28 de outubro de 2013

LOUSÃ MAIS PRIMEIRA E EQUILÍBRIO EM TODA A LINHA

Reduzidas a duas as equipas ainda invictas na Primeirona, mas a Lousã destaca-se do Caldas graças aos bónus de ataque, já que a equipa serrana tem conseguido o ponto extra em todas as jornadas, enquanto os pelicanos só o conseguiram uma vez.

O Sporting venceu o Vitória de Setúbal e distanciou-se do Loulé, sétimo da tabela e primeiro fora da zona do play-off, enquanto Benfica e Évora venceram com bónus e estão na terceira posição com 10 pontos cada uma.



Santarém, São Miguel e Agrária não pontuaram e continuam todas com um ponto apenas a dividir a lanterna vermelha.


Pesada derrota para os novos primodivisionários que ainda não entraram no ritmo da competição, mas que no jogo com uma equipa teoricamente mais acessível esteve muito bem e até conseguiu o bónus defensivo.
Este choque com uma nova realidade acontece sempre que existe uma mudança
de ambiente (leia-se, de divisão) e na forma como as equipas lhe resistem define quem vai conseguir lutar pela manutenção e quem não o conseguirá.
É ainda cedo para se saber como as equipas se comportarão, não apenas as que subiram, mas também as duas ou três que lutaram no ano anterior para não descer.
O alargamento da Primeirona representa toda uma novidade, com mais jogos, mais deslocações, mais exigências, e é natural que haja um período de adaptação mais prolongado que o habitual, faltando saber como se comportarão as equipas com mais quatro jogos a realizar que no passado.
Uma coisa porém, é certa: quem resistir vai ficar mais forte e mais competitivo!
A vitória dos serranos nunca esteve em dúvida e os números que assumiu pouco querem dizer nesta fase da prova, a não ser que a Lousã está encarando a competição de uma forma muito séria, e que se aguarda com todo o interesse os encontros que virão e que oferecem maior grau de dificuldade, em princípio...


O Caldas venceu sem grande dificuldade, mas não conseguiu o tão desejado ponto de bónus, mesmo num encontro em que jogou em vantagem numérica por duas vezes, apesar de ter beneficiado de um ensaio de penalidade.
Estes factos são importantes para a análise do que se passou, e uma coisa parecem indicar - que os pelicanos não terão motivos para reclamarem da arbitragem.
Chamo esta questão ao comentário porque não posso deixar de lamentar a rol de declarações de ignorância, preconceito e má fé que me chegaram durante a semana com acusações destemperadas sobre os árbitros que apitam em Loulé.
Começa a ser cansativo ter que ler tanto lixo, mesmo quando o não publico, e aconselho os nobres comentadores a lerem, para começar, o Livro de Leis - pensem com honestidade e digam-me quando foi a última vez que o abriram?
Claro que eu sei que não é fácil, já que quem tinha obrigação de manter acessível ao público um Livro actualizado em português, não o faz há muitos anos, comprovando o desinteresse que na Julieta Ferrão se dá às coisas mesquinhas do rugby, mas podem sempre consultar o site da IRB onde se encontram exemplares para download em inglês, francês, espanhol, italiano, ou mesmo noutros idiomas mais exóticos como o chinês, o russo ou o japonês...
Mas não em português - original ou com sotaque!
Voltando ao jogo do Algarve, claro que não foi apenas na inépcia do Caldas que residiu a não obtenção do bónus de ataque, e crédito tem que ser dado à jovem equipa louletana que demonstrou que ainda não está afastada da luta pelo play-off, e que será nos encontros com as equipas do meio  da tabela que essa questão se resolverá.


Num jogo de fraco recorte técnico tornou a ficar patente que os encarnados lutam sim pelo play-off, mesmo que não o admitam, mas também se viu que ainda há muito trabalho a realizar.
Na verdade numa divisão tão competitiva como esta, não basta fazer um bom jogo - como aconteceu na semana passada nas Caldas - é preciso jogar sempre bem, sob risco de perder pontos de difícil recuperação.
E se é verdade que o Benfica marcou quatro ensaios ao Santarém, também é verdade que permitiu que o adversário tivesse um melhor comportamento no segundo tempo que no primeiro.
Claro que também aqui há que dar crédito aos cavaleiros, que têm óbvias dificuldades de plantel, apenas colmatadas com o espírito e a garra que levam para campo.
Mas se o Benfica quer ser um verdadeiro candidato a mais que ficar simplesmente entre os seis primeiros, vai ter que se esforçar mais.


