22 de julho de 2013

MOITA RUGBY CLUBE DA BAIRRADA EM FRANCO CRESCIMENTO

O Moita Rugby Clube da Bairrada existe desde 1975 e ele é já um clássico do rugby na região centro, e atravessa uma fase de grande afirmação, com a construção de novas instalações desportivas, e com a vitória dos seus sub-18 no Nacional da série B, o que lhe deu acesso à disputa em 2013-14 da principal série do Campeonato do escalão.

Não vamos falar sobre as origens do Moita pois elas são bem conhecidas e estão bem explicadas no site do clube, mas vamos antes falar do presente e do seu futuro, com o seu novo presidente, um produto das escolas do clube que tem ideias claras de como seguir a via do crescimento.

Mão de Mestre: Quem é o Diogo Rodrigues no rugby e fora dele?
Diogo Rodrigues: Sou uma pessoa bastante simples, tanto no rugby como fora dele.
Tenho 25 anos, conclui recentemente o mestrado em Gestão e Sustentabilidade no Turismo e sou jogador federado pelo Moita Rugby Clube da Bairrada há cerca de 11 anos.
Sou também treinador do escalão Sénior Feminino em conjunto com o Rui Rodrigues e, desde a época transata, presidente do clube.
Este acumular de funções tem de facto ocupado grande parte do meu dia-a-dia mas é com muito orgulho que me entrego a esta causa pois este clube e este desporto bem merecem por tudo o que contribuíram para o meu desenvolvimento desportivo e como pessoa.


MdM: Hoje a enorme bola de rugby que se encontra na entrada da aldeia, é conhecida em todo o país, e mesmo fora dele.
Sendo um clube de uma pequena aldeia do centro de Portugal, e sendo conhecido o grande domínio que o futebol exerce em todo o país, qual a relação que o Moita tem com a população da aldeia e do concelho?
D.R.: A nossa bola é de facto, um dos nossos grandes orgulhos, sendo
cada vez mais conhecida tanto ao nível nacional como internacional, o que nos deixa bastante contentes pois é sempre mais uma forma de divulgar o nosso desporto e também de vincar a Moita como um dos baluartes do rugby português.
No que diz respeito ao futebol, feliz ou infelizmente, ele na nossa aldeia encontra-se extinto desde já há alguns anos. 

Sempre existiu alguma rivalidade entre as pessoas do futebol e do rugby na Moita e com o avançar dos anos, a dedicação e acima de tudo o querer e o grande amor pelo rugby foi de facto mais forte para, apesar de todas as dificuldades de um clube de uma aldeia competir ao nível nacional, prosseguir ao longo do tempo. 
Com o passar do tempo todos perceberam que o rugby veio para ficar na nossa aldeia e já todos identificam a Moita como a “Aldeia do Rugby”. 
A população está de facto muito mais ligada ao clube no presente, apoiando muito o clube, principalmente em dias de jogo, onde o nosso campo enche sempre, criando-se uma atmosfera muito boa para os atletas.

MdM: E com as autoridades autárquicas? Que apoio recebe o Moita da Câmara da Anadia?
D.R.: A Câmara Municipal de Anadia tem sido o nosso maior aliado e um dos principais motores para que o clube consiga atingir o grande objetivo de colocar todos os escalões a competir. 
Para além de um importante subsídio anual atribuído para o clube e manutenção do nosso relvado natural, a Câmara Municipal de Anadia tem também apoiado o clube nomeadamente nos transportes, cedendo autocarros para as deslocações aos jogos. 
Sem esse apoio prestado, dificilmente o clube conseguiria ter tanta gente a competir ao nível nacional. 
Para além diste as portas da Câmara têm estado sempre abertas para as nossas necessidades, estando o clube neste momento a desenvolver estratégias para colocar no seu campo bancadas, casas de banho para a assistência e também para alargar o nosso ginásio, procurando dar o máximo de condições aos atletas e também a todos as pessoas que nos visitam.

MdM: Como o clube financia a sua atividade, para além dos apoios autárquicos?
D.R.: Encontrar apoios nos dias que correm não é muito fácil. 
O clube tem já um conjunto importante de apoios dos diferentes
patrocinadores, que se tem revelado muito importante para a sobrevivência do mesmo. 
Todos os atletas pagam uma anuidade bastante simbólica ao clube que não é mais que o equivalente ao pagamento do exame médico e do seguro desportivo do atleta. 
As empresas ao nível local têm também um papel importante, apoiando o clube da aldeia. 
Existem ainda um conjunto de apoios que surgiu de uma ligação, que cada vez tem sido mais importante e mais sólida, com os pais dos atletas da formação. 
Os esforços para dar melhores condições de treino e melhor formação desportiva para estes têm unido mais os pais com o clube, surgindo então apoios financeiros de algumas empresas de cariz familiar.

