19 de abril de 2014

DIREITO VENCE TAÇA EM JOGO EMOCIONANTE

O Direito conquistou hoje a sua oitava Taça de Portugal, e está agora apenas a uma de distância do par que, com nove vitórias cada, comanda a tabela geral dos vencedores da prova - Agronomia e Benfica.

A vitória por 26-22 dos advogados sobre os universitários foi conseguida mesmo no final da partida através de um ensaio por Diogo Coutinho, e respectiva transformação de Gonçalo Malheiro, mas o jogo teve duas partes completamente distintas.

O CDUL levou vantagem na primeira - apesar do vermelho a Duarte Foro logo no princípio do jogo como resultado de uma spear tackle  - que terminou com o marcador a assinalar 15-0 favoráveis à equipa de Gonçalo Foro, onde Pedro Cabral foi a grande figura ao concretizar as cinco penalidades que fizeram funcionar o resultado.



Já no segundo tempo - apesar do segundo vermelho do jogo assinalado no final da primeira parte a Vasco Fragoso Mendes, por pisotear um adversário -  as coisas correram de outra forma, e a primeira meia hora ficou por conta de Gonçalo Malheiro, que, com três penalidades e um drop, reduziu para 15-12.

Aos 31 minutos, no entanto, o CDUL marcou o primeiro ensaio da partida, por intermédio de João Lino e com transformação de Pedro Cabral, levando o resultado aos 22-12, que pareciam indicar que a equipa azul seria capaz de aguentar o já tradicional ímpeto final dos advogados e conquistar o cobiçado troféu.

Mas os advogados não abrandaram, continuaram a pressionar e acabaram por ser recompensados aos 39 minutos de jogo com um slalom de Luis Sousa que terminou com um ensaio entre os postes, e, na derradeira jogada do encontro, com um ensaio de Diogo Coutinho, ambos com transformação de Gonçalo Malheiro, que virou o resultado e deu a vitória ao Direito.

O jogo foi bem dirigido por Paulo Duarte, e apesar das duas expulsões referidas (ou por isso mesmo...) não teve problemas de maior.

SUB-23, TAÇA VAI PARA O PORTO
Entretanto nos Sub-23 o CDUP venceu o CDUL por 38-20, levando para o Porto a primeira das sete Taças de Portugal do sub-escalão senior já disputadas - já foi sub-20, passou para sub-21 e este ano foi sub-23.

Os portuenses cedo marcaram os primeiros pontos, e se o jogo esteve relativamente equilibrado, o CDUP
soube aproveitar muito bem estar com o vento pelas costas, e transformar em pontos muitas das faltas cometidas pelo CDUL.
Rodrigo Figueiredo esteve muito bem nas penalidades e como foi dele também o primeiro ensaio, aproveitando uma falha defensiva da equipa alfacinha, o resultado chegou aos 19-0 só com a sua intervenção.

Nesta altura o CDUL conseguiu reagir e Martim Megre marcou o primeiro ensaio da sua equipa, que Bernardo Megre converteu, reduzindo para 19-7.

Logo a seguir, uma distracção cdulista permitiu que numa penalidade jogada à mão, Carlos Sottomayor marcasse o primeiro dos seus dois ensaios, que Rodrigo Figueiredo, mais uma vez transformou. 26-7 no marcador.


A fechar a primeira parte Bernardo Canas com um ensaio, reduz para os 26-12 com que se chegou ao intervalo.

O CDUL entrou bem na segunda parte e Bernardo Megre conseguiu reduzir de novo, agora para 26-15, mas o CDUP retomou o controle do jogo, Carlos Sottomayor marcou o seu segundo ensaio, para os 31-15, e Francisco Marrana faz o último toque de meta dos portuenses, que Rodrigo Figueiredo converteu mais uma vez, para os 37-15.

Já no final da partida, Fábio Conceição marca um ensaio à ponta, fixando o resultado final nos 38-20, numa justa vitória da melhor equipa do dia.

O filme dos ensaios que viraram o jogo a favor dos advogados
pela câmara de António Simões dos Santos

1º ensaio





2º ensaio







Fotos: António Simões dos Santos/Rugby Photo Store, Miguel Rodrigues/Rugby Photo Store

13 comentários:

Anónimo disse...