O Évora perdeu pesado na semana passada na Lousã, mas nos dois jogos
disputados em casa, com equipas teoricamente mais fracas, atingiu plenamente os seus objectivos.
No entanto aplicam-se aos chaparros alguns dos comentários feitos a propósito do Benfica, já que um candidato ao título - os alentejanos são sempre candidatos ao título! - não pode ter oscilações de rendimento tão acentuadas, e por muito bem que a Lousã esteja, uma vitória tão fácil como a conseguida na Serra não pode acontecer.
Quanto aos charruas, continuam o seu período de aprendizagem e é importante que tenham paciência para esperarem os embates decisivos com as equipas que têm os mesmos problemas do que eles.



Um jogo decidido por uma transformação de ensaio o menos que se pode dizer é
que foi equilibrado...
Na verdade se as ambições do Sporting e o seu crescimento não são uma surpresa, o mesmo não se pode dizer dos resultados obtidos pelos sadinos, que sendo uma equipa que no ano passado revelou grandes dificuldades com o seu plantel na fase final da prova, apostam de novo na classificação na zona do play-off para garantirem a manutenção.
E a verdade é que o estão a fazer muito bem.
Os leões continuam o seu período de adaptação e tudo indica que se sairão bem com a tarefa...

Aproveite e veja aqui a classificação da Primeirona, um exclusivo do Mão de Mestre.



TAÇA DE PORTUGAL
Realizou-se este domingo a 3ª eliminatória da Taça de Portugal, a derradeira disputada apenas entre equipas da 2ª Divisão.

BAIRRADA 26-27 FAMALICÃO
No jogo que colocou frente e frente uma equipa do centro e uma do norte, venceu o Famalicão que tem sido reconhecida como mais forte, e que conseguiu na época passada um lugar nas meias finais do campeonato.
Mas o que não se esperaria foi a resistência que os bairradinos ofereceram e que mostra o cuidado com que a equipa está a preparar a sua participação na zona centro/norte da segundona.

FCT 5-14 VILA DA MOITA
A vitória do Vila da Moita não constitui surpresa para quem acompanhou a pré ribatejanos já vão no seu terceiro jogo a doer, e que os tecnológicos, apesar da vitória em Borba, estão francamente mais atrasados na preparação da equipa.
época destas duas equipas, tendo ainda em consideração que o Vila da Moita pode beneficiar do seu recente estatuto de equipa satélite do Direito, depois de uma experiência semelhante vivida com o Técnico.

A prova prossegue no fim de semana de 23 e 24 de Novembro, já com a participação das 10 equipas da Primeirona, estando por fazer o respectivo sorteio.

TORNEIO DA EQUIPAS B'S
A uma semana de começar o nacional da 2ª Divisão aumenta a confusão no que respeita ao que fazer com as equipas B's que se inscreveram para as competições nacionais.
Apesar dos conselhos dados por gente com muita experiência, a FPR resolveu avançar com um Torneio Nacional de equipas B's, ofuscada com o brilho que a inscrição de sete conjuntos parecia oferecer.
Das sete equipas o CRAV disse desde o princípio que não participaria de uma prova nacional e foi incluído na 2ª Divisão, zona centro/norte.
Mais flexível, a Lousã prescindiu dessa participação e aceitou a realização do tal Torneio de B's.
Na zona sul/Lisboa, a par dos habituais Técnico e Évora, surgiram o Caldas, o Sporting e o Loulé.
Mas o início da prova trouxe uma realidade diferente, que apenas foi uma surpresa para quem não tenha memória dos anos passados...

Assim, o Évora, o Caldas e o Técnico simplesmente não chegaram a disputar nenhum dos jogos que tinham previsto - o Sporting também não, mas pelo que se sabe, apenas porque o adversário escalado não deu à costa... - e o único jogo disputado, de todos os que estavam previstos, acabou por ser o Loulé-Lousã...

