18 de março de 2016

PORTUGAL DEFRONTA RÚSSIA PARA O EUROPEU DAS NAÇÕES

Para encerrar uma campanha internacional até agora absolutamente desastrosa, Portugal defronta amanhã, às 15 horas no Estádio Universitário de Lisboa, a Rússia naquela que será a 21ª partida entre as duas equipas, sendo que até agora Portugal venceu por 5 vezes e a Rússia por 14 - um empate em 2006 - mas o último resultado positivo para as nossas cores aconteceu em 2011.

Este ano, marcado por uma forte polémica sobre a não utilização de jogadores portugueses nascidos em França, tudo indica que o conjunto dos resultados da nossa equipa será o pior dos últimos 17 anos, e os 157 pontos sofridos nos quatro primeiros jogos, só foram ultrapassados pelos 165 sofridos em cinco jogos em 2001.


Embora seja um direito legítimo da direcção da FPR, enveredar por uma política de afastamento em relação aos portugueses de França, é muito estranho que ela seja implementada imediatamente após umas eleições onde o assunto nunca foi abordado, sendo portanto legítimo afirmar que o segredo sobre esta política se destinou apenas a conseguir a eleição - se Cassiano Neves tivesse dito durante a campanha eleitoral, que tinha decidido que o lugar de Portugal não era na Divisão 1A, e que tudo faria para que os Lobos descessem de divisão, é muito natural que a sua proposta de candidatura não tivesse o micro sucesso que teve.

E as afirmações públicas do presidente do CDUL em recente esclarecedora entrevista ao jornal Record, não deixa qualquer dúvida quanto ao facto dessa decisão ter realmente sido tomada antes da eleição.

Voltaremos em tempo a esta entrevista, em que Lourenço Thomaz assume uma postura de figura sombra da presidência da FPR, que merece toda a nossa atenção - que Cassiano Neves só foi candidato como substituto de António Vieira de Almeida, já todos sabíamos. O que não sabíamos era que o actual presidente da federação era pau mandado do presidente do CDUL.

Amanhã Portugal volta a apresentar uma equipa de desenvolvimento e não uma selecção nacional, e é claro que apenas um milagre poderá salvar os Lobos de um desastre frente aos Ursos.
A equipa que se apresenta devia entrar em campo não como os Lobos e sim como os Lusitanos, aquela equipa que Amado da Silva organizou para disputar a Challenge Cup.

Uma selecção nacional não pode deixar de ser reunida com os jogadores habilitados a representá-la que melhores condições ofereçam, e isso não está a acontecer.
Falar duma selecção nacional, como uma equipa para o futuro, é pura treta - como dizem os ingleses (é fino mandar umas bocas em inglês, não é?), não passa de bullshit!
Uma selecção nacional é a equipa do momento, a melhor equipa do momento, e a exclusão dos portugueses de França transforma a equipa nacional numa caricatura.

Aliás esta política de Cassiano Neves/Lourenço Thomaz estende-se também à nossa equipa nacional de sevens,que tudo indica foi também organizada de forma a conseguir a sua eliminação como equipa residente do Circuito Mundial, com a intenção clara de dar um golpe mortal nos sevens portugueses.

Mas também voltaremos a este assunto na devida altura, pois ainda queremos ver o que se vai passar nas quatro últimas etapas do Circuito, onde Portugal também apresenta uma equipa de desenvolvimento, em vez de apresentar uma verdadeira selecção nacional.

Mas esta política tem pelo menos uma virtude: nos anos que se vão seguir, na Divisão 1B da Europa, é natural que Portugal consiga vencer dois ou mesmo três jogos, o que será com certeza saudado como um grande feito.
E se eventualmente vencer a prova, dificilmente se correrá o risco de subir de novo à Divisão 1A, já que a partir do próximo ano é provável que a decisão de subida/rebaixamento deixe de ser automática, passando a existir um play-off de acesso entre o último da Divisão 1A e o primeiro da Divisão 1B.

Nos sevens infelizmente, se o desejo de rebaixamento de Cassiano Neves for bem sucedido, é provável que fiquemos arredados do convívio com os melhores por muitos e longos anos.

Anos longos e negros se avizinham para o rugby nacional, e se bem que as causas do mesmo tenham começado sete ou oito anos atrás - como afirma Lourenço Thomaz, esquecendo que ele próprio fazia parte do grupo que dirigia o rugby português até Janeiro de 2010, seis anos atrás - é claro que Cassiano Neves/Lourenço Thomaz vão ter uma responsabilidade irrefutável nos acontecimentos.

Deixamos aqui o grupo de jogadores - valorosos e sobre os quais nada há a dizer, que se têm esforçado de forma admirável por minimizar as consequências duma política desastrosa - que estarão em campo amanhã, e a quem agradecemos a lição de humildade e respeito pela camisola que envergam.


Resultado de Portugal no Europeu das Nações deste ano e resumo dos resultados desde o ano 2000:

ROMÉNIA 39-14 PORTUGAL
PORTUGAL 3-29 GEÓRGIA
ALEMANHA 50-7 PORTUGAL
ESPANHA 39-7 PORTUGAL


11 comentários:

Leo Leo disse...

