18 de maio de 2017

2ª DIVISÃO - PARA QUANDO AS MEIAS FINAIS?

As meias finais do Campeonato Nacional da 2ª divisão, a Segundona, estavam marcadas para este fim de semana, mas uma decisão administrativa da FPR, que impede o Elvas de disputar a fase final da prova, trouxe consequências desastrosas para o regular andamento da competição.

A história conta-se em poucas linhas.


Na época 2013-2014 o RC Elvas foi afastado da disputa do Campeonato Nacional da 2ª Divisão, após ter sido punido com uma falta de comparência no jogo que deveria ter realizado contra o Sobredense, mas não existe qualquer referência no Boletim Oficial da FPR de outro castigo nem informação quanto a eventual desistência de participação na prova por parte do clube alentejano.
Apenas se sabe que o RC Elvas deixou de participar na prova porque na altura foi publicado um novo calendário da prova - em consequência do processo da inclusão da equipa do Técnico B na prova - e nele já não aparece o Elvas.

Na época 2016-2017, o clube elvense inscreve-se de novo na competição, e nenhuma restrição foi anunciada ao clube, que assim participou na fase regional da prova, acabando mesmo por ser o seu vencedor.

Mas, na véspera da penúltima jornada da fase de apuramento, e quando o Elvas já tinha garantido a sua classificação para a fase final em função dos seus resultados desportivos, a FPR informou o clube que ao abrigo do Regulamento Geral de Competições, não poderia participar da fase final, pois, tendo sido desclassificado (ou tendo desistido) de participar na prova em 2013-2014, só poderia disputar a sua fase regional neste regresso à competição.

O RC Elvas recorreu desta decisão, e aqui começa tudo a ficar embrulhado.
Por um lado temos a FPR em função do atraso do CJ em dar uma resposta ao recurso do Elvas, decide adiar a fase final da prova, e por outro lado temos os restantes clubes envolvidos na fase final, que, argumentam que de acordo com os Estatutos federativos, o recurso não tem  efeitos suspensivos, pelo que a prova deve continuar.

Claro está que os clubes que disputaram a prova e assumiram compromissos em relação a suas deslocações, e os seus jogadores que programaram as suas vidas em função de um calendário publicado no início da época, estão cobertos de razão, mas também o Elvas tem razão em pretender disputar a fase final, caso veja o seu recurso ser atendido.

A pergunta que fica é se uma punição desta dureza pode ser aplicada mais de três anos após os acontecimentos que a justificam, já que não houve nenhuma decisão punindo o clube elvense na altura, e nenhuma restrição lhe foi aplicada no início desta época, quando o clube se inscreveu, e começou a disputar a prova.

Não basta dizer que o clube devia saber que não podia. É preciso punir o clube, e isso não aconteceu.
Poderá um castigo desta natureza ser simplesmente aplicado administrativamente, sem abertura de um processo disciplinar??

Bom seja como for, tudo isto se teria evitado se no ato de inscrição da equipa do RC Elvas, a FPR tivesse informado que o clube não poderia disputar a fase final, mesmo que eventualmente ganhasse esse direito no campo.
Feita essa notificação no início da época, o clube teria recorrido na altura, e o Conselho de Justiça teria nove meses para dar à luz uma decisão, sem prejudicar quem nada tem a ver com toda esta trapalhada.

Note-se ainda a falta de informação que mantém a situação na clandestinidade, com conhecimento apenas dos clubes diretamente envolvidos - até parece que está bem, mas na verdade não está!
Trata-se de uma competição oficial, do domínio público, e como tal tudo o que lhe diz respeito deveria ser também do conhecimento geral.
Não se pode por um lado chorar porque o rugby não tem visibilidade, e por outro lado continuar a fazer caixinha e a esconder as situações.

As meias finais deveriam ser disputadas este fim de semana, mas isso não vai acontecer, e a menos de 72 horas da data prevista, a FPR apenas tomou uma medida, que passa pela omissão de informação sobre o evento.

1 comentário:

João Pires disse...

Isto vai muito para além de esta possível punição, que no meu ver não tem sentido, pois não podemos mudar as regras quando queremos, mas isso é outra conversa...!!!!!
A questão a que me quero referir, é a da ILUSÃO!!!! A ilusão dos jovens jogadores que têm formado esta equipa e a dos escalões de formação do RCE, pequenos jogadores que olham para a equipa A, como se de All Black's se tratassem, um grupo como nunca se viu neste clube, que apaixonadamente envergam os polos e t-shirts do seu clube, um grupo de pessoas que acompanha a equipa fervorosamente,gente que treina graciosamente em prol de um objectivo colectivo e não individual, e agora, vêm os srs da FPR a retirar a ILUSÃO a estes jovens e a esta cidade que há tanto respira rugby.
É com pena que vejo esta situação a ser tratada com amadorismo, mas daquele que já não se vê nos dias de hoje, que me perdoem, todos aqueles que também por amadorismo, dão horas e horas do seu tempo em prol de objectivos.
Aguardaremos com a esperança que seja o desporto e o jogo em si a decidir em campo se o RCElvas pode ou não subir de divisão e dignificar esta modalidade ao mesmo tempo.
Abraço à mão a todos aqueles que gostam de desporto e particularmente de Rugby.