8 de agosto de 2013

SÃO JOÃO DA TALHA NO MAPA DO RUGBY NACIONAL

Um jovem casal preocupado com a educação dos seus filhos, cria uma Escolinha de Rugby, que aos poucos se transforma num elemento importante do crescimento das crianças de São João da Talha.

Enfrentando diversas dificuldades, algumas ligadas à falta de compreensão do projecto, por parte da Câmara Municipal e dos responsáveis do Agrupamento de Escolas da freguesia, a Escolinha cresce e já sonha em ter uma equipa de sub-16, toda constituída com a prata da casa!

Elisabete Vasconcelos e Hugo Cardoso contam-nos a história da Escolinha de Rugby de São João da Talha, que pode servir de exemplo de devoção e voluntariado!

Quem são a Elisabete Vasconcelos e o Hugo Cardoso, no rugby e fora dele?
Elisabete Cardoso: Fora do rugby somos um casal com nove anos de
existência (!) e temos dois filhos, um com 8 anos que joga rugby no escalão sub-10 e outro com três anos que já pede para jogar rugby! 
Trabalho numa cadeia de hotéis no departamento de Contabilidade e o Hugo trabalha na TAP/SPDH no sector da carga aérea. 
Dentro do rugby assumimos várias funções desde a área administrativa até às funções de campo onde somos treinadores de sub-8 e sub-10 na Escolinha.

MdM: Onde nasceu e cresceu cada um de vocês e como se deu o primeiro contacto com o rugby de cada um?
Elisabete: Nasci e cresci em Lisboa e actualmente moro em São João da Talha e o meu primeiro contacto com o rugby deu-se há sensivelmente três anos quando tivemos a intenção de criar a Escolinha de Rugby em São João da Talha.
Hugo Cardoso: Nasci e cresci em Lisboa, mais propriamente nos Olivais, e sempre gostei de ver jogos de rugby, mas nunca tive um contacto muito próximo com a modalidade. 
A ligação ao rugby surgiu há três anos com o nascimento da Escolinha e com a necessidade de tirar o curso de treinadores de grau 1 pois tivemos dificuldades em encontrar treinadores no arranque do projecto.

MdM: O que fizeram no rugby na época que terminou, e o que vão fazer na próxima?
Elisabete e Hugo: O nosso projecto é um projecto de integração social através do rugby e para além da actividade desportiva apoiamos os nossos jogadores na escola, na saúde e na vida familiar. 
A nível desportivo a nossa Escolinha esteve presente em todos os convívios organizados pela ARS com os escalões sub-8, sub-10 e sub-12, participámos em alguns convívios de Clube bem como no convívio de apoio à selecção realizado em Coimbra.
Apesar do enorme esforço logístico e monetário conseguimos participar no torneio de Inverno e Primavera com os sub-14 na vertente de sevens e em todas as jornadas dos referidos torneios. 
A Escolinha de Rugby de São João da Talha esteve também presente no Braga Youth Cup com uma equipa de sub-14 em conjunto com a Alta de Lisboa e por último participámos no Beach Rugby da Ericeira com os escalões sub-10, sub-12 e sub-14, sem dúvida um dia inesquecível para os nossos jogadores chegando alguns deles a perguntar porque razão não existiam mais actividades de rugby na praia.
Na próxima época pretendemos continuar com esta dinâmica participando

em todos os convívios organizados pela ARS e nos convívios dos clubes que nos convidarem e manter a equipa de sub-14 vertente sevens.
As limitações humanas e materiais da nossa Escolinha não possibilita para já a criação do escalão de sub-16. 
Na próxima época temos alguns jogadores que passam para este escalão e que gostariam muito de continuar a jogar rugby e por isso estamos focados em encontrar uma solução para estes casos. 

