3 de junho de 2014

DIA DE FESTA COM A MOITA DO RIBATEJO A TER O SEU CAMPEÃO NACIONAL*

*José Silva
E foi no Estádio Universitário de Lisboa, no Campo de Honra, que tem o nome do Eng.º Vasco Pinto Magalhães, que se disputou, em registo de festa a final da Segundona.

E que festa foi, com um bom jogo de Rugby, bem disputado e emotivo até ao final.

Ao vencer o jogo por 25-13 o RUGBY VILA DA MOITA sagrou-se Campeão Nacional da Segunda divisão, 2013/2014.


Chegaram a esta final as duas primeiras classificadas das respectivas zonas de apuramento, ambas invictas, e que nas meias-finais tinham eliminado a FCT e o Famalicão.
O jogo começou em ambiente de festa com muitos adeptos de ambas as equipas no Estádio a vibrar intensamente o jogo.
Nos primeiros 25 minutos de jogo jogou-se muito entre linhas de 22 com a alternância do marcador com 2 penalidade para os Bravos e 1 dos homens da Moita.
Nesta fase do jogo notava-se um ligeiro ascendente da equipa do Norte pelo que foi com alguma surpresa que o Moita consegue o seu primeiro ensaio da partida. 
E um segundo ensaio leva o resultado para os 6-13 ao intervalo. 
Apesar da diferença no marcador no Estádio sentia-se a pressão sobre o Guimarães, que estava a ser, globalmente, a melhor equipa.

No recomeço do jogo assistimos a uma fase menos boa de ambas as partes, onde o Guimarães tentava atacar de todo o lado, nem sempre bem, e o Moita defendia com muito bravura e de vez em quando lá tentava apanhar os Bravos em contra pé. 
De novo os Bravos mostravam algum ascendente sobre o jogo pois apesar da atitude muito positiva do RVM, sentia-se que o Guimarães, mas cedo ou mais tarde, iria encurtar distâncias. 
Mas por muitas vezes complicava o que era fácil, e quase sempre metia a bola para dentro quando tinha vantagem numérica nas pontas…

Mas o Guimarães, tal como já tinha feito no jogo contra a FCT, sabia sofrer e manter a pressão e foi com naturalidade que chegaram aos Ensaio, devidamente transformado que deu um empate a 13 pontos com 15 minutos para jogar. 
Pareceu-nos que a melhor condição física dos homens de Fernando Silva ajudou, e muito, no final do encontro, pois os homens de Jeremias Soares já não tiveram pernas para o final, e com alguma inexperiência sofreram um ensaio – finalmente transformado - que praticamente matou o jogo. 
Quando já perto dos 40 minutos o RV Moita marca o quarto ensaio da tarde, o vencedor estava encontrado.

Pareceu-nos um resultado exagerado para o que aconteceu em Campo – apesar do mérito da vitória -, mas há que dar os parabéns aos Homens do Sul, pela forma como lutaram ao longo de todo o jogo, por uma garra fantástica que demonstraram em todos os jogos que lhes vimos, num querer e numa atitude de superação muito boa. E pelo pragmatismo.

Mas o Guimarães não merecia ter perdido esta final, pela forma como lutou ao longo do ano, como tem crescido nos últimos tempos; apesar da sua curta base de captação, e de um plantel escasso foi a equipa que ,ao longo do ano, melhor Rugby apresentou.

Foi uma Final muito agradável de seguir, com duas equipas muito bem preparadas, e que quiseram ganhar a prova. O rugby ficou a ganhar.

Estão o GUIMARÃES RUGBY UNION FOOTBALL CLUB e o RUGBY VILA DA MOITA de Parabéns.

21 comentários:

Nuno Oliveira disse...