Força Portugal !!!

Vamos lá que ainda podemos assegurar a manutenção na primeira divisão.
Estes jogadores tem talento e coragem, que espero ser, suficiente para obterem o menos 1 ponto de bônus defensivo. Força Lobitos !!!

jmegapixel7 disse...

Apartir deste gráfico temos então claramente o auge do rugby português entre 2003 e 2011. Vejamos então quem eram os dirigentes da FPR e sua equipa técnica durante esse bom período...bom em relação ao jogo de amanhã contra os Ursos será realmente preciso um milagre para vence-los mas se os Lobos perderem apenas por 7 ou menos pontos e esperar que os Germânicos percam em casa contra a Espanha sem qualquer pontos bonus seria então possível uma manutenção. No entanto, está não será a abordagem correta para se apresentar num grupo deste valor. Para se competir comos 2os primeiros lugares de igual e futuramente competir com Itália e até uma Escócia será preciso termos dirigentes e jogadores com caracter de lobos e não de tartarugas! Abraço , bem haja , força VX!

Duarte disse...

Citação textual da conferência de imprensa dada ontem:

"Sobre a continuidade como selecionador de Portugal, Ian Smith lembrou que foi chamado interinamente para comandar a equipa nos últimos cincos jogos do 'Seis Nações B' e que é mais certo não continuar no cargo.

"Vamos acabar esta campanha, tirar as ilações do que fizemos bem e do que fizemos mal e logo se verá o que acontece. Eu fui chamado pela federação para ajudar num processo de crescimento e aprendizagem numa parte mais técnica. Vamos ver o que acontece", explicou."

Numa parte mais técnica...

Os Pequenos Lusos disse...

Portugal-21 Russia-51

Antonio Esteves disse...

Dar os parabéns pelo resultado positivo que a seleção teve , definitivamente uma direção que consegui alcançar os objectivos a que se propôs em SEGREDO , enviar o rugby nacional para o CHARCO . Falar que estão a construir para 20000 e troca o passo é no mínimo ridículo , e tudo o que estes senhores fizeram em três meses foi o que muitos outros construíram em mais de uma década com ajuda de TODOS e não só com os filhos dos amigos porque fica bem .

VERGONHA NA CARA deste pau mandado "cassiano neves - cassi , francisco branco - branqui e varela-jp , António V.A - toina e com o mentor lourenço tomaz - lóló.

A ferida aberta com os lusodescentes duvido que com esta direção seja cicatrizada algum dia , a forma mesquinha como trataram portugueses que têm direito a subsistir e a sobreviver , por acaso do rugby , não são advogados , ou drs ou eng . , mas para estes fidalgos e meninos do papá , são portugueses de segunda . Nós não temos esses diminutivos , usamos o primeiro e último nome que muito nos orgulhamos.

Recordes batidos no XV e nos VII também , nada de bom sairá desta direcção , chegou como chegou , comprando os votos de treinadores , jogadores , irregularidades na sua apresentação e um programa escondido .
AO QUE RUGBY EM PORTUGAL CHEGOU

jmegapixel7 disse...

É um dia triste para o rugby nacional. Se analisarmos as outras equipas constatamos que TODAS evoluíram muito mais do que Portugal quer a nível técnico quer de apoio de assistências de público a jogos em casa. Todas as outras seleções sempre tinham MUITO mais público apoiar nós jogos em casa. Depois claro penso que por parte destes dirigentes o esforço foi mínimo para que Portugal ficasse na ENC1A. Motivação chega com vitórias não com derrotas eventos equipa terá toricamente adversários mais acessíveis; sendo a Ucrânia Polônia e Moldávia são os adversários mais competitivos. Portugal tem condições para voltar à 1A se houver rigor e união entre dirigentes e clubes. Boa noite e Lobos sempre!

Duarte disse...

Nem sei o que dizer. Enquanto um grupo de jogadores (alguns muito bons e outros muito esforçados) que não é a Selecção Nacional (essa acabou e não é por ter descido que acabou), descia à II divisão, por vontade do tipo que manda na FPR (grandes festejos, imagino), esse mesmo senhor envia a Arcos de Valdevez uma equipa do seu clube recheada de estrangeiros.

O que ele quer para o rugby em Portugal parece sinistro.

PFGFR disse...

100% de acordo com o comentário do António Esteves. Acrescento que é demasiado triste ver o rugby português gradualmente a voltar para níveis da década de 1980 e vamos lá ver se não piora ainda mais que isso. E se pensam que estes resultados e novas estratégias não sei de quê vão atrair mais praticantes, desenganem-se. Triste, muito triste.

Duarte disse...

CRAV 11 - 33 CDUL
Marcadores do CDUL:
Paula Kaho 5
Francisco Appleton 2 + 2 + 2 + 5 + 2
Frederico Oliveira 5
Carl Murray 5
Joe Ajuwa 5

Antonio Esteves disse...

