3 de dezembro de 2012

AFINAL OS CASTIGOS DA FPR ERAM A SÉRIO OU ERAM A BRINCAR?

Um e-mail de ontem assinado pelo presidente da FPR enviado aos clubes a propósito dos castigos aplicados no dia 28 de Novembro, vem suspender os mesmos e dar aos clubes um prazo para que estes prestem esclarecimentos ou justificações que entendam necessárias ou convenientes.

Ficamos sem entender esta situação, já que o comunicado de dia 28 era claro e transparente ao afirmar que tinha sido uma decisão do plenário da direção da FPR de 15 de Novembro a tomar as medidas que se resumiam à aplicação das disposições contidas nos regulamentos das respectivas provas.

Agora, passada quase uma semana sobre a aplicação dos castigos, vem o presidente Amado da Silva dizer que não é bem assim, que afinal tudo não passou de um mal entendido e que os castigos referidos em 28 de Novembro não são castigos, são apenas abertura de processos...

Para os clubes resta agora aproveitar os 10 dias contados a partir de ontem, para prestar esclarecimentos ou justificações sobre o que se passou...

Vamos ver que justificações serão aceites e quais as que não serão...

Vamos mesmo ver o que pretendia afinal a FPR com o comunciado de 28 de Novembro, que, obviamente, não está de acordo com o que o presidente Amado da Silva pensa ou quer ou pode.

Entretanto as classificações que já tinham sido alteradas foram retiradas e substituídas pelas anteriores, até, ninguém sabe quando...

Para que sirvam de referência e todos possam avaliar a dança das classificações, o Mão de Mestre vai manter as mesmas com as alterações introduzidas pelo comunicado de 28 de Novembro, até que haja mais desenvlvimentos sobre esta matéria.


18 comentários:

Anónimo disse...

Pela parte que me cabe, acho que os clubes têm o direito de se defender. Até porque no meu clube só 15 dias depois de submetidas as inscrições é que fomos avisados das irregularidades que são por causa da dimensão da fotografia. Gostaria de saber se a FPR também não deveria ter um prazo de resposta às inscrições de atletas e que sanção terão eles por não a cumprirem.

Outra questão é porque colocarão os processos para consulta na FPR num prazo de dias corridos. Devem estar a gozar. Os clubes que pouco dinheiro tem terão de se deslocar a Lisboa até dia 13 sendo que duvido que ao fim de semana a sede da FPR esteja aberta.

Quanto ao cumprimento das regras, sou a favor delas. Mas se querem mesmo que o rugby se desenvolva a nível NACIONAL, convém que se lembrem de ajudar os clubes periféricos que são constantemente marginalizados na estrutura da FPR.

Ivan Portela disse...

A FPR é a primeira entidade a descredibilizar o rugby nacional ao dar maus exemplos. Começando pelo mau modelo competitivo da 2ª Divisão, com um grupo regional centro com 4 equipas( em que uma delas, Lousã B, não conta para o Totobola e pede para acabar os jogos antes do tempo regulamentar e aceite pelo arbitro). Um sorteio da 2ª Divisão que seria em 26.07.2012, mas que afinal passou para 14.09.2012 e que depois de meia-duzia de emails influentes (e ainda bem!), a FPR marca o sorteio para o dia 27.07.2012. Ora agora retira pontos aos clubes incumpridores (a quem já tinha dado uma chance de saltar por cima dos regulamentos, ao aceitar inscrições até sexta-feira antes do 1º Jogo do campeonato, quando deveria ser até terça-feira. Mas como começou a ser precionada (outra vez!),volta a dar mais uma oportunidade aos incumpridores de se defenderem. Afinal existe tempo para abrir processos e dar que fazer aquela gente folgada...E que tal irem aos clubes e perguntar in loco porque é que não inscreveram os joagadores a tempo? que dificuldades sentem? como podemos apoiar? Que apoio têm dos comités regionais?como pode ser esse apoio dado?Será que o comite regional poderá organizar a ida coletiva de uma equipa realizar os atestados médicos médicos, num pacote onde esteja já incluído o seguro desportivo, de modo a ser menos pesado financeiramente os clubes(atletas)? A formação de treinadores e de diretores de equipa será que não está cara (certamente que para quem joga golf, não está!)?Os pequenos clubes conseguem pagar estas formações? Os clubes emergentes competem para quê? os jogadores destes clubes estão todos inscritos ou também lhes tirarão pontos aos clubes nas etapas?Qual é o objetivo do clube emergente?Se tem o objetivo de subir para a 2ªa divisão, pretende fazê-lo em que espaço de tempo e como a FPR pode apoiar?
O projeto Nestum é bonito, as etapas dos emergentes também, mas existe muito mais a fazer nas divisões mais baixas pelos tanto pela FPR como pelos comités regionais.