Deixo no ar 3 Pontos:
1º Ponto A assistencia era numerosa,nesse conto concordo com a cronica, no entanto de Guimarães estavam pouco mais de 20 pessoas, como demostram as fotografias, contra tudo o resto, ou seja estaria 90% do RVM 10% de Guimarães.
2º Ponto- Um jogo de Rugby não é só atacar, mas sim interpretar o jogo e nesse capitulo o Guimarães não esteve no jogo. A primeira parte do Guimarães valeu pelas penalidades e pouco mais fez. Na segunda parte tentou virar o jogo mas não teve capacidade fisica para tal.
3º Ponto a Cronica deste jogo estava com já se esperava, visto que ainda nunca vi neste site ser feita justica ao RVM em relacção ao jogos que esta equipa disputa. Vão ganhando, mas é sempre com sorte. O FCT este ano disputou 3 jogos com o RVM mas perdeu sempre por azar, o Belas igual.

Vamos ser honestos, foi um bom jogo onde ganhou os que dentro de campo mereceram, soberam defender quando foi necessário e souberam atacar, como equipa. O Guimarães atacava com 1 jogador.

Manuel Cabral disse...

Caro Nuno Oliveira,

O comentador do Mão de Mestre pode ter uma ideia diferente da tua, e uma leitura do que se passou que não seja a mesma que tu tens.

Mas o que tu não tens é o direito de insinuar sequer que o José Silva não é um homem honesto.

Eu não concordo com o que tu dizes no teu 2º Ponto, acho que a tua interpretação do que se passou não é a mais correcta, e mesmo não tendo a mesma opinião não digo nem insinuo que tu és um ignorante mal intencionado.

Quanto ao teu 1º ponto, é natural que o Guimarães tivesse bem menos pessoas presentes no campo, já que - não sei se viste no mapa - a Vila da Moita é mesmo à saída de Lisboa, e GUimarães fica ligeiramente mais longe...

Quanto ao teu 3º Ponto agradeço que me indiques onde se escreveu no Mão de Mestre que o Vila da Moita ganhou por sorte. Se não conseguires confirmar a tua afirmação, agradeço um pedido de desculpas - a menos que não estejas a ser honesto e pretendas apenas lançar a confusão.

Aconselho-te ainda a leres a crónica que o Mão de Mestre publicou no domingo a propósito do jogo (http://www.maodemestre.com/2014/06/finais-no-universitario-encerram-epoca.html), e penses bem se o Rugby Vila da Moita foi de qualquer forma injustiçado.

A propósito do teu último comentário - o Guimarães atacava sempre com 1 jogador - aconselho-te a veres o vídeo integral do jogo.

Anónimo disse...

Pontos de vista, opinioes no entanto parece que o jogo apenas teve um sentido e que o FCG foi derrotado por falha de condiçao fisica o que me parece ser demasiado redutor e depreciativo para os atletas do norte. Foram bravos e demonstraram que queriam ganhar mas encontraram do outro lado uma equipa que tambem tinha a mesma vontade.
Utilizando um cliche "nao ganha quem começa melhor mas sim quem chega ao fim e ganha" e nesse capitulo o RVM foi mais consistente soube aproveitar os erros e solidificar o resultado na segunda parte depois de uma primeira parte de maior ascendente por parte dos homens de Guimaraes. Em suma um jogo bem disputado de bom nivel para a divisao em causa e que consegiu manter a incerteza do resultado ate ao ultimo quarto da partida o que demonstra bem que tanto foi o justo vencedor a equipa do Vila da Moita como um digno derrotado os Bravos de Guimaraes.

Anónimo disse...

Engraçado eu concordo inteiramente com a crónica, apesar de o RVM ter sido inteligente e com um pouco de sorte como matou o jogo, o Guimarães foi quem melhor jogou. A nível de adeptos, estavam bastantes da Moita (óbvio pela distância) cerca de 30 do Guimarães, outros tantos do CDUL, Sporting, São Miguel, Belas (eu inclusivé) portanto não será tanto por ai. Quanto ao facto de o Guimarães atacar só com 1 não foi o que vi no jogo. Mas como deves calcular todas as equipas têm as suas referências a nível de jogo. Assim como a Moita tem o seu 10 com os seus chutos constantes e o veloz ponta nº11.

