3 de maio de 2012

CIRCUITO FEMININO DE SEVENS – TÉCNICO DOMINA SEM RIVAL

AS MENINAS DO TÉCNICO VENCERAM a terceira etapa do Circuito Nacional de Sevens, como já tinham vencido as duas primeiras, e são praticamente campeãs nacionais a uma etapa do final.

Em Arcos de Valdevez, as mabecas dominaram mais uma vez, e venceram o Boavista na final, por 19-17.
Com a ausência do Benfica, de Agronomia e do Setúbal, a organização viu-se obrigada a “puxar” o Viseu do Grupo B para o Grupo A, juntando assim seis equipas na disputa do grupo principal.

Com esta promoção quem se prejudicou foi o Grupo B que teve que recorrer à reserva secreta do Bairrada para poder apresentar seis equipas no confronto.

Entretanto na classificação geral a equipa do Técnico comanda isolada, e é praticamente campeã nacional já que apenas a sua ausência em Coimbra no próximo fim de semana lhe poderá tirar o título.

No segundo posto segue a Agrária de Coimbra a 13 pontos da líder, com mais quatro que a terceira, o Boavista.

No Grupo B o Braga sagrou-se vencedor, ao bater o Cascais na final por 19-12.

Ainda em relação à classificação geral, nota-se que não foram atribuídos quaisquer pontos a Agronomia, que deu uma falta de comparência na primeira jornada, mas outra equipas que também deram faltas de comparência, continuam a registar presença na tabela.

Ou seja, Agronomia foi eliminada do Circuito, mas o castigo não existiu para as outras faltadoras... 

Fique com os resultados da etapa e a classificação atualizada:




QUARTA E ÚLTIMA ETAPA DO CIRCUITO SÁBADO EM COIMBRA 

No sábado, dia 5 de Maio, realizar-se-á na Escola Agrária de Coimbra a 4ª e última etapa do Circuito desta época, não sendo ainda conhecida a lista dos participantes, nem o horário do evento.

Este torneio será aberto a equipas do Grupo A realizando os jogos em campo inteiro e Grupo B realizando, lamentavelmente, os jogos em meio campo.

Não nos podemos esquecer que estas equipas já jogaram em campo inteiro e agora dão um passo atrás no seu desenvolvimento ao regredirem para meio campo como uma equipa de miudos.

Bora lá acampar para os lados de Coimbra!
Não se esqueçam de trazer o saco de cama, colchão e rolo de papel higiénico.

Mas não há problema, a malta até gosta destes convívios.

E ao fim do dia está prometida uma churrascada ás atletas e equipas técnica e á noite podem sempre ir beber uns canecos na festa estudantil da Queima das Fitas!

Festa a não perder… HIP HIP HURRA!!

Texto: Flor da Rosa
Foto: CRAV

15 comentários:

Anónimo disse...

Cara Flor da Rosa e/ou Mão de Mestre:

Não me parece que haja uma regração por aí além, tendo em conta o nível que as equipas do grupo B apresentam. Aliás, foi um erro gigante colocar raparigas deste escalão a jogar em campo inteiro nas três primeiras jornadas, uma vez que quem viu os jogos, sabe que acabam por ser jogados em 15 metros e depois há uma (normalmente a mais rápida) que se lembra que há espaço fora e desata a correr.

O erro esteve em quem se lembrou de fazer as duas jornadas em campo inteiro. Agora estão a tentar desfazer o erro, pode ser é que seja tarde.

Não me parece que esta seja a forma mais correcta de ensinar o jogo. Acaba-se por fazer muitos erros, pois o espaço é grande e o nível de passe é ainda bastante reduzido e premeia-se demais o valor individual da "esperta" que se lembra de correr. Não é esta a forma de jogar do rugby de sete.