PS:O último torneio da FADU realizado pela Universidade de Évora, foi escandalosamente mal organizado (com arbitros a receberem formação antes dos jogos, sem bandeirinhas e com jogadores a correr por fora do terreno de jogo e a marcarem ensaios decisivos, mesa da organização a dar ordem de entrada a jogadores a cumprir 2 minutos depois de serem "amarelados", etc, etc...) Não é a FPR que quer e diz em voz alta que apoia a vertente de rugby de 7? Esteve presente?...se calhar nem soube da realização deste etapa. A ver vamos se aproxima etapa corre melhor...

Abraços
Ivan Portela

Ivan Portela disse...

A FPR é a primeira entidade a descredibilizar o rugby nacional ao dar maus exemplos. Começando pelo mau modelo competitivo da 2ª Divisão, com um grupo regional centro com 4 equipas( em que uma delas, Lousã B, não conta para o Totobola e pede para acabar os jogos antes do tempo regulamentar e aceite pelo arbitro). Um sorteio da 2ª Divisão que seria em 26.07.2012, mas que afinal passou para 14.09.2012 e que depois de meia-duzia de emails influentes (e ainda bem!), a FPR marca o sorteio para o dia 27.07.2012. Ora agora retira pontos aos clubes incumpridores (a quem já tinha dado uma chance de saltar por cima dos regulamentos, ao aceitar inscrições até sexta-feira antes do 1º Jogo do campeonato, quando deveria ser até terça-feira. Mas como começou a ser precionada (outra vez!),volta a dar mais uma oportunidade aos incumpridores de se defenderem. Afinal existe tempo para abrir processos e dar que fazer aquela gente folgada...E que tal irem aos clubes e perguntar in loco porque é que não inscreveram os joagadores a tempo? que dificuldades sentem? como podemos apoiar? Que apoio têm dos comités regionais?como pode ser esse apoio dado?Será que o comite regional poderá organizar a ida coletiva de uma equipa realizar os atestados médicos médicos, num pacote onde esteja já incluído o seguro desportivo, de modo a ser menos pesado financeiramente os clubes(atletas)? A formação de treinadores e de diretores de equipa será que não está cara (certamente que para quem joga golf, não está!)?Os pequenos clubes conseguem pagar estas formações? Os clubes emergentes competem para quê? os jogadores destes clubes estão todos inscritos ou também lhes tirarão pontos aos clubes nas etapas?Qual é o objetivo do clube emergente?Se tem o objetivo de subir para a 2ªa divisão, pretende fazê-lo em que espaço de tempo e como a FPR pode apoiar?
O projeto Nestum é bonito, as etapas dos emergentes também, mas existe muito mais a fazer nas divisões mais baixas pelos tanto pela FPR como pelos comités regionais.

PS:O último torneio da FADU realizado pela Universidade de Évora, foi escandalosamente mal organizado (com arbitros a receberem formação antes dos jogos, sem bandeirinhas e com jogadores a correr por fora do terreno de jogo e a marcarem ensaios decisivos, mesa da organização a dar ordem de entrada a jogadores a cumprir 2 minutos depois de serem "amarelados", etc, etc...) Não é a FPR que quer e diz em voz alta que apoia a vertente de rugby de 7? Esteve presente?...se calhar nem soube da realização deste etapa. A ver vamos se aproxima etapa corre melhor...

Abraços
Ivan Portela

Anónimo disse...

Mais apoio material aos clubes da segunda divisão a nível de equipamento específico de treino também seria bom.

Nomeadamente escudos e chouriços que até nem são uma coisa barata.

Obviamente que teria de ser definida uma forma de distribuição que não permitisse os abusos óbvios que iriam existir na requisição de material...

Anónimo disse...

Fala-se aqui do tema dos castigos e vem uma alminha pedir apoio material à FPR para os clubes da 2ª divisão, e para os clubes mais representativos??? não têm direito a receber esse apoio também??? É que há 8 a 10 clubes que andam a puxar pela carruagem do rugby Português há mais de 20 anos com sacrificios dos jogadores e dos dirigentes e nada ou praticamente nada recebem e depois vêm clubes com meia dúzia de anos reclamar apoios que os outros nunca tiveram... quanto ao mail da FPR sr Cabral devia ter visto que a direcção da FPR não pode decretar castigos, quem pode decretar castigos é o conselho de disciplina e agora vamos lá a ver se não foram já ultrapassados os prazos para castigar os clubes, aliás peço-lhe desculpa não era o Manuel que tinha que ter visto a driecção da FPR é que o devia ter visto.