Há que saber ganhar e perder. MAis importante que o reconhecimento público, é a meu ver o título.

Fábio

Anónimo disse...

Qual o espanto de estarem mais pessoas da Moita do que de Guimarães a ver o jogo?
Como é que se ataca no rugby com um só homem?
O teu 2º Ponto é uma perola de incongruência dizes que o "jogo de rugby não é só atacar" sugerindo que o Guimarães só fez isso mas depois dizes que só atacou com um homem.

Não sei se é sina mas todas as equipas que sobem da 2ª Divisão á Primeira aparecem sempre de peito inchado e numa postura "agarrem-me senão vou-me a eles", este ano parecem ser os adeptos do Vila da Moita.

Aprendam a comportar-se, aprendam a ver rugby, preparem-se para levar umas valentes cabazadas para o ano, apoiem a equipa nessa altura e ganhem um pouco de humildade.

Skiweb disse...

Antes de mais quero aqui dar os parabéns aos dois Clubes pela época que fizeram e em especial pelo bom jogo da final.

Mas...

"Mas o Guimarães não merecia ter perdido esta final, pela forma como lutou ao longo do ano, como tem crescido nos últimos tempos; apesar da sua curta base de captação, e de um plantel escasso foi a equipa que ,ao longo do ano, melhor Rugby apresentou"

Bom, a realidade do Guimarães não conheço pois só vi este jogo da final. Mas se vamos por este caminho... De certeza que o RVM também tem as mesmas dificuldades de captação e outras mais de certeza... Quanto á época que acabou... emfim fomos á final!
RVM Jogos 10; Vitórias 10; Pontos de jogo: 436 - Sofridos 62 - Dif. 374.

Guimarães, Jogos 12; Vitórias 12; Marcados 481; Sofridos 115; Dif. 366.

"Pareceu-nos um resultado exagerado para o que aconteceu em Campo"
RVM
4 - Ensaios
1 - Transformações
1 - Penalidades
Guimarães
1 - Ensaios
1 - Transformações
2 - Penalidades

Bom são opiniões e quanto a isso não podemos fazer nada.

Numa coisa concordo em pleno, quem ficou a ganhar foi o Rugby Nacional.

Quanto ao rever o jogo (desde que haja acordo entre partes) posso disponibilizar o mesmo "em deferido" via setreaming.

Anónimo disse...

Gostaria só de salientar que na assistência estavam perto de 50 pessoas a apoiar o Guimarães, só não estavam denunciados...

Anónimo disse...

Primeiro de tudo gostaria de saber qual é a equipa que não ficou de "peito feito" por ter sido campeã e subir de divisão. E podem dar exemplos de qualquer desporto!

Ou será que esse "peito feito" é orgulho na sua equipa e no trabalho realizado num pequeno clube que luta muitas vezes sozinho sem os apoios "normais"??

Não sou um especialista na modalidade, nem pouco mais ou menos, mas do que vi ao longo da época não vejo aonde o RVM não mereça totalmente esta subida. Houve muito jogo que as tais "cabazadas" foram mais que muitas, no entanto sempre com respeito pelo adversário, o que me espanta esta insistencia no "saber comportarem-se"...

Por falar em cabazadas o RVM este ano teve o prazer de disputar uma eliminatória com o Lousã (0-30) e eu após o jogo até fiquei convecido que afinal existe uma grande diferença entre as duas divisões. Fui então esclarecido por um jogador da Lousã que me desafio-o a ir ver os resultados que eles tinham obtido até então. Qual o meu espanto quando reparei que tinha sido a "cabazada" mais leve até então com que o Lousã "brindava" os adversários.

Portanto, venham de lá as "cabazadas" que as pessoas da Moita estão habituadas a "pegar os bois pelos cornos" e não será certamente diferente desta vez.