Penso que todos os jogos do grupo b deveriam realizar-se em metade do campo, para terem uma base sustentável do que é o passe correcto, das linhas de corrida, das técnicas de envasão, defesa e depois sim, pensar em campo inteiro e na potencial competitividade que poderão ter frente às equipas do grupo A. Um bom exemplo de equipa que tem crescido desta forma é a equipa da Bairrada.

Gostava também de acrescentar que existem algumas equipas que aparecem no grupo A que também não sabem jogar ainda em campo inteiro, isto para dizer que o que disse em cima, não é de todo uma crítica para deitar abaixo as equipas do grupo B, mas sim para potenciar a sua evolução da maneira, que a mim, me parece a mais ajustada e correcta.


Cumprimentos

Anónimo disse...

O Benfica não pode aparecer na classificação, uma vez que as equipas organizadoras, não podem faltar a outros torneios, sob pena de serem desclassificadas. Foi o que aconteceu com o slb por não ter ido ao crav.

Anónimo disse...

Só um pormenor... Viseu não foi puxada para lado nenhum.
Viseu ganhou no campo a sua subida ao Grupo A, que eu saiba organizou-se um torneio do Grupo ao qual Viseu, que não tem culpa da desorganização da Federação e das outras equipas não aparecerem, ganhou esse torneio de forma justa e inequívoca em campo.
É pena que confunda o valor das atletas de Viseu, com a desorganização da Federação. Se algum dia Viseu foi "puxada" para algum lado foi devido ao esforço de "remada" das suas atletas.

Anónimo disse...

Correcção: O Viseu subiu ao Grupo A por mérito próprio, visto ter sido o vencedor do Grupo B na jornada anterior e segundo o regulamento da prova, este ano o 1.ª do grupo B troca com o 8.º do grupo A, para a jornada seguinte.

Anónimo disse...

Olá Manuel:

Gostaria de corrigir a afirmação deste post "Com a ausência do Benfica, de Agronomia e do Setúbal, a organização viu-se obrigada a “puxar” o Viseu do Grupo B para o Grupo A".

Como sabe está previsto pelos regulamentos (ponto 11 do regulamento do Grupo A e ponto 10 do regulamento do Grupo) que a equipa vencedora de uma jornada do Grupo B garante o acesso ao grupo A na jornada seguinte por troca com a última classificada (em teoria e se houvesse 8 equipas no grupo, a 8ª classificada). Assim, a organização apenas cumpriu os regulamentos, não se viu obrigada a nada, e o Viseu (vencedor do GRupo B na jornada anterior) jogou no Grupo A por mérito próprio.

Já agora há uma questão que seria interessante saber com vai terminar: A falta de comparencia do Benfica no torneio de Arcos.

A não realização de pontuação e perda já garantida do campeonato é um problema do Benfica, agora a sua não comparência a esta jornada depois de ter sido clube organizador da primeira jornada é que é um problema que afecta todos e deve ser severamente punida. Lembro que em vários anuncios da FPR foi dito que para as jornadas do Nacional, a organização de uma jornada por um clube implicava a sua participação em todas as jornadas. Houve clubes que não se candidataram a organização de jornadas devido a isto. Por isso, e para haver justiça e não haver "filhos e enteados", aguardo para ver qual vai ser a sanção aplicada ao Benfica.

Anónimo disse...

NÃO CONCORDO.
Se não jogarem em campo inteiro nunca vão aprender a faze-lo.
Aprende-se praticando!
Aprende-se quando os treinadores têm conhecimentos e os sabem ensinar!
Aprende-se quando se tem vontade de evoluir!
E VONTADE NÃO NOS FALTA!

Só é pena os crânios da FPR não terem a humildade para perceber isso e acharem que são TODOS excelentes e donos da razão, mas no fim vai-se a ver e não passam de um balão de ar quente. Andam todos emproados e arrotam postas de pescada mas só fazem borrada e prejudicam quem quer evoluir.
E há muito técnico por aí a mamar que passa o dia a coçar os "joelhos". E quando não se estão a coçar, estão a meter veneno sem dar muito nas vistas ou a criticar os outros em vez de trabalhar.