Anónimo disse...

A pouca vergonha que se vive desde que o Sr. Amado da Silva tomou posse é uma constante.

Esse Sr. faz o que quer, quando quer e como quer. Não passa cavaco a ninguém e infelizmente é uma pessoa sem escrúpulos.

Aos clubes que têm jogadores mal inscritos acho muito bem que se retirem pontos, aliás, deviam era perder os jogos que disputaram com esses mesmos jogadores.

Já aqui referiram, e é verdade, que na semana que antecedeu o arranque do CN o prazo de inscrição foi alargado!!!! Porquê?

Esta direção da FPR muda os regulamentos quando quer e lhe convém, mas quando não lhe convém não muda. É um rega bofe, vale tudo.

Veja-se este exemplo. Em Janeiro existe uma semana para acerto de calendário. Ou seja para, no caso de ter existido um ou outro jogo adiado, fosse porque razão fosse, seja disputado nesse fim de semana.

Mas depois temos um regulamento que determina que os jogos adiados têm que ser disputados no prazo de 7 dias!!!!! Então para quê os fim de semana de acerto? Apenas para acertar a semana anterior, só pode. As pessoas que gerem, MAL, mas que gerem o Rugby português não sabem puto do que estão a fazer. Por outro lado temos um Presidente da FPR que para além de ser incompetente ainda é mal intencionado.

Pedro Silva

Anónimo disse...

Pergunto: pode-se saber a quantos clubes o Director Técnico do Centro já foi esta época. Ou será que só vai a um clube de quem recebe também um vencimento. Quantos Kms faz com o carro da Federaçao em prol do Rugby do centro e ao seu serviço pessoal. Quantas treinos ou formações técnicas deu a Aveiro, Bairrada, Agraria, Lousã. , Tomar, Tondela, Mortagua. Etc. Só deu à Académica. É assim o desenvolvimento do Rugby no Centro. Se ele desse algum apoio aos clubes mais desprotegidos e inicio de actividade talvez não se tivessem criados estes problemas de inscrições

Anónimo disse...

É o problema de quando se tenta fazer justiça às cegas. Havia clubes que tinham razão, reclamaram e foram atendidos!!! Nada mais simples, não se trata de ser a serio ou a brincar

Anónimo disse...

Realmente tudo é desculpa para atacar a FPR. Se castigam são demasiado rígidos com os clubes, se dão oportunidade para os mesmos se justificarem significa que andam a brincar. Manuel, não compreendo a sua obsessão com a direcção da FPR, mas acho que tanta perseguição é demais. Tente ser mais construtivo. Já lá esteve? Fez melhor? Acha que quem lá está anda a tentar prejudicar o rugby nacional propositadamente?

Qualquer coisa é pretexto para atacar esta direcção... E note, nada tenho contra ou a favor do actual presidente, apenas me parece que estes ataques constantes não melhoram em nada o rugby Português.

Filipe Costa

Anónimo disse...

deitaram os foguetes cedo demais!

Anónimo disse...

O Diretor Técnico do Centro é pago pela FPR, e tem uma viatura, mas está ao serviço da Académica?

Isso é verdade? a ser verdade que faz a FPR? Pelos vistos nada, é só fumaça

Anónimo disse...

O rugby é uma modalidade para inteligentes. E se a Académica faz isso só mostra que são inteligentes. Estão a mamar como mamaram muitos clubes de Lisboa com os treinadores dos clubes a treinarem a seleção. Pensávamos que isso já tinha acabado, mas com o Cabé tudo é possível.

Anónimo disse...

Não percebo como é que há clubes que são membros de associações ou comités regionais e não conhecem os estatutos dessas instituições.

Sem os conhecerem como é que podem exigir o que quer que seja a quem quer que seja? Nem sequer sabem o que é da competência dessas associações e o que é da competência da FPR.

As assembleias anuais obrigatórias realizam-se? E as assembleias eleitorais realizam-se?

Os planos de actividades e orçamentos (isto, caso existam; durante muitos anos em 2 associações não existiam; talvez actualmente ainda não existam) são votados?

Os relatórios de actividades e contas são votados (isto, caso existam; durante muitos anos em 2 associações não existiam; talvez actualmente ainda não existam)?