MdM: Como surge a Escolinha de Rugby de São João da Talha e quando?
Elisabete e Hugo: A nossa Escolinha surge no ano em que o nosso filho foi para a 1ª classe! 
Ao lado da escola existia um polidesportivo que não tinha muita utilização e pensámos que seria o local ideal para desenvolver uma actividade desportiva fundamental na formação e educação das crianças e jovens, e uma vez que na nossa freguesia não existia oferta desportiva gratuita decidimos criar um projecto desportivo gratuito. 
O passo inicial foi de pesquisa de ideias e projectos sociais, contactámos algumas federações sem grandes resultados até que um dia vimos uma reportagem na televisão sobre a Escolinha de Rugby da Galiza e achámos que a realidade da Galiza era muito parecida com a de São João da Talha e que fazia todo o sentido implementar um projecto semelhante na nossa freguesia e decidimos ir até à Galiza conhecer mais sobre o projecto. 
A partir daí apaixonámo-nos pelo projecto e contámos com o apoio e o carinho imediato dos membros da Escolinha da Galiza que nos ajudaram a abrir as portas necessárias para o nascimento da Escolinha. 
O projecto contou igualmente com o apoio da Junta da Freguesia de São João da Talha e a 25 de Janeiro de 2011 nasce a nossa Escolinha de rugby! 
O apoio da Associação de Rugby do Sul e da Federação Portuguesa de Rugby nas pessoas do Prof. Mário Pato, João Moura e Prof. Henrique Garcia foram igualmente essenciais para o nascimento e crescimento da nossa Escolinha.
O nosso projecto foi um dos vencedores do prémio da 8ª edição da EDP Solidária e foi este apoio que permitiu a implementação e consolidação do projecto na freguesia. 
O nosso projecto ganhou também o prémio do concurso Mais&Melhor Voluntariado de Loures promovido pela Banco Voluntariado de Loures.
MdM: Quem foram os seus treinadores?
Elisabete: No início da Escolinha tanto eu como o Hugo tivemos de tirar o curso de treinador grau 1 porque tivemos dificuldades em encontrar treinadores para o projecto e desta forma asseguramos o escalão sub-8 e sub-10. 
De seguida surge o treinador Rui Rocha que é professor de Educação Física e nosso amigo de longa data que assegurou os treinos para o escalão sub-12 e posteriormente surge o Pedro Graça, antigo jogador de rugby no Belenenses e um excelente árbitro nacional, que possibilitou o arranque do escalão sub-14.
Os nossos treinadores são o motor da Escolinha e são pessoas que se dedicam voluntariamente a este projecto de corpo e alma. 

Os nossos queridos treinadores são os melhores treinadores do Mundo!
Ao longo da época tivemos igualmente o apoio de três estagiários do curso técnico de desporto que desenvolveram um excelente trabalho e a quem muito agradecemos por todo o contributo, empenho e carinho demonstrado para com as crianças da Escolinha. 
O nosso obrigado ao Diogo, ao Cabaço e ao João bem como ao voluntário Danilo vindo do Gastagus – grupo de acção social do Tagus que ouviu falar no projecto e decidiu dedicar algum do seu tempo disponível nesta causa.

MdM: Que acções estão previstas para alargar ou consolidar o recrutamento nas camadas jovens?
Elisabete e Hugo: Temos realizado diversas actividades de divulgação da modalidade tais como torneio de skills, drop kits, beach rugby no parque central da nossa freguesia que tem tido uma grande aceitação. 
Realizámos uma exposição de fotografia com todo o trabalho da Escolinha e uma conferência a que demos o nome de conversas com a sociedade e onde participaram a Escolinha de Rugby da Galiza representada pela Drª Maria Gaivão e que abordou o tema “Transmissão de Valores através do Desporto”, a Federação Portuguesa de Rugby representada pelo Prof. Henrique Garcia que abordou o tema “A importância do desporto na formação dos jovens” e a Junta de Freguesia de São João da Talha representada pelo Dr. Nuno Leitão sobre o tema “A importância do voluntariado na freguesia”.
Na próxima época pretendemos continuar com este modelo de divulgação e desenvolver acções de divulgação do projecto e da modalidade nas escolas da freguesia.


MdM: Existe alguma parceria com escolas/estabelecimentos de ensino da região?
Elisabete e Hugo: Actualmente não temos nenhuma parceria com os estabelecimentos de ensino da nossa freguesia porque tivemos alguma
dificuldade em estabelecer contactos com o Agrupamento de Escolas de São João da Talha devido à pouca flexibilidade de horários da parte da Direcção do Agrupamento em agendarem uma reunião com a Escolinha de Rugby, no entanto este é um dos nossos objectivos para a próxima época.
Fora da nossa freguesia temos colégios interessados em criar um núcleo de rugby e dessa forma ajudar na sustentabilidade financeira da Escolinha.