A FPR entretanto inquiriu os clubes da segundona, zona sul/Lisboa o que achavam da inclusão do Técnico no seu grupo, ao que a maior parte delas não parece receptiva, e nós ficamos na dúvida sobre o que se pretende fazer com as outras equipas...

Claro que esta matéria seria um bom tema de discussão, mas teria sido mais engraçado se tivesse sido feito antes da época começar...

Agora, a menos de uma semana do início da Segundona, com as equipas deste escalão organizadas e preparadas, o que irá acontecer?

Mais uma vez apelamos a quem pode e manda que crie um departamento de competições que se encarregue de prever e gerir as três grandes competições nacionais, para que o rugby nacional deixe de ser uma palhaçada que anda aos tombos sem um plano e uma orientação.

Dizer que a federação faz o que os clubes querem não serve, já que se espera bem mais do orgão dirigente - embora não deva, como o fez por múltiplas vezes, tendo depois de voltar atrás, avançar com aventuras inconsequentes.
A federação deve ouvir em tempo próprio os clubes, mas é ela que tem que ter uma política de desenvolvimento e crescimento, não os clubes.

Vamos aguardar para saber quais os passos que se vão seguir...

Fotos: Teresa Mendes Vitorino, Francisco Albuquerque Afonso, Rugby Vila da Moita, Rugby Clube de Loulé e Rugby Club da Lousã

32 comentários:

Anónimo disse...

Não contente com o que aconteceu nas Caldas na semana passada, o pilar do SL Benfica continuou a ditribuir murros, cotoveladas e pisadelas a tudo o que era do RC Santarém. Há que vislumbrar alguma satisfação por ver alguém que fica com um ego tão grande por fazer isto dentro de campo! Parabéns, que grande homem!

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Segundo o que se tem vindo a ler neste espaço de Rugby, Até parece que o Caldas está no fundo da tabela e que ainda não ganhou nenhum jogo. Quando a verdade é que ainda não tem uma unica derrota e tem apenas 1 ensaio sofrido.
Diz o mdm que nada a dizer sobre a arbitragem do ultimo jogo...concordo, tendo em conta que aquilo nem arbitragem é, pode ser considerado um factor de equilíbrio no jogo, visto que o loulé perdoem-me os os adeptos, não tem qualquer tipo de fio de jogo ou construção ou o quer que seja,
O que se passa é o seguinte, vive à sombra de uma federação com poucos recursos tem e que pouco faz pelo rugby em portugal e que não enviam arbritos decentes para estes jogos e dá no que dá,digo mais tenho sérias duvidas sobre a manutenção do loulé na 1ª divisão.
Mas mesmo "a ferros" a vitoria foi arrancada, difícil? não, não houve um único momento do jogo em que se possa dizer que o loule dominou, ou que esteve perto de o fazer.
A realidade é que o Caldas este ano está a incomodar muita boa gente e vamos ser sempre o alvo a abater.
Seja nos blogs, secretarias ou na federação, daí o facto de tentarem mostrar que o caldas é aquela equipa que tem sempre sorte e la vai ganhando os jogos e que as outras equipas jogam sempre mais que o Caldas, mas a verdade é que os factos falam por si, não temos nenhuma derrota e vamos continuar a trabalhar para que assim seja durante toda a epoca.

Contra tudo e todos!!! Caldas Sempre!

Anónimo disse...

Observo o Santarém há uns anos e chego à conclusão que é equipa de I Divisão. Nem acima, nem abaixo, é uma equipa com lugar no segundo escalão de rugby nacional. Eventualmente podem almejar, um dia, a ir mais além, assim consigam condições de treino e campo próprio, mas, por agora, estão ''na sua praia''. E digo isto porque vão debelando obstáculo a obstáculo, seja a casa às costas, seja falta de atletas, seja jogarem com vets, seja não terem condições de treino.
O Santarém tem a obrigação de melhorar, de vencer mais jogos e/ou pontuar mais, desfrutando dos pontos de bónus, no entanto, tem também a obrigação de dar continuidade às lições de desportivismo que tem dado país fora - nem sempre em campo, mas nas terceiras partes são imbatíveis.
Na época passada muitos se riram mas o Santarém não terminou em último lugar. Este ano também não terminará, é a minha aposta.