Saudações a todos.

Manuel

Anónimo disse...

O ponta do Moita e o médio de formação que ganhem cabedal o mais rapidamente possivel que iram dar imenso jeito nos sevens!

Anónimo disse...

Ora boa tarde!

Eu estava na assistência ( e junto a mim antigos jogadores do CDUL, adeptos do Direito, do Benfica e outros) e não estava a apoiar nenhum dos finalistas.

Parece pois exagerado tentar dividir a assistência em apenas 2 grupos de apoiantes. Uma saudação especial para todos os que vieram de longe, da cidade-berço, dar o seu apoio à equipa!

Quanto ao jogo, diria que foi equilibrado e que o Moita soube tirar melhor partido das oportunidades que teve, coisa que o Guimarães não soube fazer com eficácia...

Fisicamente notou-se que, passada mais ou menos 1 hora de jogo já a maior parte dos jogadores se arrastava, mas também não se pode ser tão exigentes com equipas do 3º escalão do rugby português.

Só uma questão que talvez me saibam responder: durante a fade regular, o Moita não perdeu com o Técnico-B, ou estou equivocado?

Parabéns a ambas as equipas!

Fernando Pessoa do Melão disse...

Caro José Silva

Gosto da forma emotiva como comenta o jogo.
Contudo, ficamos com a dúvida: o campeonato fica na verdade bem atribuído ao clube da Moita ou não?
Não acabam por ser um paradoxo estes dois parágrafos?
1) Pareceu-nos um resultado exagerado para o que aconteceu em Campo – apesar do mérito da vitória;
2) Mas o Guimarães não merecia ter perdido esta final, pela forma como lutou ao longo do ano, como tem crescido nos últimos tempos.

Repare: por um lado afirma que houve mérito do Moita na vitória, mas por outro já afirma que o Guimarães não merecia ter perdido esta final.
Mais ainda, as considerações conclusivas são então sobre o próprio jogo que decorreu nessa final, ou sobre o que as equipas fizeram ao longo do ano?
Estamos a falar portanto sobre escalas de análises diferentes, solicitando crónicas díspares. Uma será o jogo que decorreu ALI, naquele LUGAR, outra será o que as duas equipas fizeram ao longo do ano, se efectivamente quiser fazer uma analise holística ao todo do campeonato.
Um abraço, José

Anónimo disse...

Com o devido respeito pelo Moita e pela sua brilhante subida de divisão, o problema é que em Évora também estão habituados a pegar touros...e a jogar bom Rugby, Em Montemor também pegam touros....e jogam bom Rugby, em Santarem também pegam touros...e jogam Rugby e depois o Lousã, o Benfica, o Sporting e o Setubal não pegam touros mas jogam bom rugby.

Não sei se o facto de pegarem os touros pelos cornos os vai safar, talvez fosse melhor serem um pouco mais comedidos e humildes e aproveitarem o defeso para pegarem menos touros e jogarem mais rugby.

Anónimo disse...

Analisar toda uma temporada de duas equipas que estiveram em campeonatos diferentes, é um bocado redutor. Era preciso que a zona norte e a zona sul tivessem tido um play-off entre por exemplo os 2 primeiros de cada grupo para assim se poder aquilatar se o Vila da Moita merecia ser ou não campeão. Merecer, mereceu porque ganhou a final. Agora dizer-se que foi melhor ou pior que o Guimarães ao longo do ano não faz sentido.

Anónimo disse...

Para clarificar

Sim, o RVM perdeu com o Técnico-B quando este ali foi colocado já com o campeonato a meio e "sem pedir licença" (em modo joke).

Mas isso é outra discussão...


PS: Também não sei qual a equipa apresentada para esse jogo...

Saudações,
Manuel

Anónimo disse...

Então afinal não foram só vitórias do RVM....ao contrário do que se lê ali atrás!