MdM: Quantos atletas praticam rugby no clube e quantos escalões estiveram em atividade em 2012-13?
D.R.: O clube terminou a época com 134 atletas inscritos, sem contar com a nossa secção de veteranos, um recorde absoluto. É excelente ver no
presente tanta gente envolvida com o clube.
Assim, nos escalões Sub 8-10-12-14 temos 35 atletas federados, nos Sub 16-18 e Feminino temos 59 e nos Sub-21 e Senior, Masculino e Feminino outros 40, num total de 134 federados.
O Clube cumpriu os objetivos a que se tinha proposto que passavam por estar presente nos convívios regionais de Sub 8, 10, 12 e 14. 
Devido ao insuficiente número de atletas inscritos no início de época não nos foi possível, no escalão Sub-16, participar no campeonato nacional de XV do Grupo B, tendo este escalão participado no Campeonato Nacional de 7’s, onde conquistou o 6º lugar da geral. 
Os sub 18 foram o espelho do bom trabalho da formação e, sobre o comando do Rui Rodrigues, coordenador técnico do clube e grande pilar do crescimento e desenvolvimento do Moita Rugby Clube da Bairrada, se sagrou Campeão Nacional de XV do Grupo B. 
Este foi um grande marco para o clube, que terá muito gosto em receber
todas as equipas da 1ª Divisão na Moita para o ano. 
Para além do campeonato de XV, a equipa sub 18 competiu também no Campeonato Nacional de 7’s, tendo obtido o 7º lugar.
Os seniores masculinos alcançaram o 5º lugar do Campeonato Nacional da 2ª Divisão, mas fica a ideia que ficaram um pouco aquém do se pretendia. 
De qualquer forma, o modelo competitivo não favorece as equipas do Centro, sendo uma junção ao Norte o modelo defendido pelo nosso clube, o que aumentaria a competição, o número de jogos e a qualidade dos mesmos, a nosso ver.
Os “seniores” Femininos alcançaram o 4º lugar na 1ª Divisão feminina, obtendo alguns resultados um pouco desnivelados principalmente com o Benfica e Técnico, mas seguindo o caminho entendido pelo clube, que é sempre o de participar na 1ª divisão, competindo com as melhores atletas nacionais. 
Importa referir também que a nossa equipa feminina é bastante nova, e que a competição contra as melhores equipas nacionais no presente certamente trará os seus frutos no futuro.
É este o nosso entender para o clube, o de competir sempre contra os melhores, pois só contra estes o clube conseguirá evoluir.
MdM: As freguesias vizinhas não se têm mostrado influenciadas pela atividade do Moita Rugby. O Clube pretende tomar algumas iniciativas para conseguir espalhar o vício do rugby nas redondezas?
D.R.: O clube tem já, um elevado número de atletas provenientes das aldeias vizinhas mas o grande número de clubes de futebol nas redondezas limita um pouco a que mais venham jogar rugby para a Moita. 
De qualquer forma, estamos a desenvolver algumas estratégias para trazer esses miúdos a virem experimentar o nosso rugby.

MdM: E nas escolas? Têm levado a cabo algumas iniciativas de divulgação da modalidade e do clube?
D.R.: O crescimento do nosso clube no que diz respeito ao aumento do número de atletas a muito se deve ao grande número de iniciativas levadas a cabo nas escolas, principalmente desde Fevereiro até à data, através de um projeto que o clube iniciou em Janeiro de 2009 e interrompeu em Junho de 2010 e que retomámos este ano.
Não foi muito fácil “entrar” nas escolas ao início, mas no momento o clube está já inserido em todas as escolas primárias do Concelho, através do projeto Descobrindo o Rugby e a resposta dos miúdos tem sido muito positiva.
Por outro lado, o clube acolhe desde 2009 umas férias desportivas que abrangem todas as crianças e jovens dos 5 aos 15 anos sobretudo com o apoio da Alves Bandeira e Halcon Viagens Anadia.As Férias Desportivas Aldeia do Rugby vão já na 5ª edição.
Além disso vamos iniciar no principio do próximo ano lectivo, o desenvolvimento de uma equipa dentro do Colégio de Nossa Senhora de Assunção de Famalicão, em que seremos responsáveis por uma vez por semana dar aula de rugby no colégio e ao sábado os alunos do colégio virão ao clube.

MdM: Foi tornado público há poucos dias a renovação do relvado do campo e a construção de um campo de piso sintético.
Estas instalações pertencem ao clube ou à autarquia? Como foram financiadas?
D.R.: O atual relvado natural do Moita Rugby Clube da Bairrada encontrava-se já em mau estado devido ao facto de durante muitos anos não se terem feito intervenções no sentido de o tratar. 
O crescimento do número de atletas do clube, aliado à falta de um campo de suporte e também as condições climatéricas, vieram piorar ainda mais esta situação. 
Nesse sentido, o clube deslocou-se uma vez mais à Câmara Municipal de Anadia e transmitiu esses mesmos factos, pedindo um apoio para auxílio no tratamento do relvado (apoio esse protocolado com a Câmara na criação do relvado).
A criação do campo sintético nasce da parceria criada entre a Câmara Municipal de Anadia, a Junta de Freguesia da Moita, do Moita Rugby Clube da Bairrada, da União Recreativa Ferreirense e do Grupo Desportivo Moitense. 
Esta é de facto uma infra-estrutura de suporte muito importante para nós, que dará melhores condições de treino e jogo para todos, pois no nosso caso, tínhamos de treinar durante largos meses do ano no campo pelado, o que não era o ideal. 
Importa dizer que o capo sintético foi criado já com as medidas oficiais mínimas necessárias para realizar jogos federados de rugby, o que representará um grande apoio principalmente nos meses mais chuvosos, permitindo diminuir a utilização do relvado natural. 
O campo sintético será financiado em 75% pela Câmara Municipal de Anadia, ficando a restante fatia a cargo dos clubes e Junta.

