13 de novembro de 2014

A ORGANIZAÇÃO DOS JOGOS INTERNACIONAIS E OS ERROS DE CALENDÁRIO *

* Paul Tait
A programação do jogo internacional entre os Estados Unidos e a Nova Zelândia na cidade de Chicago foi muito complicada.

Como os All Blacks têm um jogo no Reino Unido em todos os sábados de Novembro, menos no dia 1º, a única possibilidade que existia foi que os Estados Unidos recebessem a partida nesta data.

A decisão foi tomado e as autoridades conseguiram promover o jogo com distinção - o estádio esteve lotado.

A desvantagem foi que os norte americanos não podem utilizar os seus jogadores do Aviva Premiership nos test matches contra Romênia, Tonga e Fiji.
Hayden Smith, Samu Manoa, Blaine Scully e Chris Wyles foram titulares em Chicago mas não podem estar presente nas outras partidas. 
Além disso Cam Dolan, que perdeu o jogo por lesão, voltou a Inglaterra.

Antes de Chicago os All Blacks tiveram jogos internacionais recentes contra Austrália, Argentina e África do Sul. 
Os Estados Unidos, por outro lado, enfrentaram a Escócia, Japão e Canadá em Junho. 
A explicação do desempenho da Nova Zelândia está baseada em muito mais do que a qualidade de seus jogadores. 
Eles estão juntos desde os jogos de Junho.

A comparação é fundamental para entender. 
Muitos jogadores norte americanos chegaram do exterior cinco dias antes do jogo. 
O treinador, Mike Tolkin, teve apenas três dias de treinamento para preparar a sua equipa para um jogo extremamente complicado o que foi totalmente incomparável à situação dos jogadores de Steve Hanson.

O fato de não ter conseguido marcar um ensaio no Soldier Field não deveria ser o foco da questão para os Estados Unidos. 
O tema também não deveria ser a capacidade dos All Blacks em marcar pontos. 
A questão de maior importância também não deveria ser se a USA Rugby tem condições de organizar jogos internacionais nos estádios do NFL. 
Na verdade o que o jogo mostrou foi a necessidade de organizar jogos quando é bom para as duas equipas e não só para os All Blacks.

Se as duas equipas se enfrentarem novamente ou se a USA Rugby organizar um jogo contra outra equipa do nível máximo, a partida deverá ser organizada como o terceiro ou quarto jogo internacional do mês e jamais como o primeiro. 
Tem que ser num momento em que os treinadores tenham acesso ao todos de seus jogadores e tenham o tempo necessário de planificar. 
Na verdade a vitória de Junho frente ao Canadá é prova desta necessidade.

3 comentários:

Anónimo disse...

Caro Sr Paul Tait,

Ao ler os seus artigos fica sempre a sensação de que não concorda com nada.

Ora bem, porquê erros de calendário, como diz?

Não é o Sr Tait que afirma que como os All Blacks vão ter um jogo no Reino Unido em todos os sábados de Novembro (recorda-se que a Irlanda não pertence ao Reino Unido), menos no dia 1, a única possibilidade que existia era a de que os Estados Unidos recebessem a partida nesta data?

E que interessa o facto de os EUA não contarem com todos os jogadores e outros terem chegado apenas uns dias antes do jogo?

Mais refere que «se as duas equipas se enfrentarem novamente ou se a USA Rugby organizar um jogo contra outra equipa do nível máximo, a partida deverá ser organizada como o terceiro ou quarto jogo internacional do mês e jamais como o primeiro. Tem que ser num momento em que os treinadores tenham acesso ao todos de seus jogadores e tenham o tempo necessário de planificar».

Ou seja, o jogo tem de ser organizado quando der jeito aos Estados Unidos?

Já percebeu o Sr. Tait que as deslocações das equipas do hemisfério sul ao hemisfério norte não acontece por acaso do destino?

E, como equipa de segunda linha, os Estados unidos se querem jogar com os All Blacks têm de se sujeitar às disponibilidades de datas?

E já percebeu que, no rugby, só faz falta quem está?

Antes de escrever que os calendários estão errados, talvez seja melhor meditar um pouco porque são estes os calendários disponíveis...



Miguel de Castro disse...

Se os USA tivessem muitas lesoes ao fim de dois jogos o sr Tait viria a terreiro dizer que deveria ter sido mais cedo, antes das lesoes de maneira a que os USA estivessem na sua maxima força. Nao ha maneira de agradar a este senhor. Está tudo mal no mundo do rugby, deixem o senhor mandar no mundo do rugby que ele é o visionario.
E A IRLANDA É ORGULHOSAMENTE INDEPENDENTE!

Paul Tait disse...

Prezado Anónimo,

Sempre gosto de receber feedback. Para te responder queria levantar uma pergunta – rugby pode ser melhor ou não?

Estou sugerindo que sim, existem coisas que podem melhorar. Não precisa mudar tudo; claro. Mas gostaria de explicar porque escrevi o artigo.

USA Rugby pagou a NZRU $1 milhão pelo jogo. Os outros jogos foram parte do calendário normal sem o visitante cobrar porque foram dentro da janela internacional. Ou seja, Inglaterra recebeu os All Blacks na mesma maneira que vai receber Samoa no sábado. O jogo na cidade de Chicago foi diferente.

Os Estados Unidos e nosso esporte não venceram no campo mas ambos venceram fora e futuramente é provável que terá mais jogos assim. Estados Unidos Conseguiram derrotar Romênia mas não a Tonga. A falta de jogadores contra Tonga foi notável. Amanhã tem Fiji x EUA mas Um time jogará com seus titulares.

Vale a pena lembrar que os All Blacks não jogarão contra Irlanda esse mês e nunca falei que foi o caso. Os All Blacks tem jogos contra Inglaterra, Escócia e País de Gales. Todos são do Reino Unido.

O jogo tem de ser organizado quando der jeito aos Estados Unidos? Não, mas uma data que não é só boa para um dos dois integrantes. Em 2001 os All Blacks jogaram em Buenos Aires depois de jogar em Dublin e Edinburgh. Quero dizer que é possível organizar o calendário diferente e merece consideração. Seria melhor do dia 22 e com bem planejamento tudo é possível.

Prezado Miguel de Castro,

Minha opinião é que e melhor jogar contra seleções superiores no fim do mês e não no começou.
Treinadores precisam de tempo com seus jogadores. Concordo que lesões aconteçam e fazem parte de nosso esporte.

Não está tudo mal no mundo do rugby não mas existe assuntos importantes para levantar como o calendário. O exemplo mostra que o time mais poderoso do mundo conseguiu jogar em Chicago e recebeu um pagamento grande mas o time de casa perdeu seus jogadores do Aviva Premiership por causa do data. Rugby pode fazer melhor o está tudo certo?

Repito. Não escrevi nada no artigo que fala que Irlanda faz parte do Reino Unido. A palavra Irlanda não está no artigo. Mas em termas de rugby Irlanda é a Republica + Irlanda do Norte. O segundo dos dois faz parte do Reino Unido.