Uma vitória com muita classe. Grande equipa, grandes jogadores, grandes ensaios, grande público (sem cantorias de mau gosto para o adversário e outras equipas ...), grande DIREiITO !

Anónimo disse...

Europeu de Sub18:

Streaming deferido do Portugal vs Georgia às 13 horas de Portugal, no site do costume.

Anónimo disse...

Great Duke… secalhar precisa de óculos pa ver estas fotos….

Anónimo disse...

Tanto ódio nos comentários, mas a primeira foto da segunda sequência é duvidosa e o pé do Palha pode estar na linha. Mas estes lances são muito rápidos e cá não se usa o TMO... Mas uns ganham se é outros perdem se

Anónimo disse...

Jogo disputado até ao fim! Atenção às expulsões, não pode ser admissível, em Rugby, um jogador pisar, propositadamente, quatro vezes seguidas a cara de um jogador adversário. No Mundo do Rugby seriam no mínimo 6 meses, em Portugal talvez 3 semanas.
A arbitragem pode não ter sido má, mas é necessário estar muito mais atento aos fora de jogo, aos 10 metros e aos rucks. Não é fácil, mas é necessário!

Great_duke disse...

Caro amigo, as fotos em causa:
-não esclarecem nada e, mais importante,
-não mostram o lance todo.

Como disse pelo menos 3 outras pessoas, sendo que eu so conheço uma delas e que até estava pelo Direito, viram o mesmo que eu vi.

Mas não creio que agora valha a pena discutir isso porque a decisão está tomada.

Agora eu mantenho a minha opinião e sugiro-lhe que, se nao estava no local e em boa posição para ver o lance, meta a viola no saco.

Eu dou a minha opinião desapaixonadamente e não anónima como sempre... até me posso enganar (como toda a gente e até o auxiliar de ontem), mas tenho a certeza do que vi.

Great_duke disse...

E volto a dizer que o Direito fez uma excelente 2a parte e mereceu ter a sorte do jogo...

Anónimo disse...

Um jogo de sangue, suor e lágrimas!

Sangue, pois houve atitude guerreira dos dois lados, com placagens duras, algumas que levaram até a substituições temporárias para ... reparar os estragos!

Suor, pois ambas as equipas se entregaram ao jogo, porém com o CDUL a acomodar-se e o Direito a acreditar até ao fim e a ser recompensado por esse querer e essa vontade!

Lágrimas, umas de tristeza e desânimo para o CDUL, que viu voar uma taça depois de em Sub23 ter levado um banho de rugby e, depois, em séniores foi o que se viu! Lágrimas de alegria e de contentamento para os jogadores de Direito e seus adeptos, que sonharam até ao fim e conseguiram.

Parabéns a ambas as equipas!

Não venham agora a discutir arbitragens.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

great duke , cada um tem as suas certezas eu estava com mais 5 pessoas e todas elas sao unanimes o jogador do Direito nao pisou a linha, ha que acreditar no liner que era quem seguramente estavamelhor posicionado para avaliar a situacao

Anónimo disse...

se pisou ou não pisou foi por uma coisinha minima que ninguém consegue ter certezas. a unica certeza é que foi uma jogadona do salvador palha. ou pensam que é fácil receber a bola nos 5 metros aguentar a defesa e entregar a bola como ele fez com o braço de fora ? máquina é o que é ! aliás os dois ultimos ensaios do direito têm pormenores individuais impressionantes. o slalom do luis sousa, o pontapé de 60 metros do malheiro e a escapa e passe do salvador ...

Great_duke disse...

Sem dúvida, por isso digo que o Direito mereceu a sorte do jogo. Mais do que o ensaio final, o slalom do Luís Sousa fica na memória de quem viu o jogo.

Quanto à linha, a melhor pessoa para dar uma versão justa é o próprio Palha, mas como já antes disse, isso agora não interessa nada...

Sábado há mais rugby e eu, infelizmente, estarei de volta à rotina do Luxemburgo. Com muito pouco rugby.

Já agora, os putos do Lux conseguiram um espectacular 3o lugar na divisão B dos sub-18. E estiveram a 2m de se apurarem para a final...

Anónimo disse...

Se pisou por um bocadinho é fora! Mas se o liner não marcou, segue o jogo, é a vida. Vamos ao próximo!