Abraço

Anónimo disse...

Bom dia.
Gostava de esclarecer que o Tecnico inscreveu a sua equipa B para jogar na 2º Divisão e não para jogar num torneio de equipas B. Por essa razão é que não compareceu (tendo avisado as equipas adversarias) nos jogos do "torneio B", estando à espera da reposta da federação ao seu requerimento para jogar na divisão em que inscreveu a sua equipa.
Antes de se escrever, convem fazer alguma pesquisa... o rugby em Portugal não é assim tão grande que nãos e consiga saber o que se passa, e é do conhecimento geral que o Tecnico que que a sua equipa B jogue na 2º Divisão, por razões desportivas e economicas.
Já agora era bonito ter algum respeito pelo esforço que Tecnico tem feito apra apresentar uma segunda equipa nos campeonatos nacionais e sempre competitiva.
Qual é o clube em Portugal que tem seniores A, sub21 e seniores B a jogarem no mesmo dia com horas de diferença?

Paulo Miguel (CRT)

Manuel Cabral disse...

Paulo Miguel,
Gostavas que me explicasses onde encontraste no texto - neste ou noutro qualquer - uma declaração desrespeitosa para com o Técnico - seja ele AEIS ou CR - que justifique a tua má disposição.
Agradeço o teu esclarecimento, mas quanto ao resto está completamente fora do contexto da conversa.
A verdade é que a FPR criou um Torneio para equipas B's, o Técnico lá aparece devidamente anotado, e o mesmo Técnico não compareceu aos jogos que lá estavam marcados - como não compareceu o Caldas ou o Évora.
Se o Técnico queria que se soubesse que não aceitava aquela marcação, deveria ter utilizado os canais próprios para o fazer, nomeadamente um comunicado aos outros clubes e à imprensa.
Mas não, segundo tu próprio dizes, limitou-se a informar os clubes com quem deveria jogar, que não compareceria.

E não existe no texto qualquer juízo de valor sobre essas ausências, que possam ter-te melindrado.

Anónimo disse...

Apesar do resultado e por muito que aparente ter sido uma vitória confortável a verdade é que não me parece que este Benfica tenha estofo para voltar à Divisão de Honra. Ainda há muito que melhorar a nível de construção de jogo de maturidade e de humildade... Foi mais um festival de fruta para o pilar encarnado como diz o comentário das 07:34.

Anónimo disse...

O Técnico não contestou na devida altura a inclusão da sua equipa num Campeonato Nacional de equipas BB. Aceitou inclusive a marcação de jogos. E agora vem tipo "virgem ofendida" reclamar para jogar na 2ª divisão.
Devia ter contestado e talvez a Federação não tivesse avançado para esta barbaridade de campeonato das BBs que os mais experientes sabiam que não ia dar em nada. A Federação aceitou algumas contestações de equipas da zona Centro para que as BB não integrassem o campeonato da 2ª divisão, depois de já estar o calendário apresentado. Juntaram a zona centro da 2ª Divisão à zona Norte e vamos agora ver quem sairá beneficiado.

Anónimo disse...

Observando de fora, não me parece que o Benfica tenha pressa, ou que queira apressar o regresso à divisão principal. Com calma, parece quererem fazer crescer uma equipa que, mesmo assim, parece suficiente para um lugar nos playoff, quem sabe até com apuramento directo para as meias-finais. Já me parece que seria positivo para o Benfica.

Anónimo disse...

eu gosto do espirito do Santarem, um grupo bastante jovem (talvez em demasia) cheio de garra e convicçao. quem sabe possam ir evoluindo e surpreendendo. ate agora a falta do Stilwell nao se fez sentir minimamente, ao contrario do que muitos previam.

abc

Anónimo disse...

O perfume de Diogo Stilwell nota-se logo na equipa do Sporting CP. Que grande jogador este! O melhor Ruivo a jogar em Portugal! Força Stilwell!

Anónimo disse...

Um Grande Jogo entre a Bairrada e o Famalicão, embora a inexperiência do árbitro que prejudicou as duas equipas com algumas más decisões.

