8 de março de 2016

UNITED XV ELIMINADO DA PROVA MOSTRA FALÊNCIA DO SISTEMA

Um regulamento da prova mais exigente que o Regulamento Geral de Competições, e uma interpretação discutível quanto à justificação do United XV em relação à falta de comparência dada pela equipa na suposta recepção ao Loulé, eliminam o conjunto Dark Horses/Oeiras da segundona zona Sul/Lisboa, quando apenas faltava disputar um par de jogos.

Mesmo assim o United XV jogou ontem com o Belas, acabando mesmo por vencer por 10-8, e sabemos que está a tentar realizar o último encontro que lhe estava destinado, em Borba, no próximo final de semana.


Foram cumpridos os regulamentos, é verdade, mas a pergunta que se deve fazer é se os interesses da competição foram tomados em consideração.
Alguns argumentam que o United não deveria ter deixado os emergentes, mas em vez de se organizar um sistema competitivo adequado à realidade, continuamos a fazer regulamentos em cima do joelho e a decidir sem ter em consideração se a quilo que se decide é o melhor para o rugby nacional.

Por exemplo, o Regulamento Geral de Competições diz que basta uma falta de comparência não justificada para eliminar da competição uma equipa da Divisão de Honra, sendo necessário para as restantes que sejam duas faltas de comparência.
Mas os regulamentos específicos de cada uma das outras divisões (1ª e 2ª) estabelece que isso se aplica também nestas divisões.
Então isto significa que o RGC não serve sequer de orientador, pois é clara a intenção de quem elaborou o dito RGC, de dar aos outros escalões uma certa flexibilidade.
E ao determinar que uma falta elimina da prova, o regulador da competição mais baixa do sistema competitivo nacional não ajuda em nada ao funcionamento da prova.

Estarei eu a defender que os clubes podem dar falta de comparência? Não.
O que eu estou a dizer é que sem se organizar o fundo do sistema - como o Mão de Mestre já sugeriu em detalhe - dando competição com sentido aos emergentes e enquadrando duma forma séria as equipas da Segundona, esta divisão não pertence ao sistema competitivo e não passa de um híbrido que tanto pode ser julgado no sistema competitivo como no sistema pré-competitivo.
E assim, terá que ter em consideração o que se passa na realidade, ao regulamentar e ao analisar as razões de uma falta de comparência.

Sabemos que neste caso específico o jogo estava inicialmente marcado para o passado dia 14 de Fevereiro e que a pedido do RC Loulé, o United XV aceitou adiá-lo para dia 21 de Fevereiro.
No dia 18 de Fevereiro, o United solicitou ao RC Loulé um novo adiamento deste jogo, uma vez que vários dos seus jogadores (que tinham previsto jogar no fim de semana anterior) não estariam disponíveis nesse fim de semana, mas este pedido não foi aceite pela equipa algarvia.

Para evitar despesas desnecessários, o United informou o Loulé que não tinha condições de realizar a partida.
Em sequência a FPR decidiu que a falta de comparência do United não era justificada, e assim a equipa foi eliminada da prova.

No dia em que a FPR estude e se preocupe com o que se passa na base com tanto cuidado como com o que se passa nas Academias, este tipo de situações não chegarão a constituir problema...
Seguiram-se os regulamentos - mal feitos - interpretou-se a situação (mal) como os regulamentos permitem, e não se beneficiou em nada o decurso da prova. Bravo!

UMA JORNADA, UM JOGO - A FALÊNCIA DE UM SISTEMA
Dito isto a jornada ficou reduzida a um único jogo, o Loulé-Borba, que não teve história, apenas o registo dos 14 ensaios marcados pelos algarvios, num total de 88 pontos marcados e 3 sofridos.

Com três jogos apenas para o (en)fim da fase de apuramento, a classificação apenas sofrerá alteração se a FC Tecnologia vencer no próximo final de semana em Loulé, e depois bater o Borba em casa, mas a vitória no Algarve se acontecer, será uma coisa muito estranha, depois da vitória do Loulé por 62-8 na primeira volta.

Claro que ainda pode acontecer que o Loulé dê uma falta de comparência e seja eliminado da prova...

Fique com a classificação actualizada depois da eliminação do United e veja o quadro de resultados aqui.


3 comentários:

Marcelo Catalão disse...

E foi assim com o borba... que teve quebesticar a corda ao pescoço com o Loulé... devido a questão logística (campo de jogo) e na falta de coerencia da equipa adversária na alteração de data ou melhorar arranjar alternativa, dificultou essa manobra e para alem de que a federação nada aceitou em prol do rugby e da competição criando aqui um enorme entrave para uma equipa... que tem feito de tudo para segurar esta competição. ..

Rlourenço disse...

"Claro que ainda pode acontecer"... Que o Loulé (sem querer subestimar as outras equipas) ganhe o campeonato e cales a boca de vez... Se dissesses algo de jeito sobre o Loulé é que era de admirar.

Manuel Cabral disse...

Rlourenço a paciência que tiveste em criar um perfil apenas para produzires este comentário anónimo é digna de relevo!