Mas que interessa se o jogo foi a meio do campeonato? O RVM com mais jogos nas pernas devia então ter uma melhor prestação contra uma equipa que, na sua grande maioria é constituída por uns quantos trintões que apenas jogam para se divertir!...

Sem deixar de, novamente felicitar o RVM, quanto aos adeptos (ou jogadores que mandam aqui umas bocas, um pouco de modéstia fica sempre bem!

Anónimo disse...

Quanto á justiça da vitória na final já dizia o outro as finais são para se ganhar e foi isso que o RVM fez no passado sábado.Em relação ao que se passou durante a época ninguém pode negar o trabalho excelente das duas equipas nos seus grupos e dai resultou as duas serem finalistas sem contestação nenhuma.Já no que toca a pegar os bois pelos cornos deixem-se de devaneios o que os homens querem dizer é que estão prontos para a luta e depois no fim se fazem as contas.

Anónimo disse...

O Guimarães tb perdeu um jogo contra o CRAV B..

Anónimo disse...

Para clarificar

Perdeu, mas também ganhou!

Na época toda foram 3 derrotas (Lousã, Técnico B e Famalicão no mini campo segundo relatos).

São situações como está do mini campo que não dignificam e disvirtuam por vezes a verdade dos factos.

Era estas situações que deveriam ser discutidas e não se está mais ou menos de peito feito!

Anónimo disse...

o assunto não tem nada haver com o tópico da conversa mas alguém sabe se os sevens vão passar na televisão ou em algum link?

Anónimo disse...

Caro MdM,

O que vou escrever também nada tem que ver com o post!

São conhecidas as suas posições editoriais e a preocupação com a defesa do futuro imediato do rugby português!

Quis o destino e as falsas promessas que o rugby português tenha à sua frente uma pessoa prepotente, que diz e logo se desdiz, que fala uma coisa e faz outra. Enfim todos sabemos o que tem sido!

E temos uma direção fantasma, para não dizer fantoche, que o deixa fazer tudo, que não faz actas das reuniões, verdadeiros yes man.

Vem esta introdução á balia para alertar para as conversas que andam por aí nos bastidores e mentideros do rugby.

A primeira é a de que o Sr Silva já terá comunicado ao Seleciona-dor Nacional Senior que vai ser despedido, ele e toda a equipa técnica, managers incluídos.

E mais se diz que o novo manager será um tal de Salvador, ex-Diretor de equipa de Agronomia, que anda ou andou pelo futebol do Belenenses.

Diz-se também que o novo treinador da seleção de Sevens será o António Aguilar.

E que o Morais terá assinado um contrato com o Cascais!

Enfim, como não há fumo sem fogo, aqui fica o tema para consideração. A questão é a de saber com vai o Sr Silva fazer para pagar indemnizações pelo fim antecipado de contratos, numa Federação falida?

E pior ainda, é a de poder vir a celebrar contratos com novos treinadores, selecionadores, managers etc quando, havendo eleições para o ano (e se as perder) vai deixar a nova direção amarrada a estes contratos!

É hora de todos, clubes, simpatizantes, imprensa, começarmos a reagir para evitar que estes desvario e esta prepotência alastre ainda mais!

Deixo o assunto à consideração para eventual publicação!

Anónimo disse...

o campo do moita e tudo menos um maxi campo. venceu esta divisão com mérito foi a melhor equipa mas alguma pouca humildade de alguns apoiantes neteiros fica mal a essa equipa. há mais de 4 anos que as cronicas dos jogos so referem perder a custa dos árbitros.

e verdade que levaram 30 da lousa mas se bem me lembro são migueis e afins levaram 100...

vai ser curioso ver um loule-moita e o moita-loule onde o ultimo acabou com invasão de campo de adeptos do moita não sancionados pela federação.
esse jogo vai ser bastante quente para o ano.


parabéns ao moita mas.... menos comentários parvos para não mancharem o bom trabalho.

ass. praticanteda modalidade