10 de outubro de 2014

DUELO DE CANDIDATOS… UM POUCO CEDO DEMAIS *

* António Henriques
Na sequência de uma jornada de arranque da DH na qual o râguebi praticado, na sua maioria, foi ao jeito do café que posso tomar a partir das onze da noite – fraquinho… –, e marcada por quatro ‘cabazes’ e ainda o triunfo daquela que se espera poder ser a putativa equipa-sensação desta época em casa da equipa que surpreendeu tudo e todos na pretérita temporada, este sábado realiza-se a ronda n.º 2, num fim-de-semana no qual a seleção nacional de sevens se estreia no circuito mundial da IRB na cidade australiana de Gold Coast.

Eis o programa completo desta segunda ronda.

AGRONOMIA-DIREITO (Tapada, 12.00)
Duas das equipas que iniciaram a prova já em razoável forma (eu escrevi só razoável, não precisam
de se pôr em bicos de pés…) e, também por isso, vencedoras na jornada inaugural, defrontam-se num confronto que costuma ser sempre aliciante e sem favorito declarado à partida.
Pena é que a temporada esteja ainda a começar, o que impedirá os dois quinzes rivais de disputarem mais um daqueles jogos duros, plenas de entrega, bons momentos e (por vezes) polémicos, que nos últimos anos fizeram as delícias de todos os que se deslocaram à Tapada. 
Mas sorteio é sorteio… e portanto deixem de se queixar e toca a jogar.
Fazendo este ano parte do grupo B – e só lá mais para a frente se saberá se isso foi favorável ou não… –, Agronomia já não dispõe do ‘eterno’ Duarte Cardoso Pinto, sendo agora Neil Manley a dirigir a orquestra de João Moura e bem que o médio de abertura sul-africano precisa de se concentrar pois pela frente terá jogadores que não conhece de lado nenhum mas – prepare-se – já venceram esta época o único troféu oficial que disputaram.
Claro que Martim Aguiar não poderá contar com Pedro Leal, Adérito Esteves, Vasco Fragoso Mendes e as aquisições Nuno Sousa Guedes e José Maria Vareta (todos nos sevens), para lá do castigado capitão Vasco Uva (e se calhar ainda não terá Gonçalo Malheiro). 
Mas todas estas ausências, que para muitos valeriam valentes dores de cabeça, face à profundidade do plantel de Monsanto deixam qualquer treinador dormir descansado. Escrevo eu…

CASCAIS-ACADÉMICA (GUIA, 15.00)
Depois da boa vitória arrancada nas Olaias, o Cascais - esta época com o apoio da GroundLink - estreia-se diante dos seus adeptos perante uma equipa que também triunfou na jornada inaugural. 
Foto: Filipe Monte/Rugby Photo Store
Na época passada o quinze da casa venceu por apertados 12-10 (e perdeu por 1-0 em ensaios…), mas mesmo tendo em vista a agradável exibição produzida pelos pretos ante o CRAV – nove ensaios, com bis de Sérgio Franco, e apresentando uma equipa com três atletas de 18 anos – face ao que se assistiu há uma semana, o favoritismo tem que ser atribuído à reforçada equipa da Linha. 
Que, à semelhança do Técnico no ano passado, não vai querer desperdiçar a oportunidade de iniciar a prova com um conjunto de vitórias que lhe permitam ganhar estabilidade para cumprir uma época em grande estilo.

CDUL-CDUP (EU Lisboa, 15.00)
Depois da demolição do RC Montemor na ronda inaugural – 10 ensaios, com bis de Bernardo Canas e Gustavo Castro –, os campeões nacionais voltam a jogar em casa (inversão de campo) perante um CDUP que desiludiu na sua primeira viagem à capital, onde mostrou pouca ambição e muita verdura.
Curiosamente, este será um dos quatro duelos do dia entre as duas equipas, que também se irão defrontar nos escalões de sub-16, sub-18 e sub-23. 
E de todos estes encontros, o dos mais velhos parece-nos ir ser o mais desnivelado e capaz de produzir novo ‘cabaz’ de ensaios.

CRAV-BELENENSES (Coutada, 15.30)
Dois dos derrotados na jornada inaugural defrontam-se em Arcos de Valdevez, onde a equipa da casa,
Foto: Eduardo Gameiro
na época passada, conseguiu um dos seus únicos dois triunfos da época, por 30-20. 
Os do Restelo continuam com enormes carências no quinze titular – nomeadamente ao utilizar atualmente a 1.ª linha mais jovem da prova –, onde se irá verificar o regresso à competição do valioso Francisco Vieira de Almeida, para lá das ausências de Hugo Valente e Diogo Miranda, na Gold Coast. 
E se as coisas estiverem complicadas para o Belém, até poderemos assistir à entrada em campo do ‘reforço’ João Uva, treinador em plena forma física…
Quanto ao CRAV, e mesmo com todos os problemas que se conhecem para poder armar um quinze competitivo ao nível da DH, esta poderá ser uma oportunidade rara para os minhotos conseguirem dois êxitos consecutivos em casa perante os azuis.

RC MONTEMOR-TÉCNICO (Montemor, 16.00)
Se para os alentejanos, como foi possível constatar no sábado passado, as coisas não irão ser muito
Foto: Miguel Rodrigues/Rugby Photo Store
diferentes relativamente à época passada, mantendo-se as dificuldades para acompanhar a passada dos poderosos, já os engenheiros deixaram muito a desejar na sua première caseira perante o Cascais, na qual nem um ensaiozinho para amostra conseguiram. 
Esta será a ocasião ideal para o 3.ª classificado da época transata poder retificar essa impressão inicial (mas já não há uma segunda oportunidade, não se esqueçam!), num campo onde, em Dezembro passado, cilindrou por 61-10 (9-1 em ensaios).

8 comentários:

Anónimo disse...

O clube que joga contra a academica este fim-de-semana é o Cascais rugby.

Anónimo disse...

"DUELO DE CANDIDATOS…"
Titulo ridículo como de absurdo!
Não acham um pouco cedo? Não se esqueçam dos outros, ou o rugby em portugal só são esses dois? Deixem-se de compadrios e tenham mais respeito pelos que gostam da modalidade de Norte a SUL.

Anónimo disse...

Ehehehe ...é tão engraçado ver os guardas do convento saltarem como batata frita...
Então lá porque estas duas equipas são candidatas não pode haver outros candidatos?
Haja paciência!

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Boa noite, Manel

Tem toda a razão, o Rugby baixou o nível , vai ser jornadas , após jornadas com cabazes.
Só vejo duas equipas que vão lutar pelo título, Cdul e Direito.

Abraço

O Polvo

Anónimo disse...

Agronomia não tem capacidade para se bater pelo título apesar de ter alguns bons jogadores mas uma equipa não se faz só com bons jogadores.O jovem treinador merecia outro apoio para os avançados. Então não têm o Bráulio ? Direito vai passear

Anónimo disse...

Pelo que se viu infelizmente para o rugby nacional o CDUL e o Direito mais ou menos desfalcados são muito superiores a todos os outros e mesmo o Tecnico com a estrangeirada toda e o Cascais ainda precisa de mais tempo não terão hipoteses

Anónimo disse...

Este anónimo das 01:14 de 11/Out anda distraído ou mal informado.

Assim sendo, antes que volte às aleivosidades informa-se que o Técnico (sempre o Técnico e os estrangeiros) tem 2 estrangeiros inscritos. Dois....

Tantos quanto Agronomia e não me pronuncio sobre as demais equipas porque não sei.

Antes de fazer comentários é melhor informar-se caro adepto.