipas, Richmond, London Welsh e Rosslyn Park) mas depois percebe-se que não tem percepção do jogo, é inábil no jogo ao pé (um alvo do jogo ao pé adversário), má protecção da bola no contacto, e à chuva foi um desastre (num desses jogos que vi). No Verão passado tinha ido para França para uma equipa da Fed 1. O pessoal gostava de o ver jogar, por um lado era poderoso, bom hand off, entrega-se ao jogo, e a correr com bola é perigoso. O outro lado, era um centro de comentários menos simpáticos - por isso me lembro bem dele - pelo que se via de pouco perceber do que fazer em campo, e por erros frequentes que cometia. Se apareceu no Algarve é porque foi dispensado a meio da época por esse clube francês. No râguebi português pode dar algumas cartas.

Luis Canongia Costa disse...

Um amigo do Rosslyn Park disse-me que o Ajuwa tem estado a jogar no Libourne da Fed 1. Fui ver e realizou esta época os 9 jogos que a equipa francesa disputou na competição, e marcou 3 ensaios. O último jogo que disputou foi a 6 de dezembro (desde então a Fed 1 tem estado parada). Marcou o primeiro ensaio do jogo.

Uma transferência de Natal. Será que o CDUL paga melhor que a Fed 1? Tendo jogado todos os jogos e marcado 3 ensaios não seria jogador a dispensar pelos francesas (donde a minha afirmação anterior deve estar errada). Se calhar estava a passar férias no Algarve, ou tem lá casa, e a oportunidade surgiu.

Seja como for, uma boa contratação.

Algumas estatísticas em
http://www.itsrugby.co.uk/player_18591.html

Em 2013/14 passou a jogar por empréstimo no Rosslyn Park até final de 2014/15. O London Welsh (que era o contratante) não o queria, e o Rosslyn Park não tinha dinheiro para o manter, pelo que rumou a França.

Antonio Freitas disse...

Uma das muitas contradições do rugby nacional , com tantos jogadores em carteira o CDUL vai buscar este jogador para tapar um lugar a um nacional , certamente este não está a jogar por amor à camisola que tanto apregoa o presidente do CDUL , mais um como muitos outros jogadores profissionais no CDUL .

Aguinaldo Vera-Cruz disse...

Joe Ajuwa

https://www.youtube.com/watch?v=f1fBlhVFR4Q