Em relação a réplica da Bairrada,não se percebe a admiração do MDM. Basta verificar os resultados da Pré-época contra as equipas da 1ºDivisão...

Anónimo disse...

O técnico não tem culpa, a federação não tem culpa... Quem não tem mesmo culpa são os clubes que já prepararam uma época com base num calendário.

Parem de gozar com quem organiza estas coisas e deixem as coisas como estão.

Anónimo disse...

Era melhor que agora voltassem a alterar. Teriam de voltar ao principio com a constituição de 3 regiões. Parem de gozar como diz o comentário das 20.18

Anónimo disse...

Caro adepto do Caldas.

Cuidado que quem alto voa de alto cai.
O Caldas está com uma equipe cheia de bons jogadores, não há dúvida nenhuma, mas como em qualquer equipe as peças do puzzle podem não encaixar umas nas outras.
Recorde-se do Real Madrid que choviam estrelas naquela equipe e foi o que foi.
Desejo as maiores felicidades ao caldas, espero que colha frutos no investimento que estão a fazer, mas um de honestidade não faz mal a ninguém.
Ainda é mt cedo para começarem a largar foguetes....

Anónimo disse...

Lagartagem, no nosso campo mandamos nós! Vão ver que os verdaeiros campeões fomos nós.

Força Buldogues!

Anónimo disse...

Essa história que o Técnico devia realizar um comunicado à imprensa é mesmo história de quem não tem nada que fazer. O Técnico inscreve-se para um campeonato, é, pela FPR, inscrito noutro para o qual não se inscreveu. Como tal é junto da FPR que manifesta o seu desagrado com esta situação e tenta resolver o assunto. . Os seus dirigentes têm a ombridade de comunicarem com os clubes que supostamente iriam jogar, e indicar que não vai estar presente. O seu comentário, caro Manuel Cabral, dá a ideia que o Técnico tem alguma responsabilidade no facto de a FPR, o ter inscrito onde não devia???? Existem alguns clubes que não querem jogar com o Técnico B, porquê? Porque leva velhos, novos, universitários e jogadores da equipa A que não foram convocados? Que têm paixão pelo jogo e só querem jogar? Onde está o espírito do Jogo? O que a FPR tem que pensar é que sem o Técnico B são menos umas dezenas de atletas federados. Não fazem falta?

NF CRT)

Anónimo disse...

Não se discute o Técnico B jogar ou não, nunca poderia é, sendo uma das equipas mais inconstantes da segunda divisão, ter peso na classificação. No ano passado tudo correu bem.

Agora, não peçam a DIAS do início do campeonato que se mude tudo por causa do Técnico B, aliás, que se mude tudo por causa seja de quem for. Esta palhaçada tem de acabar.

Querem uma solução ? que se encontre uma que mantenha oque já está programado. Como isso em princípio não existe por não haver fins de semana para reorganizar isto tudo o Técnico B que aceite que para o bem de todo o grupo Lisboa Sul tem de ficar de fora. Não têm culpa ? Os clubes também não têm, nunca ninguém disse que não aceitava o Técnico B, agora é que não pode ser.


Anónimo disse...

Falar do que não se sabe...

O Técnico B inscreveu-se na II Divisão, tal como nas 2 últimas épocas...

As classificações das Equipas B não contam para a classificação, para não causar celeuma.

O Técnico manifestou, desde a primeira hora, repito, desde a primeira hora, discordância em participar num torneio de equipas B onde foi colocado, sem sequer (e isto é genial) que tivesse sido aprovado e divulgado o respectivo regulamento, ou seja, fez-se sorteio, local, horas de jogos...e só depois o regulamento que faz a competição...

O Regulamento da II Divisão admite expressamente a utilização de Equipas "B"

O CRAV tem uma equipa "B" na II Divisão. E tem no legítimo direito que o regulamentos lhe conferem.

Porque não pode ter o Técnico?

O Técnico dirime os seus litígios nos instâncias competentes, neste caso junto da Direção da FPR e do CJ. Não é a imprensa que decide...é a Direção da FPR e, em sede de recurso, o CJ. Daí esgrimirmos argumentos nestas sedes e não em comunicados...estes sim são os canais adequados.