Manuela Caetano Nunes - facebook GDD

É com um profundo pesar me dirijo à FPR. Que vergonha as palavras xenófobas e sem qualificação que o "selecionador" de Portugal dirigiu à comunicação social no fim deste triste jogo de hoje que não tem ele senão como principal culpado!!! Mas o que é isto? Que suposta equipa de Portugal ele formou? Sub10?Sub12?Sub14?Sub16? Como é possível um descalabro destes?Os senhores da FPR tenham atenção!Já não estamos habituados a tanta incompetência !!! Temos em Portugal melhor que isto!O fulano que veja!!! Uma adepta sexagenária com mais de sessenta anos a adorar o Rugby ! Vivi muitas fazes ao longo da minha vida . Viva o Rugby! Que pessoas competentes olhem por Ele !!!!
Gosto · Responder ·

Mais palavras para quê ?

Claudio disse...

Boa noite,

Grande oferta, realmente grande prenda que foi feita a estes 23 jogadores num triste sábado de Março ! Fazer desses os 23 que jogaram a despromoção, ainda por cima em Lisboa, realmente acho que estes jovens, na força da vida, gostaram... A culpa não é deles, como todos o sabemos, a culpa é dos que os meteram nesta incompreensível situação.

Agora tudo parece mais complicado…

Primeiro que tudo, mais complicado para os jogadores portugueses de Portugal. Muitos compreenderam, nos últimos anos, que subir individualmente de nível, supõe imigração para países do Norte. Recentemente, José Lima, Pedro Bettencourt, Francisco Domingues e Volodymyr Grykh vieram para França e ficaram, enquanto outros vieram e voltaram a Portugal como Adérito Esteves ou Francisco Appleton. Antes deles, o Cristian Spachuck, o Juan Murre, o Duarte Cardoso Pinto, os irmãos Uva, o António Aguilar e, antes ainda, o Pedro Leal também tinham percebido que valia a pena tentar a experiência Francesa para melhorar. E Agora ? Acham que vai ser fácil convencer um clube francês de contratar um jogador de uma seleção da terceira divisão europeia ? Ainda nos "espoirs não parece impossível, mas diretamente de Portugal para um club de prod2 ou de Fed1 tal como aconteceu depois de 2007, esquecem...

Depois, vai ser difícil para os jogadores portugueses de França (lusodescendentes ou imigrados de Portugal) de regressarem à seleção em caso de regresso, por parte das autoridades federativas portuguesas, a uma estratégia de “mistura” entre a “prata de casa” e os “profissionais” do estrangeiro. Com efeito, os preconceitos (negativos) sobre o nível do Rugby de Portugal sempre foram importantes aqui em terra gaulesa, até mesmo quando Portugal conseguia se qualificar para o mundial de 2007 ou quando Portugal estava em boa posição no Torneio B e rivalizava com Geórgia e Romênia. Sempre houve uma forma de desprezo para o rugby português em França e, por isso, sempre foi difícil para jogadores profissionais em França serem libertados pelos clubes franceses para a seleção... E agora ? Acham que vai ser mais fácil ? Sinceramente, vai ser muito mais complicado...

Enfim vai ser – e de reste já é - muito difícil para os adeptos, inclusivamente os de França que muito fizeram para dar visibilidade ao Rugby português aqui e graças aos quais tínhamos, ainda há pouco, grandes jogadores da elite francesa na nossa seleção. Claro, neste triste momento os meus pensamentos vão em primeiro para o Bryan F. que muito fez, sem o qual possivelmente nunca teríamos visto o Julien Bardy com a camisola das Quinas. Penso no Manuel L. que tanto fez (e tanto gastou…) para a seleção que até consegui um dia deslocar um autocarro de adeptos franceses/portugueses a Portugal. Penso no Manel do Luxemburgo que acompanhou XV e 7 aos quatro cantos do globo… E também, é verdade, penso nas centenas de horas que eu consagrei ao meu blog “rugbydelisbonneparis” durante muitos anos para dar toda a visibilidade quanto possível á modalidade na sua versão portuguesa e, antes de tudo, para fazer promoção em França de jogadores portugueses de Portugal talentosos e promoção de lusodescendentes em Portugal… E penso nos milhares de fans anónimos que sempre empurraram a seleção (lembro-me daquela tarde de 2006 com o Paúlo em Charlety a apoiar o “nosso” 7 e daquela noite, muitos anos depois, no Jean Bouin com o Paúlo, o Bryan, o Manuel e também o Henri, a empurrar os Lusitanos… Claro, fizemos isso também para o nosso próprio prazer mas, se calhar, precisamente porque todo este “trabalho” foi feito graciosamente ele merecia muito mais respeito… Triste epilogo.

Agora é esperar que se trate de uma simples ida e volta á terceira divisão e também que se apresente alguém que consiga montar uma equipa capaz de não desgastar o talento que temos em Portugal, porque, apesar de tudo, quem viu o jogo de sábado ficou convencido que talento temos em Portugal.

Abraço.