MdM: Sendo da autarquia, o Moita Rugby terá que as dividir com outras modalidades?
D.R.: Sim. O Moita Rugby Clube da Bairrada partilhará as instalações acima de tudo com a União Recreativa Ferreirense, um clube de futebol da aldeia vizinha de Ferreiros, uma vez que o Grupo Desportivo Moitense tem, no presente, a sua atividade desportiva suspensa. 

MdM: Com esta grande melhoria, como podemos encarar o futuro do rugby na Moita quer nos escalões de formação, quer nos seniores, masculino e feminino?
D.R.: Encaramos com grande otimismo o futuro. 
Num primeiro passo, o facto de recebermos já na próxima época as melhores equipas nacionais na Moita será muito importante para nós, no sentido de melhorar o nosso rugby, de proporcionar um nível competitivo mais elevado aos nossos atletas, dando-lhes bases muito importantes para estes e uma melhor preparação para quando transitarem para o escalão sénior.
Estamos também muito empenhados em colocar as nossas equipas de Sub-14 e Sub-16 a competirem nos campeonatos nacionais de XIII e XV respetivamente. Esse será um marco importante para nós.
No que diz respeito aos Sub 8, 10 e 12, os objetivos passam por aumentar o número de praticantes, participar no maior número possível de convívios regionais e de cimentar a relação com os pais, que tão importante tem sido para nós.
As seniores femininas continuarão a competir na 1ª Divisão, apesar de ainda não se saber bem os moldes da mesma, aumentando a experiência e competitividade para as nossas miúdas, o que certamente será benéfico para elas.
Os seniores masculinos encontram-se neste momento numa importante renovação da equipa, recebendo 12 (ex) Sub-18 campeões nacionais, e só com muito trabalho e dedicação conseguirão alcançar o tão almejado objectivo, que é o de subir de divisão.
Importa referir ainda a nossa secção de veteranos, com cerca de 40 “atletas”, que muito tem apoiado o clube, continuando a competir principalmente numa aguerrida 3ª parte, mantendo bem vivas as tradições da nossa “Aldeia do Rugby”.


MdM: Quem foram os treinadores dos diversos escalões na época que terminou, e quem serão na que se avizinha?
D.R.: A aposta na formação dos nossos treinadores é também um dos nossos grandes objetivos, tendo adquirido o nível 1 cinco novos treinadores na época transata e preparando-se mais cinco este ano para terem o mesmo nível. 
A estrutura de formação do clube está organizada da seguinte forma:
Treinadores:
Sub-8 – Andreia Silva e Ruben Ari;
Sub 10, 12 – Daniel Santiago;
Sub-14 – Filipa Mesquita e César Duarte;
Sub-16 – Marcelo Alves;
Sub-18 – Rui Rodrigues;
Sénior Feminino – Rui Rodrigues e Diogo Rodrigues;
Sénior Masculino – João Matos e Rui Rodrigues;
Coordenador Técnico – Rui Rodrigues.
Importa realçar a importância que o Rui Rodrigues tem em toda a estrutura do clube, pois sendo ex-atleta da Académica de Coimbra e Internacional A e ainda licenciado em Ciências do Desporto e a terminar o mestrado em treino desportivo para crianças e jovens,  o seu nível de conhecimento e experiência são muito importantes para todos, para mim inclusive, sendo ele um dos principais fatores de sucesso do nosso projeto.

MdM: Quem queira jogar rugby no Moita Rugby Clube da Bairrada, o que deve fazer?
D.R.: Iniciamos a atividade dia 1 de Setembro com todos os escalões, depois todos os dias das 18h às 21h o campo está aberto excepto ao fim de semana.
Mais informações em www.mrcbairrada.blogspot.com ou através do telemóvel 918636066

3 comentários:

Anónimo disse...

Sou um conhecedor do rugby do Centro e do MRC Bairrada pois já é de facto um dos clubes históricos do rugby nacional.

Porém anda já há vários anos no escalão secundário o que penso que não é nada benéfico para o clube.

Esperemos que todos os sub 18 que sobem dêem uma renovada força a este clube e o empurrem para outros patamares.

Toda a sorte do mundo para o Rugby da Moita.

Fernando Santos

João Quintela disse...

Sem desprestígio de todos os seus antecessores; o Diogo Pini e o Rui Rodrigues já estão a mudar a cara do MRCB

Anónimo disse...

Parabéns ao sangue novo do Rugby da Bairrada. A Região Centro bem precisa deste clube!

Votos de muito sucesso!