E não se lembrou agora de o fazer...fê-lo desde a primeira momento...porém não houve decisões até agora...e este sim, é o problema...

É só isto o que se passa...

Não se percebe tamanha celeuma...A equipa do B do Técnico é constituída por veteranos, não convocados das equipas SUB23 e senior, Erasmus que passam nas Olaias, jogadores dos Universitários, curiosos...

É algo que é tradição no clube e que gostamos de manter.

Os resultados da equipa não influenciam a classificação na II Divisão...

Era mais fácil para o Técnico não ter 3 equipas seniores em competição...Senior A, Senior B e Sub23...mas faz um esforço enorme para o ter...creio que isso seria de ser de elogiar...

AC

Anónimo disse...

Não. Se. Pode. AGORA. Alterar. UMA ÉPOCA TODA DE 8 EQUIPAS POR CAUSA DE UMA !!!

Anónimo disse...

Mais digo, 8 clubes de um lado, técnico B do outro. A FPR seria mormente estúpida de tomar esta decisão da forma errada.

Anónimo disse...

Percebo a indignação da incerteza mas esta não foi causada pelo Técnico, que quis e quer participar na II Divisão, com a sua equipa "B", à imagem dos últimos anos...

E sempre disse isso nos canais adequados, manifestou-se desde a hora inicial que queria jogar na II Divisão, como tem feito e como tem direito regulamentar em participar...

E, nunca é demais referir, se o CRAV pode, porque não podemos nós?

Qual a diferença?

Por isso a indignação não deve ser contra o Técnico mas sim contra a FPR e o seu Departamento de Competições que:

- Colocou o Técnico B numa competição que não queríamos, sem nos pedir sequer parecer;

- Competição essa que foi sorteada, emparelhada sem regulamento aprovado previamente;

- Faz tábua rasa do regulamento da II Divisão que permite a inscrição da Equipas "B" (menos para o CRAV);

- Há semanas largas que pedimos resolução deste problema e até agora nada...

Por isso, virem a indignação para a Julieta Ferrão e não para as Olaias.

Nós só queremos jogar e na II Divisão, com a equipa "B" porque tem mais jogos, é uma competição regional, à volta de Lisboa, com todas as vantagens que isso acarreta...

Não há Técnico de um lado e 8 clubes do outro. Muito pelo contrário, é por haver esse 8 clubes, que nós queremos disputar essas competição.

Qual o mal dessas equipas jogarem contra o Técnico e fazerem mais dois jogos, que não contam para a classificação? Não é bom? Não queremos todos jogar mais?

É só rugby, XV contra XV, sem politiquices, sem influencia na classificação e, de preferência, com 3.ªs partes animadas com as duas equipas...Só isso...

AC

Anónimo disse...

Olhe para o Calendário e vai perceber que incluir agora mais esses dois jogos vai impossibilitar a competição, não há fins de semana para conseguir manter o calendário que já existe e toda a gente jogar contra o Técnico B. E não podemos sortear tudo outra vez, são estes os factos. A culpa não é do Técnico... tudo bem, e ninguém tem nada contra jogar contra o Técnico B. Mas apresente uma solução que não passe pelo re sorteio de uma competição que já tem a logística montada e arranca este fim de semana... Existem outras equipas B na região de Lisboa, se o Campeonato B não funciona porque não procuram criar um calendário para jogos ? vai haver fins de semana em que as equipas da Segunda Lisboa não tem jogos e concerteza que algumas não se importariam de jogar com o Técnico B nessas alturas. Mas não podem por na ideia que agora podem alterar oque já está pronto ! É loucura !