Um pouco de HUMILDADE nunca fez mal, antes pelo contrário!

Anónimo disse...

Boa questão! É já a segunda falta de comparência do Benfica, que faltou em Loulé, tem um raio de acçaõ limitado a 200 quilómetros. Vamos ver pois se isto tem tratamento diferenciado e uns são filhos e outros enteados.

Anónimo disse...

É sexta-feira yeaah diz o AC Boss, mas das equipas participantes e calendário de jogos para a última etapa do circuito nacional de sevens feminino, amanhã na Escola Agrária em Coimbra, nem sombra.

Anónimo disse...

Afinal, não se entende qual o regulamento aplicado.
Depois do Viseu, por mérito próprio, ter sido apurado para o Grupo A após ter ganho uma etapa do Grupo B (como foi várias vezes comentado neste post), não se entende porque é que a mesma regra não é aplicada agora ao Braga. Afinal foi o vencedor do Grupo B em Arcos e aparece a disputar outra vez o grupo B na jornada da Agrária.

Já agora será também de perguntar por é que a 1ª Jornada, que teve o mesmo nº de clubes participantes que aqueles que estão previsto para a jornada da agrária, tem um quadro competitivo diferente.
1ª jornada em Lisboa
Grupo A: 2 grupos de 4 equipas Grupo B: 2 Grupos de 4 equipas;
4ª Jornada em Coimbra,
Grupo A: 2 grupos de 3 equipas Grupo B: 2 Grupos de 5 equipas.

Como é que a formula competitiva pode mudar no espaço de 1 mês....

Por estas e por outras que tais (os tais "filhos e enteados") é que o rugby nacional nunca vai poder progredir o que poderia e deveria.

Anónimo disse...

Tudo o que meta mulheres dá nisto. Deixaram de lavar a roupa suja em casa e por isso vêm para aqui opinar.

Anónimo disse...

Joguem, divirtam-se, e preocupem-se menos com campionites e sobretudo apoiem as equipas emergentes, pois muitas vezes são essas que poderão jogar no futuro convosco.

Anónimo disse...

E fez-se luz, já passava das 8 da noite quando finalmente apareceu no site da FPR o calendário dos jogos da 4a etapa.

mrcbairrada disse...

Manuel,

Não foi equipa de reserva...foi equipa C, além da equipa B que a Bairrada apresentou em Arcos Valdevez. Quanto a todos os outros incidentes que se têm passado neste campeonato nacional de sevens femininos nos locais próprios vou ter certamente oportunidade de demonstrar a posição do Moita Rugby Clube da Bairrada.

Justo campeão o Técnico e parabéns por ter sido a única equipa do GRUPO A a ter vindo às etapas do Norte (ARCOS Valdevez) e Centro (Coimbra).

Só se quisermos todos, é que poderemos levar o rugby feminino em Portugal para um futuro risonho, se não vamos continuar a andar só por aqui...

Anónimo disse...

Parabéns pelo comentário anterior, como qual se concorda na totalidade.

O Técnico foi também a única Equipa do Grupo A que se deslocou a Loulé na Fase Regional da zona sul (junto com o Caldas).

E aqui fica reconhecimento e os agradecimentos ao MRCBairrada, também a única equipa (junto com o Técnico, Boavista, CRAV e Agrária)que esteve em todas as etapas, e sempre com um elevado número de jogadoras, o que demonstra o grande trabalho que o clube está a fazer em prol do rugby feminino.

Sem pretender ser polémico, lamentável é a notícia (2 linhas com erros)no site da FPR sobre o novo campeão nacional e sem uma palavra, uma que seja, no perfil Portugal Rugby Feminino.

Rui Rodrigues disse...

Peço desculpa entrei com o nome do clube mas o comentário foi meu.

RUI RODRIGUES