30 de abril de 2017

CDUL E CASCAIS AVANÇAM PARA MEIAS FINAIS DA D.H.*

* Pedro Pinto Fernandes
CDUL e Cascais classificam-se para as meias finais do campeonato da Divisão de Honra, em jogos muito diferentes que deixaram o Técnico e o Belenenses fora da corrida ao título.

No próximo final de semana o CDUL vai a Monsanto defrontar o Direito, e o Cascais vai até à Tapada para enfrentar a Agronomia.
CDUL 46-15 TÉCNICO
O primeiro jogo do play-off do campeonato da Divisão de Honra que opôs o CDUL, classificado na época regular em 3º lugar, contra o Técnico, o sexto classificado, face ao último resultado entre os dois (17-10 na semana passada), não antevia uma qualquer superioridade de uma sobre a outra equipa, nem ninguém arriscava um possível resultado final. 
No entanto, o que se viu foi exactamente o contrário. 
O CDUL foi sempre superior em praticamente todo o tempo do jogo e esteve sempre em controle. Apenas no final da primeira parte e princípio da segunda, o Técnico conseguiu, a espaços, equilibrar o jogo, mas foi sol de pouca dura, um cartão amarelo ao pilar do Técnico por derrube intencional de um maul, criou um desequilíbrio e uma desvantagem tal que o Técnico não mais conseguiu travar as repetidas investidas do CDUL. 
De facto, embora o CDUL tenha estado sempre na frente do resultado, o Técnico conseguiu ir para os balneários no final da primeira parte com uma desvantagem de apenas sete pontos (22-15) estando portanto dentro do resultado. 
Na segunda parte depois de uma entrada forte do Técnico, o CDUL começou novamente a controlar as operações, sob a batuta do médio de abertura Penha e Costa, jogando no campo todo, com mais fluência no passe de bola, defesa mais ordenada e eficaz não tendo sido surpresa para ninguém portanto o avolumar do resultado e os ensaios do CDUL. 
A situação piorou quando num ataque dos avançados do CDUL o pilar do Técnico força a caída do maul dinâmico vendo o cartão amarelo. A partir daí, se já se via pouco Técnico, este desapareceu mesmo. 
A entrada de João Bello para médio de formação veio ainda dar mais velocidade às linhas atrasadas do CDUL que nessa altura já jogavam praticamente como queriam. 
O Técnico demonstrou sempre um jogo muito previsível, pouco criativo e portanto acabou por ser uma presa fácil do CDUL que com este resultado (46-15) e com esta vitória vai ter que se deslocar a Monsanto para defrontar o campeão Nacional numa difícil meia final, jogo que se antevê de grande interesse. 
Como MVP deste jogo tem que se eleger o médio de abertura do CDUL Penha e Costa, pois tanto a nível individual (a furar a linha por exemplo) como a fazer jogar os seus companheiros das linhas atrasadas foi, quanto a nós, um dos grandes responsáveis por esta vitória folgada do CDUL.
BELENENSES 12-15 CASCAIS
O segundo jogo de acesso às meias finais, que colocou frente a frente, no Estádio do Restelo, o Cascais e o Belenenses e que determinaria o emblema que irá na semana que vem defrontar o campeão da época regular, a Agronomia, foi um espectáculo de mau rugby, falta de ritmo e ambição, falhanços escandalosos em que quem acabou por vencer não logrou marcar um único ensaio. 
Na verdade não se consegue dizer que houve uma equipa melhor que a outra, na sua maioria o jogo foi jogado na zona do meio campo sem que qualquer das equipas tivesse capacidade ou criatividade para encontrar forma de furar as linhas de defesa uma da outra, mastigando assim o jogo e tornando-o um espectáculo fraco e sem interesse. 
Apesar de tudo, numa das poucas fases de maior domínio, o Belenenses conseguiu marcar dois ensaios em jogadas de insistência e de rugby corrido. 
O Cascais raramente entrou na área de 22 metros do adversário preferindo aproveitar um jogo ao pé mais ou menos eficaz para somar os pontos que lhe iriam, no final, dar a vantagem no jogo e a consequente vitória. 
Do lado do Belenenses o festival de pontapés falhados ditou a sentença do jogo: quando uma equipa desperdiça 11 pontos de penalidades e transformação, duas das quais praticamente em frente aos postes, não se pode queixar do que quer que seja. 
Dir-se-á que o Belenenses entregou o jogo de bandeja ao Cascais que, nada tendo feito para o merecer, leva para casa a vitória e uma meia final garantida.


2 comentários:

Manuel Oliveira disse...


.....CASCAIS NADA FEZ PARA O MERECER??!!! è o que dá escrever sem ir ver os Jogos!!

Pedro Fernandes disse...

Quem escreveu o texto viu o jogo, não fez nada para o merecer no sentido de que no jogo todo foi apenas duas vezes à linha de 22, defendeu pior, atacou pior ainda e teve apenas a virtude de contar com um bom chutador. se não foi isto que aconteceu o que foi ???????