Por que é que durante muitos anos 2associações praticamente não tiveram actividade? Os clubes nunca se preocuparam em perceber isso? É que esas associações mesmo quando não faziam praticamente nada, recebiam quantias interessantes da FPR? Esse dinheiro foi para onde? Não sabem?

Quando voltaram a ter actividade, isso resultou da vontade dos clubes ou duma decisão da FPR perante a inércia dos clubes?

O rugby português tem tudo a aprender com os outros desportos e com as outras formas de associativismo. Mesmo o mais básico do básico. E para isso não é preciso dinheiro. Basta a vontade de aprender.

Anónimo disse...

Situação complicada, se existirem erros na avaliação das situações é óbvio que as justificações dos clubes têm de ser ouvidas.

Mas vai haver quem queira justificar o injustificável, as pessoas do rugby sabem dentro dos seus meios quais os clubes que mais prevaricaram ao longos dos anos, compreende-se a dúvida moral de estar agora a usar a menina dos 5 olhos quando até agora nunca nuinguém sofreu nada. Mas têm de se começar por algum lado e por exemplo a sancionar os clubes que de desleixam com o processo das inscrições.

Pegando num exemplo que já aqui foi referido, não acho que se deva perdoar um clube que mande as coisas mal para a FPR, seja por tamanho de foto (e mesmo na questão das fotos a não atualização destas quando a foto da FPR é imprópria) seja por exame médico sem data seja porque for, se o clube tiver mais que um ano de atividade tem obrigação de saber como funciona o sistema, e senão arranjar alguém competente para tratar das suas inscrições é porque não quer saber.

de resto o sistema online tem funcionado bem na grande maioria dos casos e penso que é no fundo um sucesso.

só quem se quer defender é que vai alegar constantemente que o sistema da FPR não funciona etc.

é de lamentar que da mesma maneira que se calhar se sancionou demais alguns casos e houve erros nesse sentido, ninguém falar dos casos que ficaram por sancionar, porque eles garantidamente existem.

Anónimo disse...

Artigo 100º do Decreto-Lei nº 6/96, de 31 de Janeiro - DR. Nº 26 - I-A. "SUBSECÇÃO IV-Da audiência dos interessados"

Anónimo disse...

Parece que realmente quanto maior é o sucesso do rugby portugues mais problemas querem levantar ao Presidente. É curioso que nem é a Direcção é sempre o Presidente. Porque será ?
Neste caso a evidência é irritante. Afinal acha o Manel que os Clubes devem ou não ter direito ao contraditório.? Acha ou não que defender com equidade os interesses dos Clubes? É isto que está em causa. O Presidente não está lá só para defender as Selecções Nacionais. O que parece claro é que a FPR deu apenas conhecimento aos Clubes das irregularidades detectadas pelo seus colaboradores. Fez muito bem o Presidente em querer dar hipotese aos Clubes para se justificarem. Acha mal ? São coisas sérias e ainda bem que a Direcção e o seu Presidente querem ser justos mas tolerantes. Isso é mau para o rugby ? É preciso ser-se muito ingénuo para pensarem que as pessoas não reconhecem o excelente trabalho desta Direcção e sobretudo deste Presidente. Alguma vez o rugby nacional conseguiu resultados e uma actividade nacional e internacional como agora ? Pena que sejam os de fora a compreender e a apreciar o trabalho e a competencia dos nossos. Pois não é que o Presidente da FPR foi eleito Vice Presidente da FIRA e que tem grangeado prestígio internacional. Não percebo como é que o site da FPR nem falou disso. Se calhar esqueceram-se.
Continue Presidente e nao se esqueça dos Clubes mais pequenos e que nao sao da roda do poder.O rugby agradece

Anónimo disse...

"os excelentes resultados" ?!?!?!?!?! QUAIS ????
os deste ano ainda a "procissão vai no adro" ... ...vamos ver, por isso não pode ser a eles que se refere.
Os do ano passado?! Os piores de quase sempre em XV e péssimos em 7s (apenas um bom torneio -HK )!!! è preciso ser um radical do cabéismo para ter o descaramento de escrever isso!!!!
É que nem de resultados financeiros pode falar pois esss vão sair do pêlo a todo o rugby como estão a sair do pêlo a todo o "agronomo" !!!!!!HAJA DECENCIA E PUDÔR !!!!

Anónimo disse...

Caro amigo,

Sou agronomo e não me sai nada do pelo, e ainda bem que existiu um Cabé na Agronomia, pois o resultado está á vista! Só não vê quem não quer, basta deslocar-se á Tapada!