Agora, concordo consigo que se aufira a responsabilidade disto, foi a FPR que criou esta situação ao ignorar o técnico havendo o precedente do CRAV ? Ou foi o técnico que a alguma altura ou na forma de alguém anuiu na participação no campeonato B ? quem de direito que se pronuncie. Mas mais uma vez os clubes é que não tem culpa disto, o Técnico B não foi apresentado em Sorteio, nem foi pedida opinião sobre a participação ou não deste. (Salvo na semana passada) Este trabalho de logística implica contactos trabalho e dinheiro, temos duas equipas de fora que estão dependentes de deslocação camarária frequente e os clubes de Lisboa têm duas deslocações para combinar com as suas respectivas estruturas, isto é amador, a maioria dos jogadores é Sénior tem família e trabalho... e voçês com a vossa estrutura deviam saber isso melhor que ninguém. Isto tudo são mais do que razões para vocês se mentalizarem que é uma Loucura exigirem agora que se altere seja oque for, peçam voçês compensação há FPR, que com as parvoíces da Julieta Ferrão nós já sofremos todos.

Anónimo disse...

Mas quais equipas B na região de Lisboa?

O Caldas que já desistiu?

Évora, Loulé e Lousã que são na região de Lisboa?

Então fazem-se séries regionais nas II Divisões para evitar que se jogue, pelo menos numa fase inicial do Minho ao Algarve...já que isso ia inviabilizar desportiva e financeiramente os clubes que neles participam...e depois faz-se um torneio de equipas B, da Lousã a Loulé?

Faz sentido?

E, reitero, mais uma vez...já nos dois últimos anos participamos na II Divisão como equipa AEIST B na segunda divisão...e antes disso, como equipa satélite CRT, durante...anos e anos afins na II Divisão, muito até antes de alguns dos clubes que agora disputam a II Divisão...

Por isso não há aqui um dado novo, uma novidade...É tudo como antes...

A diferença é que decidiu-se criar um torneio de equipas B, da Lousã a Loulé, fez-se sorteio, antes de sair qq regulamento da competição...e o Técnico foi supreendido ao ser incluído nessa competição, dizendo ab initio, que queria e era seu direito jogar na II Divisão...

Não temos culpa do que se passa...reagimos em tempo, nas sedes adequadas...se na Julieta Ferrão não têm tempo para se dedicarem a isto ou só agora se viram para o assunto, que culpa temos nós...e porque é que temos de ser prejudicados se cumprimos escrupulosamente o que é prescrito nos regulamentos, se o que pedimos não é um favor mas um direito que assiste à luz do regulamentos actuais?

Mais uma vez...esta incerteza é má para nós, é má para os clubes que participam na II Divisão e até para os clubes dos campeonatos "B"...mas a confusão é gerada na Julieta Ferrão...

E porque é que temos de nós ser prejudicados com confusões federativas? E vocês?

Um bocado de solidariedade entre os clubes, para ultrapassar estas trapalhadas federativas?

Anónimo disse...

Anónimo de 29 de Outubro de 2013 às 12:49, tento nos dedos... que esse não é tipo de "linguagem" do São Miguel! Provocações baratas não fazem parte de quem tem já muitos anos de rugby!!

Anónimo disse...

Alto lá. Pára o baile.
Se o Técnico B entra na 2ª divisão então a Lousã B também quer entrar.
Será que é só o Tecnico B é que não joga, ou a Lousã B que desde 1985 joga com duas equipas seniores, umas vezes equipas BB outras vezes como Nucleo de Rugby da Lousã, que também não joga. Recordem-se do calendário apresentado este ano com três zonas e entretanto alterado para duas zonas. Recordemos que na reunião da 1ª divisão a Lousã informou que teria este ano uma equipa B competitiva. Com esta brincadeira, dois clubes que tradicionalmente apresentam equipas BB ficaram a pão e água.

Anónimo disse...

Então pronto, manda tudo abaixo ! Refaz os sorteios !

Anónimo disse...

o Sporting tb quer entrar na II-Divisão com a sua equipa B

Anónimo disse...

O Loulé B espera que os clubes sejam solidários e que ajudem a resolver o seu problema... E também quer jogar na Divisão II.
E quer jogar contra todas as equipas duas vezes.

Anónimo disse...

O Évora também quer jogar o campeonato da 2ª divisão com a equipa B

Anónimo disse...

Olha uma ideia dos Diabos... joguem todos uns com os outros !!! :O

Anónimo disse...

E tudo isto para juntarem a zona centro com a do norte. Vamos a ver quantas faltas de comparência haverá nesta série. Força Aveiro. Força Tomar. Forća UTAD. Força CRAV B. Vocês vão mesmo precisar de força