19 de julho de 2015

SONHO OLÍMPICO ACABA NO JAMOR

Com uma derrota frente à Rússia nos quartos de final do Torneio de Repescagem, Portugal diz adeus ao sonho Olímpico e encerra um ciclo da vida dos sevens nacionais.
Agora chegou a hora de fazer as contas e aguarda-se que o principal responsável pela queda daquela que foi durante uma década a melhor equipa da Europa assuma as suas responsabilidades e cumpra o seu destino - o silêncio e a sombra.

Com eleições à porta na FPR o presidente Amado da Silva - maior responsável pelo que se passou, levando os sevens nacionais a um completo abandono - terá que justificar as suas opções e a sua política desportiva, a falta de aposta no desenvolvimento e na expansão do jogo em todo o país.

A hora é de luto e de prestação de contas. Carlos amado da Silva fica na história como o principal responsável do enterro do rugby português.

2 comentários:

Antonio Freitas disse...

Como ficou claro depois deste segundo dia desastroso , quando a competitividade aumenta a equipa cai .
Depois de uma época desastrosa com o maior investimento alguma vez feito numa selecção nacional este conjunto de resultados que começaram em Setembro foi ruinoso , não foi por falta de tempo , meios e jogadores , fracassaram na falta de um colectivo a atacar e defender , na gestão da equipa (tantas entradas e saídas -sem justificação , o que anda este Francisco Sousa a fazer lá ?! é claro a sua incapacidade ) e o planeamento .

Viver na ilusão de ser os melhores da Europa num tempo que os outros não treinavam e as melhores equipas não jogavam já não serve , encarar a realidade ficámos piores e os outros melhores .
Este conjunto de treinadores já tinha dado provas no passado que não serviam , vivem de métodos e tempos passados , de glórias fáceis (ganhar aos fracos é fácil ) e que se endeusaram .
O que se viu foi uma equipa sem colectivo e sem chama , que evidencia problemas a todos os níveis e distância para com os treinadores .

O Cabé tem responsabilidades de ter posto ao comando alguém que tinha de se ter retido após o fracasso de 2011 , ter mantido a mesma política orientado pelo Tomaz Morais foi a continuação e a persistência no erro , esperamos que exista com este outro presidente uma inversão de 180 graus na política desportiva que nos tem conduzido ao retrocesso .
À muito que esta filosofia pós 2007 elaborada pelo Tomaz Morais tem fracassado , as selecções vindo a perder competitividade .

Antonio Freitas disse...

Importante falar do bom também , PARABÉNS às meninas e ao trabalho do João Mirra sempre muito sozinho e desacompanhado , mas uma boa recompensa pelo trabalho desenvolvido ,

PARABÉNS MENINAS