22 de fevereiro de 2017

JOGOS EM ATRASO TRANSFORMAM-SE EM FALTAS DE COMPARÊNCIA

Num fim de semana que se previa tranquilo no acerto de alguns jogos em atraso da Segundona, tudo mudou com duas faltas de comparência - uma no Norte/Centro, e outra no Sul/Lisboa - que provocam mais algumas significativas alterações nas tabelas classificativas das duas zonas nacionais.

Na única partida realizada no final de semana, o Núcleo de Rugby da Lousã foi a Braga perder com a equipa minhota por 64-22, e os bracarenses estão agora a cinco pontos da Agrária, disputando o segundo lugar na classificação, com um encontro marcado para este final de semana, no sábado, no Campo da Sobreposta, que pode decidir o rumo do apuramento.


Os dois restantes jogos programados para o final de semana não se realizaram por falta de comparência às equipas visitantes, o que implicou, nos termos do Regulamento da competição, o seu afastamento da prova e a respectiva anulação de todos os jogos realizados por essas equipas desde o início da mesma.

Lamentavelmente estes factos confirmam aquilo que dizemos há anos sobre a (cada vez mais) urgente necessidade de tomar a máxima atenção na organização das competições de base - a Segundona e os Emergentes.
Se isso não for feito teremos mais responsáveis a acrescentar aos do passado quando o rugby nacional definhar até não passar das Linhas de Torres...

Na zona Norte/Centro o Moitense - que tinha dado mostras de poder competir no escalão, com uma vitória sobre o Aveiro e uma derrota por números muito razoáveis com o Braga - não se deslocou a Guimarães, enquanto na zona Sul/Lisboa foi o Borba a não realizar a viagem a Loulé.
Sabemos das dificuldades que os clubes atravessam, mas temos que conseguir valorizar a Segundona e reservar a participação na prova às equipas com condições - desportivas e financeiras - para aguentar aquilo que se deve exigir delas, sabendo-se que a Segundona é a porta para a segunda maior competição nacional.
Quem não tiver condições para as exigências da Primeirona, seja em termos do número de jogos, seja em termos das deslocações, não deve poder participar na Segundona.

Para essas equipas existe - ou devia existir - um área que seria o berçário de todas as equipas nacionais, onde aquelas que apenas pretendem praticar o denominado rugby social e aquelas que se pretendem preparar para a competição propriamente dita, tenham as oportunidades que pretendem.
Uma verdadeira zona de equipas emergentes.

Fiquem com as tabelas classificativas das duas zonas, já sem a presença das equipas eliminadas.



2 comentários:

Angelo Sousa disse...

Em primeiro lugar quero felicitar e agradecer todo o vosso empenho e dedicação na divulgação desta bela modalidade. Em segundo lugar é com muita pena que vejo o C.R.de Borba ser excluído do campeonato por falta de comparência no jogo com o Loulé. Realmente sem apoios tudo fica cada vez mais difícil pois somente a carolice não chega. Lamento que toda a entrega e dedicação de um grupo de jovens fantásicos não tenha continuidade. Não serve de desculpa mas deitar por terra todo o esforço Herculeo desta gente fantástica que tem inventado tudo o que pode e não pode para manter um clube de rugby em Borba no activo, sem apoios de maior é um acto injusto. Ninguem mais do que eles querem jogar esta bela modalidade e demonstrar que apesar da distância ali se joga bom rugby. Que sejam divulgados os apoios que são dados pela FPR às equipas da Segundona. 2 bolas por época? Sejam justos. Cumprimentos Ângelo Sousa

Marcelo Catalão disse...

Qualquer equipa de inatel tem mais condiçoes em termos de APOIOS isso mesmo APOIOS e insentivos à modalidade que o rugby em zonas como o sul, que se não for o amor a camisola e ao amor pela modalidade... de certo que o fator financeira é importante em todos os niveis... mas mais ainda é importante salientar a forma de como esta crise começou...quem sai mal na foto são estas equipas, fundamentais ao desenvolvimento da modalidade em zonas do pais que nunca se imagina ser possível... esta crise é desencadeada logo pela forma que a federação tem se apresentado em varios casos... FCT/BORBA e mediatico o caso de disputa no RCM de um jogador impedido... quem sofre com isto são os que amam a modalidade de coração, a falta de respeito demonstrado às equipas e jogadores da zona sul... se o problema é financeiro é... as equipas do sul são alimentadas pelos jogadores e familias inteiras que adoram o rugby este é o financiento...