MdM: Onde decorrem os treinos e os jogos da Escolinha?
Hugo: A Escolinha de Rugby treina no Polidesportivo de Vale Figueira cedido pela Junta de Freguesia e quando organizámos o 1º convívio de rugby da Escolinha, foi-nos cedido o campo do clube de futebol da nossa freguesia. 

MdM: Quem vão ser os treinadores do clube para a próxima época?
Elisabete e Hugo: Vamos manter os treinadores actuais mas precisamos muito de novos treinadores voluntários para apoiar e contribuir para a continuidade e desenvolvimento do projecto e por conseguinte pretendemos proporcionar formação inicial aos jovens interessados da nossa freguesia.

MdM: Que lições têm sido tiradas da actividade do clube e como vai ser o futuro?
Elisabete: A missão da Escolinha de Rugby de São João da Talha é, para além de incentivar a prática do rugby junto das crianças e jovens da freguesia, ajudar cada uma das crianças e jovens a tomar contacto com valores tão importantes como: união, partilha, perseverança, esforço e determinação e são estes os valores que servem de guião para o papel que desempenhamos no projecto. 
Ao longo deste tempo aprendemos que pequenos gestos fazem toda a diferença na vida dos jovens da Escolinha e que por vezes precisam apenas de uma oportunidade para mostrarem o seu lado melhor. 
Ouvir, mostrar interesse pelo que fazem, brincar e compreender a forma como pensam e como agem são alguns dos gestos que têm feito mudar comportamentos, interesses e criar laços de amizade, união e companheirismo.
Em relação ao futuro estamos conscientes que a próxima época será muito difícil, quer a nível monetário quer a nível social, pois tem-se
constatado um aumento do desemprego nas famílias numerosas dos nossos jovens.
Gostaríamos de continuar com o apoio do Banco Alimentar Contra a Fome que nos tem ajudado a colmatar carências alimentares e com o nosso Banco de Bens Doados, que criámos após termos tido conhecimento de algumas realidades menos agradáveis de algumas das famílias das crianças da Escolinha.
O foco principal será em criar formas de sustentabilidade do projecto porque sem financiamento o projecto não terá continuidade. 


MdM: Como é financiada a actividade desportiva do clube? Qual o papel da autarquia neste aspecto?
Elisabete e Hugo: O grande financiamento que obtivemos foi o prémio da EDP que permitiu implementar e consolidar o projecto. 
Posteriormente tivemos o prémio Mais&Melhor Voluntariado, temos recebido donativos de amigos da Escolinha e temos realizado várias iniciativas de angariação de fundos: venda de rifas, venda de merchandising e festas solidárias. 
Em relação ao papel da autarquia local, a junta de freguesia tem sido um parceiro desde o início do projecto, pois cede-nos o local onde decorrem os treinos e tem apoiado em alguns transportes e na aquisição de equipamento desportivo. 
Em relação à Câmara Municipal de Loures tem sido muito complicado obter apoios, em dois anos de existência tivemos apenas o apoio de dois autocarros para participarmos nos convívios. 
Esperamos que esta situação mude com a criação do projecto “Loures com Rugby” que visa proporcionar o contacto com a modalidade às crianças do 1º ciclo do nosso concelho. 

MdM: Qual o papel das empresas da região?
Elisabete e Hugo: Temos tido muita dificuldade em apresentar o projeto
nas empresas locais. Os pequenos apoios que temos conseguido são do comercio local, apoios quer a nível de pequenos donativos quer a nível de doações de produtos. 

MdM: Quem quiser jogar rugby na Escolinha de São João da Talha o que deve fazer?
Elisabete e Hugo: Basta entrar em contacto com a Escolinha através do número de telemóvel 965458794, ou através do e-mail: escolinharugbysaojoaotalha@gmail.com e podem seguir-nos pelo Facebook.


2 comentários:

Anónimo disse...

Que maravilha. Força e parabéns

Agostinho jackson Jack disse...

Que bom,força.